Concurso Fhemig: diretora do sindicato reforça necessidade de pessoal

Diretora do Sinmed-MG diz que o concurso vai impactar na qualidade do serviço prestado pela instituição.

Sem realizar concursos públicos há seis anos, a Fhemig – Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais – tem deficit alto de servidores que já impacta na qualidade do serviço prestado. A instituição negocia a abertura da seleção com a Secretaria de Planejamento do estado, pelo menos, desde o início do ano. 

Fhemig (Foto: Divulgação/ Sinfarmig)
Concurso vai oferecer 1.800 vagas nos níveis
médio e superior (Foto: Divulgação/ Sinfarmig)

A doutora Flávia Loureiro, diretora do Sindicado dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG), é uma das que tem conduzido as negociações pela contratação de efetivos junto à Fhemig.

Em conversa com FOLHA DIRIGIDA ela destacou que muitos profissionais estão se aposentando, o que aumenta a carência de pessoal. Outro ponto colocado pela médica é a necessidade de se criar ainda novos cargos no quadro da fundação.

Perguntada se a Fhemig deu algum posicionamento sobre a publicação do edital, Loureiro disse que não tem conhecimento de uma previsão oficial. Mas lembrou que o documento, em princípio, deveria ter sido lançado antes do período eleitoral. 

♦ Iniciado o período eleitoral: veja o que pode e o que não pode nos concursos

A diretora também afirmou que há necessidade de contratação em vários cargos, mas destacou especialmente e necessidade de médicos. Ela diz que, por alto, as especialidades que hoje mais sofrem com carência de profissionais são as de pediatria, anestesia e emergencial. 

Confira a assinatura ilimitada com cursos para concurso:

Concurso é importante para permanência de médicos

Flávia Loureiro também destacou a importância do concurso para a saúde do quadro de pessoal da instituição. Além da necessidade de reposição em si, ela defendeu que os contratos efetivos fazem com que médicos e outros profissionais atuem por mais tempo na fundação. 

O concurso vai melhor a permanência dos médicos no quadro de pessoal da fundação. Em contrapartida um contrato precário, de duração limitada, faz com que haja maior evasão de médicos.

A diretora do Sinmed-MG também destaca que contratando médicos por concurso há um benefício em relação à experiência profissional. Ela explica que os concursados são pessoas que já fizeram a residência médica e possuem especialidade, em detrimento daqueles que são contratados recém-formados. 

Concurso para 1.800 vagas aguarda comissão

De acordo com as últimas informações transmitidas à FOLHA DIRIGIDA pela Fhemig, já foram indicados os nomes dos membros que vão formar a comissão do concurso. A relação foi envia á Seplag – Secretaria de Planejamento - que deverá dar a autorização para que o grupo seja oficializado e publicado no Diário Oficial. 

A fundação hospitalar já tem aval para abrir o concurso. Quando for oficializada a comissão, o passo seguinte deverá ser a elaboração da minuta do edital e depois a escolha da banca organizadora. Descubra em 13 passos como funcionam as seleções.

A oferta vai ser 1.800 vagas nos níveis médio e superior. A distribuição das oportunidades ainda não foi divulgada, mas já se sabe os cargos oferecidos serão: 

  • Técnico operacional da saúde (nível médio) – R$1.427,73 e R$1.700,03 (médio/técnico)
  • Enfermeiros (nível superior) – R$3.464,43
  • Analista de gestão e assistência a saúde (superior) - R$3.464,43
  • Médicos (superior com pós-graduação e residência médica) - R$5.801,50

Confira o material de preparação da FOLHA DIRIGIDA e comece já a se preparar para o concurso!

E-books 
Provas para download
Artigos sobre concursos
Editais verticalizados
Vídeos com dicas





Comentários