Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

OAB-RJ: defesa da democracia e da liberdade

A defesa da democracia e da liberdade desde a sua criação, em 1930, fez com que a Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ) fosse eleita uma das três instituições vencedoras do Personalidade Cidadania 2012. A conquista do prêmio, uma iniciativa da FOLHA DIRIGIDA, da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Filosofia (ABF), é vista como o reconhecimento da ação da entidade, segundo o presidente da OAB-RJ, Wadih Damous.

A defesa da democracia e da liberdade desde a sua criação, em 1930, fez com que a Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ) fosse eleita uma das três instituições vencedoras do Personalidade Cidadania 2012. A conquista do prêmio, uma iniciativa da FOLHA DIRIGIDA, da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Filosofia (ABF), é vista como o reconhecimento da ação da entidade, segundo o presidente da OAB-RJ, Wadih Damous.
 
“Temos muitos projetos em andamento e outros que ainda estão por vir. Acredito que esse prêmio é o reconhecimento da ação da seção fluminense da OAB em defesa de princípios que sempre lhe foram muito caros, como a defesa da democracia e da liberdade”, disse.
 
Ele explica um desses projetos. “Este mês iniciamos uma campanha, a exemplo da empreendida por nós há dois anos, pela Memória e pela Verdade, pelo tombamento de locais onde cidadãos, homens e  mulheres, em geral, muito jovens, encontraram, em seu caminho de luta pelas liberdades democráticas, o terror das torturas e as mortes praticadas por agentes públicos a serviço do regime ditatorial que vitimou nosso país há não muito tempo. Queremos que esses locais, onde houve outrora sofrimento e arbítrio, sejam transformados em espaços de memória viva, abrigando documentos, testemunhos, fotos e filmes capazes de resgatar aquele período da nossa história.”
 
De acordo com Wadih Damous, o papel da sociedade na promoção e na valorização da cidadania é fundamental. “A sociedade precisa ser parte da solução de problemas que a afligem, cobrando do poder público a inclusão social e promoção da cidadania para todos”, afirmou.
 
O presidente da OAB-RJ explica que a Constituição de 1988, o marco mais importante no processo de redemocratização do Brasil, deve ser a referência nas garantias para os direitos dos cidadãos. As mudanças feitas por ela foram o primeiro passo para o exercício da cidadania.
 
“Nela, portadores de doenças graves têm expressa a garantia a medicamentos essenciais à vida; crianças obtiveram o reconhecimento do direito de matrícula em escolas públicas; minorias receberam proteção contra preconceitos e alcançaram reconhecimento jurídico  e social; e partidos políticos, sindicatos e meios de comunicação social obtiveram condições para funcionar normalmente, sem interferência do governo”, completou.
 
Para Wadih Damous, a premiação a personalidades e instituições que lutam pelo exercício da cidadania é fundamental e pode ser um estímulo. “Essa homenagem é um incentivo para que outras pessoas e entidades brasileiras se somem a importantes projetos em prol da cidadania ampla e irrestrita.”

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações