Folha Dirigida Entrar Assine

Concursos Segurança-RJ: exame toxicológico poderá ser obrigatório

Projeto de Lei discute obrigatoriedade do exame para candidatos em concursos na área de segurança. Autor é delegado Carlos Augusto (PSD).

O processo de admissão em concursos da área de Segurança no Rio de Janeiro podem sofrer algumas modificações. Isso porque foi aprovado, em primeira discussão na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), o Projeto de Lei nº 738/2019.

O texto ainda será votado na Alerj em uma segunda discussão. Caso seja aprovado, o PL tornará obrigatório, no Estado do Rio de Janeiro, o exame toxicológico para a admissão de candidatos a todos os cargos nos seguintes quadros:

  • Polícia Militar;
  • Polícia Civil; 
  • Corpo de Bombeiros Militar; e
  • Agentes de Segurança Penitenciária.

O texto, de autoria do delegado Carlos Augusto (PSD), foi publicado no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro na última quarta-feira,14. De acordo com o documento, o exame toxicológico deverá ser custeado pelo candidato e terá caráter eliminatório. Esse deverá ser entregue na etapa de exame médico do concurso.

Além disso, os exames deverão ter a janela de detecção mínima de 180 dias. Caso o resultado do exame seja positivo, o concorrente terá o direito de apresentar contraprova, nos prazos e condições estabelecidos no edital do concurso público.

 De acordo com a justificativa do delegado, o exame toxicológico é de suma importância para o ingresso nas Forças de Segurança do Estado do Rio de Janeiro:

"Atualmente, nos concursos públicos das carreiras de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro não há a exigência de exame toxicológico. Desta forma, não convém que o ingresso nessas carreiras seja franqueado aos usuários de drogas, que teriam a facilidade do cargo para não só obtê-la como também disseminá-la. Além disso, a atividade de segurança pública não se compatibiliza com o uso de substâncias entorpecentes, ou seja, para manter a ordem pública existe a necessidade de preservar o discernimento e, assim, realizar as atribuições inerentes ao cargo." 

Ele ainda complementou: "Ademais, a utilização de armamento e equipamento especializado, além das ações específicas da atividade policial, torna a carreira diferenciada, incompatíveis com uso de drogas por estes servidores."

Exame toxicológico pode se tornar obrigatório em concursos na área de Segurança
(Foto: Divulgação)

PMERJ divulga convocação do concurso de 2014

A Polícia Militar do Rio de Janeiro divulgou, no dia 9 de agosto, nova convocação para o exame social e documental de 346 candidatos do concurso PMERJ 2014

Ao se tornar governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel se comprometeu a convocar 3 mil candidatos para o início do curso de formação em 2019. Até o momento, mil já foram chamados para as aulas. A expectativa agora é que as 2 mil convocações restantes ocorram até o final do ano.

O atual governo tem o objetivo de recompor o efetivo da corporação e reforçar o patrulhamento ostensivo das ruas. A incorporação dos aprovados só foi possível graças a um acordo entre o Estado e a Assembleia Legislativa (Alerj). A Casa se comprometeu a arcar com os salários dos PMs até o fim de 2020.

Prepare-se para os concursos de 2019:

A carreira de soldado tem como pré-requisitos o nível médio completo, de 18 a 30 anos de idade e Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Durante o curso de formação, os ganhos do soldado são de R$2.213,62. Após a formatura, o valor passa ao vencimento inicial de R$3.452,55.

Witzel promete contratar 12 mil policiais até 2022

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, afirmou que 12 mil policiais serão contratados até 2022. As declarações foram dadas em evento no Palácio Guanabara, em que o chefe do executivo fez um balanço das ações na Segurança Pública no Estado, durante o 1º semestre do ano. 

"Nós vamos formar 12 mil policiais até 2022. É a meta mínima. Pode ser que, com o apoio do corpo de fuzileiros navais, consigamos ampliar esse número. Mas, esses 12 mil policiais serão entregues aos vários municípios para ampliar a capacidade operativa dos batalhões", comprometeu-se o governador. 

Para atingir essa meta, o governo precisará abrir um concurso PMERJ. Serão necessárias cerca de 9 mil vagas nos próximos três anos. Já que as demais 3 mil serão preenchidas pelos remanescentes da seleção de 2014.

 Projeto de Lei propõe temporários na PMERJ e nos Bombeiros-RJ

A corporação ainda não se pronunciou sobre um novo concurso. Em resposta à reportagem disse que “ainda não há definição sobre realização de novos concursos. A convocação dos concursados de 2014 ao longo deste ano seguirá a programação já anunciada”.





Comentários