Versão nova do site ativada

Pós-pandemia: como serão aplicadas provas de concurso com segurança?

Virologista do IBMR fala sobre perspectiva de cenários pós-pandemia e novos procedimentos de segurança para aplicar provas de concursos.

05/06/2020 12:38 | Atualizado: 05/06/2020 21:25

05/06/2020 12:38 | Atualizado: 05/06/2020 21:25

Alguns estados brasileiros começam a flexibilizar as medidas de distanciamento social e diversos concursos públicos já têm provas marcadas para os próximos meses. Mas como serão os exames nesses primeiros momentos, enquanto ainda há um risco significativo de contágio do novo Coronavírus?

Dr Raphael Rangel, virologista do IBMR
Virologista fala sobre provas no pós-pandemia
(Foto: Arquivo pessoal)

Certamente as coisas ainda vão demorar para voltar “ao que era antes” ou talvez nem voltem, uma vez que os novos hábitos estão sendo adquiridos.

Para entender melhor como ficará este cenário, FOLHA DIRIGIDA conversou com Raphael Rangel, biomédico virologista do Centro Universitário IBMR.

Ele contou quais novos procedimentos de higiene e prevenção deverão ser adotados em provas de concursos nos próximos meses e o que poderá ser feito também pelos candidatos para se manterem mais seguros.

Rangel, além de Virologista, é Coordenador do Curso de Biomedicina do IBMR, Mestre em ciências biomédicas atuando com pesquisa clínica, e delegado do Conselho Regional de Biomedicina do Rio de Janeiro.

► FD NOTÍCIAS: tenha acesso ilimitado ao acompanhamento de concursos

Máscaras, sozinhas, não serão o suficiente para conter o vírus

Os cuidados básicos para diminuir a circulação do novo Coronavírus deverão ser mantidos, mesmo nos próximos meses. Isso inclui o uso de máscaras e a higiene correta e frequente das mãos. 

Mas o doutor Raphael esclarece que nem mesmo esses novos hábitos serão o suficiente em locais de aglomeração, como em provas de concursos, vestibulares, Enem e quaisquer outros tipos de seleção.

“O uso de máscara sem dúvida deixará o ambiente com menos vírus circulantes, mas caso haja muitas pessoas infectadas assintomáticas no local o risco é significativo e nem mesmo as máscaras darão conta.”

Por isso, mesmo daqui alguns meses, outros procedimentos, inéditos em muitos concursos, serão necessários. Salas de provas cheias, por exemplo, devem estar “fora de cogitação”, de acordo com o virologista. 

Toda aglomeração, do ponto de vista das orientações médicas, ainda precisarão continuar sendo evitadas. Mesmo que haja a retomada gradual de algumas atividades nas ruas.

Coronavírus: ainda vale a pena estudar para concurso público?

Como as provas deverão ser aplicadas no pós-pandemia

Tendo tudo isso em vista, o doutor Raphael alerta que o mais seguro atualmente é que essas provas, tanto quanto possível, sejam transferidas para ambientes virtuais. No caso de concursos, ainda não houve banca que se manifestou sobre a possibilidade de isso acontecer. 

Na maioria dos casos o que acontece é que os exames têm data marcada, mas os editais sinalizam a possibilidade de adiamento de acordo com a evolução da pandemia. Alguns concursos já chegaram a ter os cronogramas retificados mais uma vez desde a chegada da Covid-19 no Brasil. 

E mesmo daqui alguns meses, se a curva de contágio estiver mais controlada, outros procedimentos (já utilizados em vários locais) poderão ser adotados pelas bancas. Isso inclui a testagem de temperatura, por exemplo, ou sistemas de esterilização. 

Aplicar os exames em locais mais amplos, com estádios, também é algo que alguns consideram uma alternativa. Mas isso não dispensa outros cuidados de logísticas para evitar o contágio em grupo.

Questionado se esse tipo de medida ajudaria, o virologista responde:

“Somente se as cadeiras estiverem dispostas no gramado e com espaço de 1,5 metros entre elas. Mas grande questão não é somente a disposição das cadeiras, mas a logística de entrada e saída das pessoas no local, evitando aglomerações.” 

Menino com máscara em sala de aula
Após Coronavírus, novos procedimentos serão adotados em provas
(Foto: Reprodução/ Pixabay)

O novo normal: novos hábitos devem vir para ficar

Quando a pandemia vai acabar? Ninguém sabe. Mas uma coisa é quase que unanimidade entre especialistas da área de saúde: não devemos esperar que as coisas voltem a ser como antes. 

Assim como em outras pandemias que a humanidade enfrentou, essa também deixará marcas e novos hábitos de vida. E com as provas de concursos não será diferente, como espera o doutor Raphael.

“Dificilmente veremos o ‘como antes’. Teremos que achar uma maneira de aplicar provas dentro do novo normal. No qual o cuidado e a prevenção farão parte central dessa nova era.”

Sobre o cenário esperado para os próximos meses, ele explica que a Covid-19 se tornará endêmica em boa parte do mundo. Ou seja, haverá casos em regiões específicas durante todo o ano. 

O que reforça a ideia de que é necessário achar uma nova condição para essas situações. Todos deverão continuar com os cuidados básicos de higiene, com o uso de máscaras e manter o distanciamento social. “Só assim conseguiremos ‘sobreviver’ até a chegada da vacina".

Qual o real impacto do Coronavírus no mundo dos concursos? Entenda!

FOLHA DIRIGIDA também questionou o virologista a respeito de quanto tempo essa situação de restrições e distanciamento ainda deve durar. Quando as salas poderão ser cheias como antes e as provas aplicadas "normalmente"?

“Cedo para afirmarmos isso, só poderemos ter algo parecido com o que tínhamos antes quando a vacina for de fato criada”, explica. Após autorização da Anvisa na terça-feira, 2, a vacina contra Covid-19 desenvolvida em Oxford será testada no Brasil.

Confira algumas provas de concurso que estão marcadas

Como já mencionado, algumas provas de concursos já tem data marcada. Embora haja possibilidade de prorrogação, os candidatos devem ficar constantemente atentos às atualizações de cronogramas.

O mês de setembro têm destaque, com três importantes provas agendadas: concurso Depen, concurso PCDF e concurso Espcex.

A seleção para o Departamento Penitenciário Nacional terá seis etapas de avaliação: prova objetiva; prova discursiva; exame de aptidão física; avaliação médica; avaliação psicológica; investigação social.

Os dois primeiros exames, objetivo e discursivo, estão ambos previstos para o dia 6 de setembro. A seleção oferece 309 vagas, sendo 294 de nível médio e 15 de nível superior.

A Polícia Civil do Distrito Federal ainda não abriu o concurso para 1,8 mil vagas, mas as inscrições estão previstas para começarem no segundo semestre e as provas entre agosto e meados de setembro. O edital pode sair ainda este mês.

O concurso EsPCEx, com 440 vagas de nível médio para a Escola Preparatória de Cadetes do Exército, tem previsão de aplicar provas a partir de setembro. Serão duas etapas: um exame intelectual, nos dias 26 e 27 de setembro, e a inspeção e saúde, em janeiro.

Newsletter

Newsletter

Quer receber novidades sobre concursos?

Quer receber diretamente no seu e-mail as principais notícias dos concursos da sua região?

E de quebra dicas para seus estudo? Cadastre-se gratuitamente na newsletter FD para ter tudo isso!

Sobre o concurso

Noticiário

Especial - Noticiário

Nacional
Não informado
Fund...
Não informado

Preparação