DPE-MT divulgou formação da comissão do concurso para área de apoio

A Defensoria Pública do Mato Grosso deu início aos preparativos de seu próximo concurso para área de apoio.

A Defensoria Pública do Mato Grosso divulgou no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira, dia 26, o nome dos servidores que integrarão comissão organizadora de seu próximo concurso. De acordo com a publicação, a seleção contemplará vagas para área de apoio.

Esta foi uma das decisões da 10ª Reunião Extraordinária do Conselho Superior da DPE-MT. Com o acatamento dos nomes indicados, o processo deve seguir para a Administração superior. O próximo passo será a publicação de uma portaria formalizando a formação do grupo.

O grupo será presidido pelo defensor Público-Geral, Dr. Clodoaldo Aparecido Gonçalves de Queiróz. Ficarão como defensores públicos suplentes a conselheira e defensora pública, Kelly Christina Veras Otácio Monteiro e o Presidente da AMDEP e defensor público, João Paulo Carvalho Dias.

Ainda farão parte da comissão os servidores Aline Regina Santana de Carvalho, João Maia de Oliveira, Marcus Vinicius Souza Ventura, João Vitor Ferreira e Silvio Jeferson de Santana.

FOLHA DIRIGIDA tentou contato com a Defensoria a fim de obter informações sobre os cargos que deve ser ofertados nesse concurso. No entanto, ainda não obteve retorno.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos de preparação para concursos

Pessoas assinando contrato
Portaria oficializando contratação será publicada em breve
(Foto: Pixabay)

DPE-MT não realiza concurso para área de apoio há quatro anos

O último concurso da Defensoria Pública do Mato Grosso foi realizado em 2015. A organizadora da seleção foi a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Foram oferecidas 109 vagas, sendo 80 para o nível médio e 29 para o nível superior. As vagas de nível médio eram para a carreira de assistente. Os candidatos poderiam escolher entre as funções de assistente de gabinete ou administrativo.

Já as oportunidades para o nível superior contemplavam a carreira de analista, nas funções de administrador, advogado, analista de sistemas, arquiteto, assistente social, contador, economista, engenheiro civil, jornalista e psicólogo.

A remuneração inicial para assistente era de R$ 1.566,96, podendo chegar a R$3.819,89 no fim de carreira. Já para analistas o valor era de R$3.917,39, podendo chegar a R$9.553,63. Em ambos os casos, a carga de trabalho era de 40 horas por semana.

• O que é concurso público? Descubra em 13 passos como funcionam as seleções

Prepare-se desde já para o concurso

Os candidatos foram avaliados por meio de uma prova escrita, de caráter eliminatório e classificatório. A avaliação foi composta por itens de Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico-Matemático, Conhecimentos Gerais e Específicos, para o nível médio. 

Os candidatos de nível superior responderão às mesmas disciplinas, exceto a de Raciocínio Lóghico-Matemático, que foi substituída por itens de Legislação Específica. Para esses concorrentes, a prova de Conhecimentos Específicos cobrou as disciplinas de:

  • Direito Administrativo
  • Direito Constitucional
  • Direito Civil e Processual Civil
  • Direito Penal e Processual Penal
  • Direito do Consumidor
  • Estatuto da Criança e do Adolescente

Quando começar a estudar para concurso? 

CADASTRE-SE

Para ter acesso a este conteúdo

CADASTRE-SE


Comentários