Concurso Degase-RJ: diretor defende aumento do número de servidores

Diretor-geral do Degase, Luiz André Monteiro, falou sobre aumento do número de servidores em reunião com promotores do MP-RJ.

O plano de trabalho do diretor-geral do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), Luiz André Monteiro, é favorável à abertura do novo concurso. Em reunião realizada com promotores de Justiça da Infância e Juventude na última sexta-feira, 8, ele defendeu o aumento do número de servidores. 

O encontro foi promovido pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ), por meio do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça da Infância e da Juventude. De acordo com o MP-RJ, a contratação de pessoal é uma das medidas apresentadas por Monteiro para melhorar as condições das unidades do Degase. 

Para abrir o concurso, a instituição precisa aguardar a aprovação do Projeto de Lei (PL) que cria 332 novos cargos em seu quadro. Segundo as últimas informações transmitidas pela Assessoria de Imprensa, a proposta seria enviada para a Casa Civil e depois à Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj). 

Se aprovado o PL, o concurso deverá ser aberto em 30 dias contados a partir de então. A expectativa é que todo o trâmite seja concluído no primeiro semestre, mas ainda não foi divulgada previsão oficial para abertura da seleção.

Degase (Foto: Divulgação/ Novo Degase)
Concurso Degase depende de aprovação de PL na Alerj
(Foto: Divulgação/ Novo Degase)

O déficit de agentes é um dos principais problemas enfrentados na instituição há anos. O presidente do Sindicato da categoria - Sind-Degase -, João Rodrigues, já falava, em 2016, sobre como a falta de agentes prejudica o serviço das unidades

“O sistema está superlotado, tem quase o dobro de menores infratores. Temos um agente para cada 30 adolescentes. Esses profissionais estão fazendo um esforço sobre-humano. É um desgaste muito grande."

Agentes têm vencimento inicial de mais de R$2 mil

O novo concurso do Degase vai contar com vagas de agente socioeducativo, cargo que exige nível médio. Ele é o único que foi citado na ação judicial que determinou a abertura da seleção

Contudo, ainda é possível que outras carreiras sejam contempladas. As oportunidades, em um primeiro momento, serão todas para trabalhar na cidade do Rio de Janeiro.

A remuneração dos agentes socioeducativos é de R$2.822,57. O valor é composto por R$2.572,57 de salário base e R$250 de auxílio-transporte. Os servidores ainda têm direito a auxílio-alimentação.

O último concurso do Degase foi realizado em 2011, com 500 vagas nos níveis médio, médio/técnico e superior. Dessas, 324 eram para agentes socioeducativos. A avaliação foi por meio de redação e uma prova objetiva com 50 questões sobre Português, Raciocínio Lógico, Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos. 





Comentários