Concurso ESA: gabarito da prova objetiva será divulgado na terça, 6

A Escola de Sargentos das Armas aplica provas neste domingo, 4. A FOLHA DIRIGIDA está presente e conversou com os candidatos. Confira!

*Matéria atualizada em 05/08/2019, às 19h15

A Escola de Sargento das Armas do Exército Brasileiro aplica neste domingo, 4, as provas do exame intelectual do concurso ESA. Mais de 118 mil candidatos são esperados em todo o país. As avaliações tiveram início às 13h. Os gabaritos preliminares serão publicados nesta terça-feira, 6.

A reportagem de FOLHA DIRIGIDA está presente no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na Cidade Universitária para realizar a cobertura do concurso ESA, em tempo real, na primeira etapa do processo de seleção.

De acordo com o cartão de confirmação, o horário de apresentação estava marcado para a partir das 10h (horário de Brasília), quando os portões foram abertos. O edital de convocação ressaltava a a importância de chegar com antecedência.

+ Saiba tudo sobre o curso de formação

O fechamento dos portões aconteceu às 11h30 (também horário de Brasília). A partir deste horário, os fiscais começaram as orientações aos candidatos. Ao término, foram autorizados a iniciar o exame.

Os candidatos, no entanto, foram precavidos e chegaram cedo na Cidade Universitária-RJ. Com um clima chuvoso na manhã de domingo, às 9h o número de candidatos no entorno do campus da universidade já era considerável. 

Muitos concorrentes aproveitaram os últimos minutos antes da abertura dos portões para revisar conteúdos, assistir videoaulas e fazer um checklist dos materiais necessários.

Na porta do prédio, um dos sargentos reafirmou em voz alta a obrigatoriedade do cartão de confirmação impresso e que não seriam aceitos por meio de celulares ou qualquer eletrônico. 

Empatia foi tema da Redação e candidatos comemoram

A partir das 16h, um bom número de candidatos começou a deixar o Centro de Tecnologia da UFRJ, após três horas de exame. Os entrevistados elogiaram a prova no geral e classificaram o seu grau de dificuldade como mediano, cobrando o esperado.

Outro ponto em comum entre todos os participantes que deixavam o prédio da universidade foi o elogio e comemoração pelo tema proposto na Redação do concurso ESA. A Escola de Sargento das Armas pedia que os participantes dissertassem sobre empatia.

Os amigos Maurício e Julio César disseram que assim que autorizados pelo fiscal foram direto na parte que continha o tema da Redação. Ao ler sobre o tema, ficaram bem animados e disseram que a expectativa é muito boa, pois deu para desenvolver bem o que foi pedido.

"Achei a prova bem tranquila, não foi nada tão difícil. É lógico que não foi uma prova fácil, que dava pra ler e marcar tudo de cara, mas para quem se preparou deu pra ir bem. Foi a nível do que eles costumam cobrar e os cursos preparam. A Redação foi um tema muito tranquilo, fácil de desenvolver. Matemática, como sempre, é o que me pega", disse Maurício Iago, 21.

"Foi uma prova mediana, que não pedia que batesse cabeça o tempo todo. Uma prova tranquila. A parte que mais me pegou também foi Matemática, porque é uma disciplina que nunca será 100% fácil. A Redação foi um tema bem aberto, muito tranquilo para dissertar e argumentar. A ESA trouxe uma prova excelente, muito bem elaborada", comentou Júlio César, 22.

Já para Felipe Fernandes, a prova trouxe um nível um pouco difícil. Ele contou que esse é o seu primeiro ano e ainda está pegando prática e conhecendo como são os exames militares. Ele fez para Geral/Aviação e classificou História e Matemática como as partes mais complicadas. O candidato também se prepara para o concurso da Escola Naval.

Matheus Elísio, 21, que também fez para Geral/Aviação, foi mais um candidato que ao deixar o local de prova elogiou o tema da Redação. Ele também faz parte do grupo que classifica Matemática como a disciplina mais complicada desse exame.

"A parte mais fácil, com certeza, foi Português. Além dela, a Redação também foi um tema bem legal e que deu para desenvolver tranquilamente. Até Inglês, que foi a primeira vez sendo cobrada estava tranquila. As questões eram interpretativas."

Um dos primeiros a sair após o tempo permitido no exame, Ayres Fontes, 20, disse que o grau de dificuldade da prova vai depender muito de como o candidato se preparou. Na sua avaliação, foi uma prova razoável e destacou História e Geografia como os pontos mais fáceis. Ele também fez para Geral/Aviação e opinou sobre a Redação como "muito tranquila".

Divisão de prédios da UFRJ confunde atrasados

Os portões foram fechados pontualmente às 11h30. Foi a partir dos 20 minutos finais que começou a correria nos arredores da Cidade Universitária. Muitos candidatos se confundiram com a divisão dos prédios e alguns não conseguiram entrar antes que fechassem os portões.

O Exército aplicou provas em diversos prédios da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sendo eles o Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN), o Centro de Tecnologia (CT) e a Faculdade de Letras (FL). A confusão começou quando muitos não se atentaram ao local descrito no cartão de confirmação.

No prédio do Centro de Tecnologia, por exemplo, vários concorrentes tiveram que correr quando chegavam na entrada e eram informados pelos sargentos que estavam no local errado. Por volta das 11h29, chegaram os três últimos candidatos. No entanto, um deles estava no centro errado e muito provavelmente não conseguiu entrar no local certo antes que os portões fossem fechados. 

Candidatos realizam provas da ESA no campus da UFRJ (Foto: Mateus Carvalho)
Candidatos realizam provas do concurso ESA no campus da UFRJ
(Foto: Mateus Carvalho)

Prova do Concurso ESA terá seis partes

A primeira fase do concurso ESA será uma prova objetiva mais Redação. Os exames têm caráter eliminatório e classificatório. São mais de 50 questões, divididas de acordo com a área de concorrência.

  • 1ª parte - Prova de Matemática (12 questões para áreas Geral/Aviação e oito para as áreas Música/Saúde);
  • 2ª parte - Prova de Português (12 e oitos questões, respectivamente);
  • 3ª parte - Prova de História e Geografia do Brasil (12 e seis questões de cada disciplina para área Geral/Aviação e oito e quatro questões de cada disciplina para as áreas de Música/Saúde);
  • 4ª parte - Prova de Inglês (quatro questões para área Geral/Aviação e quatro para as áreas de Música/Saúde);
  • 5ª parte - Prova de Conhecimentos Específicos da área técnica de Enfermagem, na área de Saúde (12 questões) e Prova de Teoria Musical para a área de Música (12);
  • 6ª parte - Prova de Português (questão única discursiva/redação).

O candidato, para ser aprovado, precisará alcançar o mínimo de 50% de acertos do total das questões de cada uma das partes da prova, com exceção de Inglês.

Na parte de Língua Estrangeira será preciso alcançar pelo menos 25% de acertos. É preciso obter, ainda, nota igual ou superior a cinco na redação.

Candidatos comentam estreia de Inglês no concurso da ESA

A prova do concurso ESA terá diversas disciplinas. Mas, este ano, uma delas chama mais atenção. Essa será a primeira vez que a Escola de Sargento das Armas cobrará Inglês.

Embora tenham sido separadas apenas quatro questões, um bom desempenho na disciplina será crucial para a aprovação no exame. A ausência da matéria nos anos anteriores dificultou um pouco a vida dos candidatos, que não sabem qual será o padrão adotado.

O candidato Luís Guilherme, 18, espera da parte de Inglês uma cobrança de nível difícil, principalmente pelo número reduzido de questões. Ele aponta esse mesmo grau de dificuldade em Geografia e História, que pouco domina. Mas espera um bom rendimento em Língua Portuguesa e Matemática.

"Me preparei para a parte de Inglês estudando em casa mesmo, traduzindo textos. Tive um pouco de dificuldade em saber o que estudar e tirei como base outros concursos militares, como o da EEAR, que também realizei e também cobrou Inglês", comenta o candidato.

Para Laís Lima, 19, as expectativas são as melhores possíveis nesse exame da ESA. Ela comenta que espera acertar, pelo menos, duas das quatro questões de Inglês e torce para que haja interpretação de texto.

"Me preparei mais do que para as outras disciplinas, medianamente. Não faço curso de Inglês, então me preparei de maneira mais avantajada para a prova de Inglês. Tive a ajuda de cursinhos e assisti videoaulas", disse.

Matheus Lameiras, 19, comentou que também tem uma expectativa bem alta para essa prova da ESA. Ele disse estar estudando há bastante tempo, fez cursinho, e vai tratar a parte de Inglês com a mesma seriedade das demais disciplinas.

"Fiz um curso preparatório perto de casa com uma ótima estrutura. Mas não faço curso de Inglês. Por isso, fiz bastante simulados, assisti a videoaulas e revisei bastante o conteúdo. Estou bastante confiante mesmo sendo a primeira vez. Independentemente do número de questões, vou tratar com a mesma seriedade, porque ela pode desclassificar."

Candidatos na UFRJ se preparam para as provas da ESA (Foto: Mateus Carvalho)
Candidatos na UFRJ aguardam pelas provas da ESA
(Foto: Mateus Carvalho)

O que será preciso para ser aprovado?

O candidato, para ser aprovado, precisará alcançar o mínimo de 50% de acertos do total das questões de cada uma das partes da prova, com exceção de Inglês.

Na parte de Língua Estrangeira será preciso alcançar pelo menos 25% de acertos. É preciso obter, ainda, nota igual ou superior a cinco na redação.

Os exames acontecem em diversas regiões de todo o Brasil, tais como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Juiz de Fora, Uberlândia, Manaus, entre outras Guarnições de Exame e Organizações Militares Sedes de Exames (OMSE).

enlightenedFaça sua preparação para concursos militares!

ESA oferece mais de mil vagas de nível médio

Publicado em fevereiro, o edital do concurso da ESA trouxe 1.100 vagas para os cursos de formação e graduação de sargentos, no ano de 2020/2021, nas áreas Geral, Aviação, Música e Saúde.

  • 910 para os candidatos do sexo masculino (área Geral/Aviação);
  • 100 para as candidatas do sexo feminino (área Geral/Aviação); 
  • 60 para os candidatos da área de Saúde;
  • 40 para área música.

A seleção destina-se a candidatos de ambos os sexos que tenham o nível médio completo, além de idade entre 17 e 24 anos para as áreas Geral e Aviação, e entre 17 e 26 anos para as áreas de Música e Saúde.  

Com relação aos candidatos da área da saúde, estes devem ter também concluído o curso Técnico em Enfermagem até a data de sua apresentação na organização militar.

Para a área de Música, será preciso comprovar a habilidade na execução de partituras com o instrumento musical correspondente a um dos naipes abrangidos pelas vagas. 

CADASTRE-SE

Para ter acesso a este conteúdo

CADASTRE-SE


Comentários