Polícia Civil-BA: candidatos reclamam do nível das provas aplicadas

FOLHA DIRIGIDA conversou com alguns candidatos do concurso PC-BA. Eles falaram sobre o nível da prova, a segurança no local e mais.

As provas objetivas do concurso da Polícia Civil da Bahia, aplicadas no domingo, 22, têm sido tema de polêmica entre os candidatos desde então. Logo após o término da prova, os participantes começaram a questionar a complexidade das questões, a duração do exame, a nota de corte de 70%, entre outros pontos. O assunto foi debatido principalmente nas redes sociais.

Em um grupo do Facebook destinado aos candidatos da seleção PC-BA, o maior número de reclamações estava relacionado ao cargo de investigador. Os candidatos alegam que a Vunesp, a banca do concuros, não fez uma prova condizente com o que costuma cobrar. Além disso, foi pontuado que a avaliação não foi bem fiscalizada. Veja o que alguns deles disseram:

Denize Mattos da Silva - "Achei a prova extensa e extremamente complexa para o período de tempo disponibilizado. Prova de 100 questões objetivas  com duas questões subjetivas. Acho que deveria ter menos questões ou aumentar o período de resolução da prova, ou até mesmo diminuir a complexidade."

Mirella Alícia - "Oxi! Prova difícil nível juiz. Salários baixos para o cargo, nível de dificuldade gigantesco. Nota de corte surreal. Outros estados fazem provas com o nível de dificuldade coerente com o cargo e têm salários e condições muito melhores. Injusto com quem estudou."

Candidatos PC-BA comentam sobre prova

 

Leleco Rodrigues - "A prova não teve nenhuma segurança, nem sequer vi um detector de metais, todos entravam com o que queriam dentro de mochilas, sacolas, bolsas para a sala e permaneciam com tudo durante a realização das provas. Não tinha segurança dentro dos banheiros, apenas um fiscal por sala. Além de o tempo para realização do exame ser curtíssimo, não permitiu fazer um bom trabalho, foi tudo corrido, uma verdadeira vergonha por parte da Vunesp. Decepcionado."

Caroline Brandão - "Fugiu completamente do perfil da banca, prova difícil. Fiscalização péssima, mesmo após entrar na sala, uma das candidatas simplesmente ficou com celular. Até ligação ela realizou e ficou no maior papo. E a fiscal, nem aí."

Embora a insatisfação com as cinco horas para a resolução das provas objetivas e discursivas tenha sido quase unanimidade entre os concurseiros, alguns deles consideraram justo o nível das questões cobradas.

Edler Júnior - "Foi difícil? Foi. Pegou todo mundo de surpresa? Pegou. No entanto acredito que exista, sim, um grande número de candidatos que conseguiram fazer os 70% de acerto no sacrifício. Agora é só aguardar o que vem por aí."

Amanda Santos - "A prova não estava tão difícil, porém talvez eu pense isso porque sou estudante de Direito. Quem não é da área deve ter tido muita dificuldade, mesmo quem estudou. Outro detalhe: prova muito grande, 100 questões mais duas discursivas. Avaliação imensa, com uma quantidade de assunto absurda. Para variar ainda decidem em fazer de caneta preta para atrapalhar ainda mais o candidato."

Daniella Lima - "Como a prova é para nível superior estava adequada, entretanto, muito extensa por haver duas questões de estudo de caso para o cargo de delegado."

Gabaritos PC-BA já estão disponíveis

Os concurseiros que estão participando do concurso da Polícia Civil da Bahia já podem conferir o gabarito provisório da prova objetiva. O documento foi divulgado no site da banca Vunesp no dia 23 de abril. Segundo o edital do concurso, o prazo de recurso contra o gabarito estará disponível entre os dias 24 e 25 de abril, também no site do organizador.

Quem está ansioso pelo resposta das provas discursivas, só terá acesso ao resultado provisório no dia 15 de junho, mesma data que o resultado final da prova objetiva será anunciado. Já as respostas finais da prova discursiva serão publicados no dia 6 de julho.

Concurso PC-BA tem oferta de mil vagas

No edital do concurso da Polícia Civil-BA são oferecidas mil oportunidades para as três carreiras: delegado (82), escrivão (38) e investigador (880). As remunerações iniciais variam de R$ 1.074 a R$4.374, dependendo do cargo escolhido.

Os contratados cumprirão jornada de trabalho de 30 horas semanais. Todos exigem nível superior de formação. Para o delegado, a especialidade exigida é a graduação em Direito, enquanto para o investigador e escrivão em qualquer área, mas o primeiro requer ainda Carteira de Habilitação na categoria B. 

Prepara-se para o Teste de Aptidão Física!

Um dos segredos dos aprovados em testes físicos de concursos públicos é: preparação antecipada! Quem garante é o preparador físico Elon Junior, que tem anos de experiência na orientação de concurseiros para esse tipo de exame. Nesse vídeo, ele lista algumas dicas para você ser aprovado no teste de aptidão física.

Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida