Dia do Marinheiro: confira os desafios e os concursos da Marinha

No dia do Marinheiro, confira as opções de concurso civil e militar para a corporação e os relatos de quem atua na área.

"Ser Marinheiro". Não é difícil encontrar por todos os cantos do país aqueles que sonham com este posto. Seja pela vontade da carreira militar, pela tradição ou pelos desafios proporcionados, a possibilidade de atuar pela Marinha do Brasil é objeto de desejo e, em geral, fonte de orgulho de quem chegou lá. 

Como forma de homenagem, é celebrado nesta sexta-feira, 13, o Dia do Marinheiro. Mas afinal, o que é ser um Marinheiro?

Em série publicada, a Marinha do Brasil divulgou relatos de seus profissionais, que contam suas motivações e principais desafios da carreira. 

A primeira delas é a primeiro-tenente Débora, que realizou o curso de Especialização em Guerra Anfíbia e se tornou a primeira mulher habilitada a comandar um pelotão de infantaria no Brasil.

Segundo ela, a motivação para entrar para a força armada veio depois que seu irmão foi aprovado no concurso para aprendiz. 

"Fiquei conhecendo que a Marinha tinha uma banda de música e que existia um concurso para sargento músico. Foi uma seleção muito difícil, pois só tinha uma vaga para o meu instrumento", conta.

A primeiro-tenente revela que o principal desafio foi o curso de especialização em guerra anfíbia. 

"Era uma novidade para o feminino, não tinha nenhuma mulher. A Marinha fez questão que o tratamento fosse igual, até porque em uma guerra ninguém vai tratar uma mulher diferente de um homem", disse.

Segundo ela, o momento que reconheceu essa grande vitória foi no término do curso, quando conseguiu chegar ao final de uma marcha de 42 km.

"Pensei que não conseguiria, que não fosse aguentar o peso da mochila, mas consegui.  Com muito apoio, dos meus pais, da minha família, do meu esposo e pela força divina", afirmou. 

Concurso Marinha mulheres (Foto: Marinha do Brasil)
Em 2018, Corpo da Armada e Corpo de Fuzileiros Navais 
também abriu inscrições para mulheres (Foto: Marinha do Brasil)


De acordo com Débora, sua maior superação na vida profissional foi essa inserção da mulher na parte operativa. 

"A mulher tem o diferencial com o seu olhar. Enquanto o homem tem um olhar focado em apensa uma situação, a mulher tem um olhar mais abrangente e isso com certeza faz diferença na hora do combate. A mulher é capaz de chegar aos mais altos cargos e exercer as funções de combate, como no meu caso. Há suas limitações sim, mas a mulher que quer chegar a qualquer lugar consegue com sua determinação e força!", afirmou. 

Quais concursos da Marinha aceitam mulheres? Veja a lista!

Capitão-Tenente leva esperança e atendimento 

Também contando sua trajetória, o capitão-tenente Saulo serve em um dos navios de Assistência Hospitalar da Marinha do Brasil, levando esperança à população ribeirinha do Pantanal.

Ele explica que estudou em escolas públicas e o ensino não o dava condições de passar no concurso. "Muitas vezes tive que abrir mão de confraternizações de família, de aniversários, em nome de um sonho, do meu objetivo que era entrar na Marinha. Além de ser uma realização pessoal, é uma realização para toda a família", disse. 

Saulo conta que tem dois exemplos de vida: sua avó, na parte de amor ao próximo, e sua mãe pela superação. 

"Minha mãe é uma guerreira! Abriu mão de fazer a faculdade dela para me ajudar. A minha principal superação foi conseguir transformar o navio numa equipe forte que deseja levar assistencia social à população ribeirinha. É transformar a minha saudade da família em atendimento à população. É você chegar e vê que você troca a sua saudade pelo sorriso de uma criança, levando esperança", afirmou emocionado. 

Para o capitão-tenente, servir na Assistência Hospitalar é uma possibilidade de riqueza de histórias. Ele conta que já vivenciou muitas vezes os ribeirinhos acenando na margem pedindo ajuda.

"E a gente parando o navio. Levo a esperança, de um trabalho digno, profissional, encarando minha profissão não apenas com seriedade, mas com prazer e alegria de pertencer a Marinha do Brasil", disse.

Concurso Marinha (Foto: Marinha)
Marinha tem atuação em navios de Assistência Hospitalar 
(Foto: Marinha do Brasil)

Professor recomenda dedicação e trabalho árduo

A pedido da FOLHA DIRIGIDA,  o professor Fabrício Lopes fez algumas recomendações para quem quer ingressar na corporação.

Segundo ele, é necessário primeiro ter um sonho, já que a carreira militar é dura, mas é recompensadora para os que a cumprem. O professor afirma que o preparo para o ingresso na Marinha é árduo e requer muita dedicação e, com isso, abnegação por parte do candidato.

"É uma concorrência nacional, logo, um desafio que requer o melhor do candidato. O preparo normalmente dura em média dois anos para a aprovação, dependendo do nível o qual o candidato quer ingressar. A maioria dos meus alunos aprovados na MB se sentem realizados e reconhecidos pela conquista de vestir a tão sonhada farda branca.”, diz

 

Concurso Marinha para carreira civil x militar

As oportunidades de ingressar na corporação são muitas. Há como entrar por concursos Marinha para civis, por concursos militares e também como temporário, pelo serviço militar temporário (SMV). Para civis, ou seja, aqueles que não pretendem seguir a carreira militar, os concursos disponíveis são os do:

  • Plano Geral de Cargos do Poder Executivo (PGPE);
  • Plano de Carreiras para área de Ciência e Tecnologia (PCC&T);
  • Plano de Carreiras e Cargos do Magistério Federal (PCCMF);
  • Plano de Carreiras dos Cargos de Tecnologia Militar (PCCTM).

Nestes casos, as escolaridades são os níveis médio e superior, dependendo da área. O processo seletivo é feito por prova escrita de conhecimentos específicos; inspeção de saúde e investigação social.

Já os concursos para a carreira militar costumam concentrar o maior número de vagas e diversidades de áreas de atuação, sendo eles: 

Concurso Escolaridade
Colégio Naval (CN) Ensino Fundamental
Escola Naval (EN) Ensino Médio
Escola de Aprendizes-Marinheiros (EAM) Ensino Médio
Corpo de Praças da Marinha (CAP) Ensino Médio Técnico
Quadro Técnico de  Praças da Armada (QTPA) Ensino Médio Técnico
Corpo de Engenheiros da Marinha (CEM) Ensino Superior
Corpo de Saúde da Marinha (CSM) Ensino Superior
Quadro Técnico (QT) Ensino Superior
Quadro Complementar da Armada, Fuzileiros Navais e Intendentes  (QC) Ensino Superior
Quadro de Capelães Navais (CAPNAV) Ensino Superior
Serviço Militar Voluntário para Praças Temporárias  Ensinos Fundamental e Médio Técnico
Serviço Militar Voluntário para Oficiais Temporários  Ensino Superior


Para os que desejam ser militar, é feita exigência de idade que, geralmente, vai dos 15 aos 36 anos, para o ingresso. As remunerações seguem uma tabela de soldos, ajustada anualmente. 

Marinha tem concursos abertos com 1.452 vagas

Atualmente, a Força Armada tem dois concursos com novos editais divulgados. Para o SMV Marinha praças estão em disputa 552 vagas, com exigência dos níveis fundamental, médio e médio/técnico, dependendo da função.

As oportunidades são distribuídas pelos nove distritos navais espalhados pelo Brasil e inscrevem até o próximo domingo, dia 15. Para se candidatar, é necessário acessar a página da Marinha  e seguir o passo a passo do edital.

O concurso de aprendiz marinheiro também já teve o edital publicado. Neste caso são 900 vagas para a carreira, destinada apenas ao sexo masculino. Os interessados devem ter o nível médio e idade entre 18 e 22 anos.

As inscrições serão abertas em 20 de janeiro e seguirão até 3 de fevereiro, pelo site de ingresso da Marinha.

► Concurso Marinha: 15 motivos para ser um oficial temporário

Comentários