Concurso CRO-SP: banca RBO é a mais cotada para ser organizadora

O concurso para o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo deve confirmar a banca organizadora em breve. RBO alcançou a maior pontuação

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo divulgou nesta terça-feira, 3, o resultado da tomada de preços das empresas que pretendem organizar o concurso CRO-SP. A publicação foi feita no Diário Oficial da União. 

O documento comprova, através de pontuação, que a empresa escolhida foi a RBO Serviços Públicos e Projetos Municipais. Porém, as demais participantes do processo licitatório ainda poderão entrar com recursos.

Veja a classificação:

  • 1ª RBO Serviços Públicos e Projetos Municipais com as seguintes notas: Nota Financeira: 0,24; Nota Técnica: 0,6; Nota Global: 0,84.
  • 2ª Sarmento Concursos Ltda. Epp. com as seguintes notas: Nota Financeira: 0,39; Nota Técnica: 0,41; Nota Global: 0,80.
  • 3ª Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro - IDIB, com as seguintes notas: Nota Financeira: 0,4; Nota Técnica: 0,32; Nota Global: 0,72.
  • 4ª Integri Brasil Projetos e Serviços Integrados Ltda. Epp. com as seguintes notas: Nota Financeira: 0,27; Nota Técnica: 0,27; Nota Global: 0,54.
(Foto: Reprodução/ Diário Oficial da União)
(Foto: Reprodução/ Diário Oficial da União)

Somente após a análise dos recursos poderá ser confirmado que a RBO é a banca do concurso CRO-SP. Porém, é mais provável que a empresa se mantenha como a escolhida, tendo em vista que obteve a maior pontuação na tomada de preços. 

A reportagem da FOLHA DIRIGIDA tentou acesso ao edital da licitação, por meio do qual seria possível obter informações sobre o número de vagas e os cargos que serão ofertados no concurso públicos. Porém, o documento não foi publicado com acesso aberto no Portal da Transparência. 

A nova seleção é aguardada desde julho, quando o CRO-SP anunciou o Programa de Desligamento Voluntário, medida administrativa que já dava indício de que um novo concurso para o órgão estava previsto.

Em agosto as expectativas foram confirmadas, com o início do processo licitatório para escolha da banca. O evento com as propostas técnicas aconteceu no dia 24 de outubro.

CRO-SP precisou dispensar funcionários admitidos sem concurso

O Programa de Desligamento Voluntário do CRO-SP foi publicado no Diário Oficial da União do dia 21 de junho deste ano. A realização de um novo concurso estava entre os principais pontos para a adoção dessa medida.

De acordo com a publicação, todos os funcionários admitidos sem concurso público no Conselho Regional a partir de 18 de maio de 2001 deveriam ser dispensados imediatamente. O setor de Recursos Humanos ficou responsável por elaborar um relatório listando todos os profissionais nesse perfil.

O texto ainda apontou a necessidade de implantação de um Plano de Carreiras, Cargos e Salários do Conselho. O novo concurso CRO-SP deverá ofertar vagas o suficiente para preencher o déficit oriundo dessas dispensas, além de formar um cadastro de reserva para futuras vacâncias.

Assine a Folha Dirigida e turbine os estudos

Último concurso CRO-SP ofertou remuneração de até R$5 mil

O último concurso para o CRO-SP aconteceu há quatro anos e teve a oferta de 39 vagas imediatas e formação de cadastro de reserva. Os salários variaram entre R$1.378,74 e R$5 mil.

♦ Reforma Administrativa: entenda as novas regras para o serviço público

Na ocasião, as oportunidades foram divididas pelas cinco microrregiões que compõem as Delegacias Seccionais do Conselho paulista: Campinas, Araçatuba, Bauru, São José dos Campos e São Paulo. 

As oportunidades foram para os cargos de auxiliar administrativo, auxiliar de serviços gerais, motorista, telefonista, advogado júnior, analista de suporte, assistente administrativo, assistente contábil, bibliotecário, fiscal e programador. Para concorrer era preciso ter ensino médio completo ou graduação completa mais registro no órgão que regula a profissão. 

A taxa de inscrição foi de R$52,30 (nível médio) e R$83,40 (nível superior). A organização do concurso ficou sob responsabilidade da Fundação Vunesp. 

A seleção dos candidatos foi feita por meio de prova objetiva, composta por questões de Língua Portuguesa, Matemática e Atualidades, para os cargos auxiliares. Os inscritos nas demais funções responderam, ainda, questões de Conhecimentos Específicos. 

A prova para o cargo de advogado júnior foi diferenciada, com questões de Língua Portuguesa e Conhecimentos Específicos. Além disso, os candidatos tiveram que elaborar uma prova prático-profissional. 

Os inscritos na função de fiscal passaram por avaliação escrita, correspondente a um relatório técnico, enquanto os concorrentes para o cargo de motorista fizeram uma prova prática. 

Comentários