Concurso IBGE 2018 já é negociado com governo federal

O IBGE negocia com o governo federal a possibilidade de realizar o concurso IBGE 2018 para efetivos. Níveis médio e superior.

O IBGE negocia com o governo federal a possibilidade de realizar o concurso IBGE 2018 para efetivos. A informação foi revelada pelo novo presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Roberto Olinto, em reunião com sindicalistas no dia 11 deste mês.
 
Diretor da Associação e Sindicato dos Servidores do IBGE (ASSIBGE), Paulo Lindsay esteve no encontro. Segundo o sindicalista, o titular do IBGE não soube precisar quando esse concurso acontecerá. Roberto Olinto, porém, não mede esforços para que a seleção possa ser realizada.
 
Concurso IBGE 2018 é negociado com governo
Concurso IBGE 2018 já é negociado com governo
"Na reunião que tivemos com o presidente Roberto Olinto, ele disse que está insistindo com o governo para viabilizar esse concurso. Ele deixou claro que sabe das nossas necessidades e está empenhado em resolvê-las. Isso, porém, não depende apenas dele, mas também do governo. O IBGE precisa estar entre as prioridades, apesar da PEC dos Gastos Públicos", comentou Paulo Lindsay.
 
Para abrir concurso, o IBGE precisa solicitar as vagas ao Ministério do Planejamento e ter a autorização. Para encaminhar o pedido, contudo, Roberto Olinto conversa com o governo para saber das possibilidades de um aval.

"Necessidade de concurso é para ontem", diz sindicalista

O diretor da ASSIBGE está preocupado com a situação de pessoal do órgão. Hoje são 5 mil servidores do IBGE em todo o país, sendo que 1.900 (38%) estão em abono de permanência, podendo se aposentar a qualquer momento. "Com a saída desses profissionais, o IBGE ficaria com apenas 3 mil servidores em todo o país. A necessidade de concurso é para ontem", enfatizou. Paulo Lindsay informou ainda que o concurso IBGE 2015 não resolveu os problemas. de pessoal.
 
"Mesmo com a entrada dos 600 aprovados e 300 excedentes, o número de aposentadorias foi tão grande que o déficit de pessoal permaneceu", lamentou, alertando que sem concursos a situação de pessoal do IBGE tende a piorar nos próximos anos. "Além dos 1.900 em abono de permanência, muitos servidores já têm 26 anos de instituto, e estão próximos de terem direito a se aposentarem. Defendemos concursos periódicos", destacou, mencionando as carreiras com mais necessidades.
 
"Em todas as carreiras há carências de pessoal. O técnico, de nível médio, é o cargo com maiores demandas e necessidades. São necessárias reposições também para as funções de nível superior (analista, tecnologista e pesquisador)", concluiu.

RH confirma carência e aposentadorias

 
"Tivemos uma queda (de servidores) muito grande de 2010 para cá. Éramos mais de 7.800 e agora somos 5.500. Os concursos de 2013 e 2015 deram fôlego ao IBGE. Nós temos conseguido, como sempre, manter o nosso plano de trabalho em andamento sem nenhuma dificuldade, em especial por esses 600 que entraram no ano passado e 300 agora. Conseguimos nos estruturar, as o ritmo de aposentadorias vai continuar similar a 2015 e 2016. Em 2017 saíram quase 200 pessoas, ritmo que vai continuar até o  fim do ano. Certamente precisaremos de mais gente até lá", comentou em abril.
 
Na época da entrevista, Bruno Malheiros informou que o IBGE pediria no fim deste ano um concurso público ao Ministério do Planejamento. "Certamente, até o final do ano teremos o novo pedido no Ministério do Planejamento, contemplando cargos de níveis médio e superior", explicou, acrescentando que, se autorizado, o concurso será nacional novamente, incluindo o Rio de Janeiro. "o Rio terá vagas de níveis médio e superior", completou. 
 
Se pedir novo concurso, o IBGE deverá contemplar na solicitação os cargos de técnico, analista, pesquisador e tecnologista. O primeiro é destinado a quem possui o nível médio e tem remuneração de R$3.556,85. Os demais são destinados a graduados, com ganhos de R$7.458,49.
 
O concurso para efetivos não tem relação com o de temporários. Este, cujos resultados do primeiro e segundo edital já saíram, foi realizado para viabilizar o Censo Agropecuário. 
 
Procurado pela FOLHA DIRIGIDA Online, o IBGE informou que ainda não há previsão de novo concurso público.
 
 


ASSINE

Para ter acesso a este conteúdo, notícias e preparativos

ASSINAR


Comentários