Folha Dirigida Entrar Assine

Governo propõe PM fiscalizando, mas associação quer concurso Ibama

Ibama sofre com carência de profissionais e pretende encaminhar ao governo novo pedido para realização de concurso

Em meio à proposta do Governo Federal, de o Ibama firmar convênios com os Estados para policiais militares ambientais também atuarem em operações da autarquia, os servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) manifestaram preocupação com o quadro atual do órgão.

Segundo a Associação dos Servidores Federais da Área Ambiental no Distrito Federal (Asibama-DF), o Ibama sofre com grande carência de pessoal. Se dependesse da Asibama-DF, a contratação de novos servidores ocorreria de forma imediata.

“A Asibama-DF cobra constantemente a realização de um novo concurso para o órgão”,  declarou o presidente da entidade, Alexandre Bahia Gontijo, em entrevista exclusiva à FOLHA DIRIGIDA.

A notícia do uso de PMs na autarquia foi pulicada pelo Estado de São Paulo (Estadão) nesta terça, 7.

Apesar da proposta, Alexandre Bahia alerta que um novo concurso para o Ibama é de extrema importância, principalmente pelo número de aposentadorias previstas. Segundo o presidente do Asibama-DF, muitos profissionais acabaram dando entrada na aposentadoria com medo da reforma da Previdência.

Com isso, o déficit de pessoal deve aumentar. Tendo em vista o tamanho do território nacional e a quantidade de matas, torna-se necessário muitos profissionais envolvidos. 

“Com a carência de pessoal, acaba que fica muita mata para pouco profissional ambiental”, enfatizou.

O presidente também reforçou a importância do trabalho do Ibama na análise de impacto ambiental, o que evita o risco de muitas tragédias. Para ele, a demanda é enorme em comparação ao número de profissionais, o que acaba prejudicando na qualidade da análise.

Alexandre Bahia afirmou, ainda, que o concurso tem estado em pauta constantemente, mas dificilmente existe algum retorno, pois sempre aparecem questões “mais importantes” e o concurso acaba ficando de lado. Além do velho discurso de corte de custos reproduzido pelo governo.

Ibama pretende fazer novo pedido de concurso

Em 2018, o Ibama pediu ao extinto Ministério do Planejamento (hoje, Ministério da Economia) autorização para abrir concurso para 1.630 vagas, mas não obteve o aval. Desse total, 750 seriam para analista ambiental, 270 para analista administrativo (ambos de nível superior) e 610 para técnico administrativo (nível médio).

Com as aposentadorias e desligamentos previstos, a expectativa é que o Ibama possa solicitar novo pedido ao Ministério da Economia, desta vez para um total de 1.888 vagas.

Concurso Ibama (Divulgação)
Órgão pretende fazer novo pedido de concurso ao governo
(Foto: Divulgação)

Último concurso para o Ibama foi realizado em 2014

Para quem tem nível médio, o Ibama proporciona remuneração inicial de R$4.408,94, enquanto para nível superior R$9.389,84, ambos os valores já acrescidos com o auxílio-alimentação de R$458.

O responsável pela seleção anterior, realizada em 2014, foi o Cebraspe. Os candidatos foram avaliados com provas objetivas e, para alguns cargos, ainda uma redação. As disciplinas cobradas foram as de Língua Portuguesa, Noções de Informática, Legislação, Ética no Serviço Público, Noções de Direito Constitucional e Noções de Direito Administrativo. 



Comentários