Folha Dirigida Entrar Assine

Sem concursos, EBC perdeu mais de 400 funcionários em três anos

Sem concurso, EBC apresenta perdeu mais de 400 funcionários em três anos. Reestruturação da empresa é meta do presidente Jair Bolsonaro.

Sem concursos, a EBC perdeu 449 funcionários de 2016 a 2018. Os constam em relatório de administração e demonstrações contábeis da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), publicado no Diário Oficial desta quinta-feira, dia 11.

No documento, a empresa aponta a redução de funcionários do quadro de pessoal, demonstrando a necessidade de realizar concursos públicos. Eles não ocorrem desde 2013.

O decréscimo no quadro de pessoal da EBC entre os anos de 2016 e 2018 é de, aproximadamente, 18,2%, sendo 17,75% no efetivo permanente e 0,45% no quadro não permanente. Em 2016 a empresa fechou o ano com 2.467 profissionais. Em 2017 o número diminuiu para 2.420.

Já em 2018, a EBC encerrou o ano com 2.018 funcionários em seu quadro. Desse total, 1.874 são efetivos e 114 empregados sem vínculo com a administração pública e ocupantes de cargos comissionados. Nesse último caso, seis profissionais ocupam funções comissionadas e 24 atuam sem função comissionada. Veja a distribuição dos profissionais por lotação:

Distribuição por lotação
DF RJ SP MA AM Outros Total
1.255 480 135 141 5 2 2018

 

Dos 2.018 empregados do quadro efetivo da EBC em dezembro de 2018, 263 estavam nomeados para funções comissionadas e 51 estavam cedidos para outros órgãos da administração pública. Assim, os 1.704 restantes formaram o quadro de pessoal da empresa.

Dois fatores contribuem para essa redução nos quadros da EBC: a política de redução de custos e a falta de realização de concurso público. O último da empresa foi realizado em 2013. 

Em julho de 2018 o déficit na EBC era de 182 profissionais. Sem perspectiva de realização de novo concurso público em breve, a tendência é que esse déficit aumente, por conta de vacâncias, exonerações, demissões e falecimentos.

Planejamento de estudos para concurso: a sua chance de aprender

Vale ressaltar que a reestruturação da EBC era uma das 35 metas prioritárias para os primeiros 100 dias de governo, completados na última quarta-feira, dia 10. No início deste ano o presidente Jair Bolsonaro chegou a cogitar a extinção da EBC. No entanto, a proposta foi descartada e um processo de reestruturação na empresa foi iniciado. 

De acordo com o governo, a ideia é adequar a empresa à proposta de otimização de despesas. O primeiro passo foi realizar um enxugamento no quadro de funcionários, onde foi feita a redução de 45 cargos comissionados. 

Reestruturação da EBC é uma das metas prioritárias do governo Bolsonaro
(Foto: Arquivo Agência Brasil)

EBC costuma fazer bom aproveitamento do cadastro de reserva

A Empresa Brasil de Comunicação realizou seu primeiro concurso em 2011 e ofertou na época 537 vagas. Um total de 2.574 candidatos foram convocados. 

Em 2013, uma nova seleção foi anunciada, desta vez com uma oferta de 64 vagas imediatas, além da formação de um cadastro de reserva. Nesse último concurso, 301 aprovados foram convocados, o que demonstra que a empresa, de fato, faz um bom aproveitamento de seu cadastro de reserva. 

A expectativa é que um novo concurso para a EBC ofereça vagas para as carreiras de analista de empresa de comunicação pública (nível superior), técnico em operações, de produção e manutenção e da área Administrativa (nível médio). São esperadas também vagas para jornalista e gestor de atividade jornalística. 

⇒ O que é concurso público? Descubra em 13 passos como funcionam as seleções

Nos dois últimos concursos, a EBC ofereceu oportunidades para áreas de atuação diversas, como: Advocacia, Contabilidade, Engenharia, Estatística, Medicina do Trabalho, Apoio Imagem, Auxílio Operacional, Programação, Jornalismo, Publicidade, Psicologia, Serviço Social, Tradução, Segurança do Trabalho, Administração, Enfermagem do Trabalho, entre outras. 

Com base no último edital da empresa, o salário inicial para o cargo de analista era de R$3.208, para uma carga de trabalho de 40 horas semanais. Para os técnicos o valor era de R$1.917, para uma jornada de 36 horas. O regime de contratação era o celetista.

Novas regras para autorização de concursos federais. Entenda! 

ASSINE

Para ter acesso a este conteúdo, notícias e preparativos

ASSINAR


Comentários