CRM MG define organizadora de seu próximo concurso público

O CRM MG anunciou nesta sexta-feira, dia 22, a contratação, por Dispensa de Licitação, da banca organizadora de seu próximo concurso.

O Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM MG) anunciou nesta sexta-feira, dia 22, a contratação da banca organizadora de seu próximo concurso. Segundo a publicação feita no Diário Oficial da União, a organizadora escolhida foi a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep).

A banca foi definida por meio de Dispensa de Licitação.  As instituições (CRM MV e Fundep) já formalizaram a contratação, com a assinatura do contrato entre as partes. O prazo de vigência do contrato ficará válido até o dia 11 de maio de 2021.

Ainda de acordo com a publicação, o concurso ofertará vagas para os cargos de analista de Departamento Pessoal e Contábil, estatístico e analista de Licitações. O quantitativo de vagas ainda não foi anunciado.

 Fique por dentro de todas as novidades sobre concursos públicos

CRM-MG

Saiba tudo sobre o concurso CRM MG

  • Órgão: Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais
  • Cargos: analista de Departamento Pessoal e Contábil, estatístico e analista de Licitações
  • Vagas: a definir
  • Banca organizadora: Fundep
  • Edital: a definir

Último concurso CRM MG foi realizado em 2017

O último concurso CRM MG foi realizado em 2017. Na época, foram ofertadas seis vagas, mais formação de cadastro de reserva, para cargos de níveis médio, médio/técnico e superior.

No nível médio, as vagas eram para a função de agente administrativo. Para técnicos, foi contemplada a vaga de técnico de contabilidade. E no nível superior, as chances eram para as carreiras de médico fiscal e bibliotecário. 

Para cadastro de cadastro de reserva, as oportunidades eram para agente administrativo. Além das vagas de agente de fiscalização, almoxarife, técnico de contabilidade, técnico de informática, administrador de rede, analista de sistemas, jornalista, médico fiscal, bibliotecário, advogado e contador.

O regime de contratação dos profissionais era o celetista. As remunerações variavam de R$3.779,72 a R$6.888,12. Os servidores ainda teriam direito a alguns benefícios, como auxílio-alimentação, vale transporte e plano de saúde.

+ Coronavírus e concursos: coach fala sobre metas e ansiedade

Candidatos fazendo prova
Em 2017, todos os candidatos foram submetidos a uma etapa de
prova objetiva (Foto: Divulgação)
 

O concurso foi organizado pela Gestão de Concursos. Na época, os candidatos foram avaliados por meio de avaliados por meio de prova objetiva e redação, sendo esta última destinada, apenas, aos candidatos de níveis médio e técnico. Ambas avaliações tinham caráter classificatório e eliminatório.

A prova objetiva para os níveis médio e técnico foi composta por 40 questões. Já os candidatos às vagas de nível superior responderam a 50 itens. 

As disciplinas exigidas variaram de acordo com o cargo concorrido e nível de escolaridade. No geral, foram cobrados itens de Língua Portuguesa, Matemática, Legislação, Informática e Conhecimentos Específicos.

O concurso teve validade de dois anos, prorrogáveis por igual período. Os aprovados no concurso poderiam ser lotados em diversas cidades mineiras, conforme especificado no edital da seleção na época, além da capital, Belo Horizonte.