Folha Dirigida Entrar Assine

Novo presidente do BNDES toma posse e descarta privatização do banco

Gustavo Henrique Moreira Montezano, novo presidente do BNDES, descarta privatização do banco em seu discurso de posse.

Nesta terça-feira, 16, ocorreu a cerimônia de posse do novo presidente do BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. O engenheiro Gustavo Henrique Moreira Montezano assume no lugar de Joaquim Levy, que pediu demissão em junho. 

Em seu discurso, Montezano apresentou as cinco metas de sua gestão para este ano e descartou a privatização do banco. A notícia é favorável à possibilidade de novos concursos públicos, já que o último foi há cerca de sete anos.

Em sua palavras o novo presidente do BNDES afirmou que a empresa não vai competir no mercado privado. Ele também frisou que seu papel é ser pioneiro e complementar à economia privada, mas jamais competindo com ela.

“Esse banco conhece o Brasil como poucos. Tem um corpo de técnicos de fazer inveja às principais instituições internacionais. Usar esse corpo para competir com a iniciativa privada seria um desperdício de talento, de energia e de foco.”

. Secretário descarta privatização do BB, Caixa, BNDES e Petrobras

As cinco metas anunciadas por Montezano para os próximos meses, até o final do ano, à frente do BNDES são:

  • explicar a caixa preta para a população brasileira;
  • acelerar a venda de participações especulativas em bolsa de valores que o banco ainda detém na ordem de 100 bilhões de reais;
  • concluir a devolução de recursos ao Tesouro Nacional de 126 bilhões de reais;
  • apresentar um plano trianual com orçamento, metas claras e um redimensionamento do banco; e
  • melhorar a prestação de serviços do banco, “permitindo que o gestão público não perca tempo e foco pensando em como pagar as contas, mas sim em como melhorar a vida do pagador de impostos.”
(Foto: Hoana Gonçalves/Ministério da Economia)
Gustavo Montezano é o novo presidente do BNDES
(Foto: Hoana Gonçalves/Ministério da Economia)

BNDES teve quadro de pessoal fixado em junho

Em junho deste ano o Governo Federal publicou a portaria que fixou o quantitativo de funcionários de 27 empresas públicas e sociedades de economia mista, dentre elas o BNDES. O documento foi assinado pelo secretário de Coordenação e Governança das Empresas e Estatais, Fernando Antônio Ribero Soares.

Com isso, o quadro do BNDES passou a conter 2.599 cargos no quadro permanente. Conforme estabelece a portaria, "compete à própria empresa gerenciar o seu quadro de pessoal, praticando atos de gestão para contratar ou desligar empregados".

Por isso, essas empresas têm autonomia para avaliar e autorizar a realização de concursos públicos para seus quadros. Vale destacar, contudo, que devem ser respeitados e observados os limites e as dotações orçamentárias aprovados para cada exercício.

Além do BNDES, foram fixados os quadros dos Correios, BB Tecnologia, Casa da Moeda, Eletronorte, Eletrobras, EBC, entre várias outras.

Governo federal fixa quantitativo de funcionários de 27 estatais
Portaria fixa limite de 53 mil vagas no quadro de pessoal da Ebserh 



Comentários