Folha Dirigida Entrar Assine

Anthony Garotinho quer novos concursos para suprir necessidades

O ex-governador Anthony Garotinho quer governar novamente o Estado do Rio de Janeiro e promete concursos para suprir necessidades.

​O candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo Partido Republicano Progressista (PRP), Anthony Garotinho, é o oitavo entrevistado pela FOLHA DIRIGIDA, no Especial Eleições 2018. 

Eleições 2018 FOLHA DIRIGIDAO radialista, de 58 anos, iniciou na vida política em 1986 como deputado estadual, em Campos dos Goytacazes, sua cidade natal, no interior do estado. Em 1988, alcançou o posto de prefeito da cidade e, dez anos depois, ganhou notoriedade nacional, quando foi eleito governador do Rio de Janeiro.

Agora, Anthony Garotinho volta a ser candidato ao governo estadual e diz querer "colocar o Estado do Rio de Janeiro de pé". O ex-governador afirma ainda ter o sonho de voltar ao governo do estado, e completa: "tenho uma missão a cumprir.".

É com essas palavras que Anthony Garotinho volta às eleições. Atualmente, o candidato segue com sua campanha eleitoral, aguardando pelo julgamento do recurso que fez ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), após ser condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em uma ação de improbidade administrativa, envolvendo desvio de R$234 milhões na área de Saúde, que o colocaria inelegível de acordo com a Lei da Ficha Limpa.

Em entrevista por e-mail à FOLHA DIRIGIDA, o candidato afirma que, se for eleito, irá programar concursos públicos, com o intuito de preencher vagas existentes e renovar a força de trabalho, além de expor suas propostas para outros setores do estado. Confira! 

Concursos irão suprir necessidades em todas as áreas

Para Anthony Garotinho a realização de concursos ocorrerá para suprir a necessidade dos órgãos. Sendo assim, ele prevê concursos em todas as categorias do estado.

Vamos abrir concurso para todas as categorias que necessitarem de recomposição ou de um maior efetivo de profissionais.

Para isso, o candidato afirma que o Regime de Recuperação Fiscal (RRF) será revisto. Segundo ele, o acordo, da forma como está, "dificulta o crescimento do estado, massacra ainda mais o funcionalismo e aumenta violentamente o nosso endividamento", afirma. 

"O RRF impede a realização de novos concursos públicos para áreas fundamentais, como Educação, Saúde e Segurança. Impede também a concessão de aumentos para o funcionalismo, sem falar na imposição de que o Estado do Rio abra mão de ações de seu interesse no STF", diz.  

Conheça as propostas de Anthony Garotinho para o Rio

Anthony Garotinho (Foto: Reprodução Facebook)
Candidato ao governo do Rio, Anthony Garotinho 
quer concursos para suprir necessidades
​​​​​​(Foto: Reprodução Facebook)

"Nosso governo vai valorizar o funcionalismo público estadual". É o que afirma o candidato Anthony Garotinho, caso seja eleito. Segundo ele, em seu plano de governo há um calendário fixo para o pagamento do servidor, mantendo os salários em dia.

  • Economia estadual

Quando perguntado sobre a solução que daria, caso eleito, para a retomada do crescimento econômico do Estado do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho afirma que a crise, existente há mais de quatro anos, é um "fruto da incompetência e corrupção dos governos Cabral e Pezão, ambos do PMDB, o mesmo que apoia Eduardo Paes e a quem ele está ligado até a raiz dos cabelos".

"Vamos reorganizar o Estado do Rio. Elaboramos um ambicioso, mas realizável, plano de desenvolvimento econômico, que respeita e incentiva as vocações de cada região", disse.

Anthony Garotinho também afirma que, por meio da Faetec e das universidades estaduais, qualificará as pessoas para ocupar novas vagas de emprego, que serão criadas a partir da reestruturação das cadeias produtivas do estado.

"Vamos auditar também todos os contratos com suspeitas de superfaturamento. O mesmo vai acontecer com todos os benefícios fiscais, que obedecerá a critérios técnicos e terá, como contrapartida, a geração de emprego e o desenvolvimento local", explicou.

  • Mercado de trabalho

Em relação à geração de emprego, o candidato diz que vai reestruturar as cadeias produtivas do Estado, em especial as áreas do Petróleo, da Indústria Naval, de medicamentos, de Cosméticos e do Turismo.

"Quando assumi o Governo do Estado, em 1999, o Rio não produzia um carro, não gerava um emprego. Trouxe para o Rio a fábrica da Peugeot/Citroën, logo em seguida a MAN passou a produzir caminhões no estado", afirmou. Ainda segundo o candidato, hoje, o setor Automobilístico, como um todo, emprega mais de 10 mil pessoas.

"Vamos valorizar as vocações regionais. Vamos implantar um cinturão de terminais logísticos (portos secos), na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, para se dedicar ao tratamento de cargas em geral", promete Anthony Garotinho. 

  • Funcionalismo Público

Em relação aos servidores, o candidato afirma que, se eleito, "vai valorizar o funcionalismo público estadual". Como exemplo, Anthony Garotinho diz  que, quando assumiu o Governo do Estado, em 1999, o servidor público não tinha um calendário de pagamento. "Instituí um calendário fixo e nunca atrasei salário", afirmou.

"Vamos evitar terceirizações da força de trabalho, priorizando os servidores públicos concursados. Vou manter esforços para a implantação de planos de cargos e salários, para todas as categorias de funcionários", disse o candidato.

Para isso, Anthony Garotinho afirma que irá programar concursos públicos, com o intuito de preencher vagas existentes, renovar a força de trabalho e organizar categorias emergentes, assim como evitar disparidades de salários e regimes de contratação. Além disso, o candidato quer reativar o Instituto de Assistência dos Servidores do Rio de Janeiro (Iaserj), destruído, segundo ele, pelas últimas administrações.

  • Educação

Em suas propostas para a Educação, Anthony Garotinho diz que vai garantir recursos para as universidades estaduais, tanto para custeio, quanto para investimento. "Sempre valorizei as universidades estaduais. Quando fui prefeito de Campos, viabilizei a implantação da Uenf, e, no ano de 2000, garanti sua autonomia", afirma.

O candidato cita ainda a criação da Universidade Estadual da Zona Oeste (Uezo) e o primeiro sistema de cotas, implantado na Uerj. "Vou, inclusive, buscar a elevação dos valores das bolsas de ajuda de custo dada aos alunos cotistas das universidades estaduais", disse.

Entre as propostas, Anthony Garotinho diz que vai criar a Universidade do Professor, um programa de complementação da formação e atualização permanente dos docentes da rede estadual. "Vamos também ampliar a Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), para oferecer educação profissional gratuita, em diversos níveis de ensino, à população jovem e adulta, com a inclusão de cursos voltados para as profissões do futuro, como designer digital, desenvolverdor de games, entre outros", afirmou.

Além disso, o candidato propõe reinventar os chamados "brizolões", os antigos Centros Integrados de Educação Pública, com educação em tempo integral. "No turno da noite, será oferecido aos jovens o ensino de novas tecnologias", afirma. Para viabilizar a força de trabalho, Anthony Garotinho afirmou:

"Vamos realizar concursos para a Uerj, Faetec e para o magistério estadual".

  • Segurança

Para a Segurança do Estado do Rio de Janeiro, o candidato promete recuperar o Programa Delegacia Legal e reestruturar as unidades. Outra proposta é modernizar os batalhões da Policia Militar.

"Vamos transformá-los em Batalhões de Defesa Social, com serviços de defensoria, emissão de carteira de trabalho e encaminhamento de emprego, entre outros serviços sociais importantes para a população", garantiu Anthony Garotinho.

Além disso, o candidato afirma que irá implementar nestes batalhões também o programa de saúde da família policial, composto por uma equipe multidisciplinar para cuidar da saúde física e emocional dos policiais.

"É fundamental ainda retornar com o patrulhamento ostensivo. Vamos colocar a policia na rua! Para isso, vamos implantar o Grupamento Especial Tático Móvel (Getam), para patrulhamento de vias especiais. Esse modelo de patrulhamento, feito com um grupo de viaturas, combate principalmente roubo a carros, coletivos, sequestros relâmpagos e outros", disse. 

Outra proposta é o Programa Reservistas da Paz, nos centros de bairros da Zona Sul. "Utilizaremos jovens treinados recém-saídos do serviço militar, que ficarão sob a coordenação das forças de segurança do estado, para coibir, principalmente, pequenos delitos, como assalto a transeuntes 'saídas de bancos', roubos de celulares e outros", disse o candidato.

Além disso, Anthony Garotinho afirma que, se for eleito, vai ampliar o modelo de monitoramento por câmeras, com novas tecnologias, como drones, para a realização de investigação policial, levantamento de dados e monitoramento de áreas específicas.

O candidato deseja ainda retornar com a Corregedoria Externa Unificada e afirma que o concurso para a Polícia Civil terá continuidade. "Temos que devolver à Polícia Civil a capacidade de investigar crimes", garantiu. 

  • Saúde

Para a área da Saúde, Anthony Garotinho pretende implantar um plano de cargos e salários para os profissionais do setor, além de promover a realização de concurso para contratação de novos profissionais.

Segundo o candidato, a permanência das Organizações Sociais (OS's) nas unidades serão avaliadas caso a caso e terão seus contratos auditados. "As Organizações Sociais não terão o mesmo protagonismo na administração da Rede Estadual de Saúde que têm hoje", garantiu. 

Anthony Garotinho promete, se eleito, reabrir as clínicas populares, para pessoas com dependência química, e reorganizar o SUS no estado, além de promover a implantação de uma Central Única de Controle e Gerenciamento de Leitos Hospitalares, envolvendo todos os entes federativos.

"Utilizaremos tecnologias, como, por exemplo, o comando de ambulâncias através do sistema de GPS. Vamos implantar ainda programas de telemedicina assistenciais e saúde digital, que permitirão diagnósticos precoces, com tratamento imediato a distância, com a potencialização da competência médica instalada", afirmou.

  • Cedae

 FOLHA DIRIGIDA fez um questionamento sobre os planos de governo reservados para esta companhia.

Segundo Anthony Garotinho, a Cedae continuará sendo pública.

"Não vou apoiar a venda das ações da Cedae, por exemplo. A privatização não vai ser ruim apenas para os trabalhadores da companhia. Também pesará no bolso dos consumidores, além de prejudicar quem mora em áreas de baixa renda", afirmou. 

Garotinho fala para os leitores da FOLHA DIRIGIDA

O candidato, Anthony Garotinho, não pôde realizar a entrevista em vídeo, com a equipe da FOLHA DIRIGIDA, mas, assim como os outros candidatos ao governo do Rio de Janeiro, Garotinho também contou com um tempo para deixar sua mensagem aos leitores. 

"Eu tenho este sonho de voltar a governar o Estado do Rio de Janeiro. Tenho uma missão a cumprir. Quero colocar o Estado do Rio de Janeiro de pé. Eu já fiz isso uma vez, em 1999, quando encontrei o Estado do Rio de janeiro falido. Para isso, não basta ter vontade ou ser famoso. É preciso ter coragem, experiência e independência. Coragem não me falta, até por que venho denunciando diariamente, e até bem pouco tempo quase que sozinho, toda essa roubalheira vivida em nosso estado. Experiência porque, como disse, já fui governador deste estado e, lá em 1999, encontrei o governo igual ou pior do que está hoje e resolvi o problema. Eu sei o que é necessário fazer para colocar este estado nos trilhos novamente", concluiu.

Comentários