Folha Dirigida Entrar Assine

Concurso CGU: em entrevista, ministro da Transparência detalha déficit de pessoal

Em entrevista, ministro da Transparência e CGU, Wagner de Campos Rosário, fala sobre concurso CGU.

Ministro da Transparência e CGU, Wagner Rosário, se empenha por concurso CGU 2017/2018
"Tenho procurado agir para o fortalecimento da CGU”, diz ministro
Wagner Rosário (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
A autorização do concurso CGU 2017/2018, para 620 auditores, precisa entrar na lista de prioridades do governo federal.
 
O alerta é do ministro da Transparência, Wagner de Campos Rosário, que, por e-mail, deu entrevista exclusiva à FOLHA DIRIGIDA.

Segundo o titular da CGU, o déficit de pessoal no órgão, de 700 servidores, aumentará nos próximos meses.
 
A previsão, segundo levantamento da CGU, é que 437 profissionais efetivos da CGU possam se aposentar até 2020, sendo 309 auditores.
 
Se isso se confirmar, o órgão ficará com apenas 1.802 profissionais na ativa, de 3 mil necessários. “Demonstro especial atenção sobre o tema e tenho procurado agir para o fortalecimento da CGU”, destacou o ministro.
 
Confira abaixo entrevista exclusiva com o titular da CGU.

FOLHA DIRIGIDA - Qual a necessidade real de auditores na CGU hoje? É realmente de 620 servidores?
Ministro Wagner Rosário - Existe a necessidade de fortalecimento institucional, em razão da crescente demanda por ações de controle e combate à corrupção, considerando as vacâncias previstas em curto período de tempo. Inicialmente, o número de 620 servidores acrescidos ao quadro da carreira de Finanças e Controle atenderia a presente necessidade imediata, podendo essa carência ser ampliada, a depender de circunstâncias imprevisíveis. O número de vagas para auditor (antes, analista), previsto no Decreto nº 4.321, de 5 de agosto de 2002, é de três mil para a CGU. Mesmo que seja aprovada a convocação de 620 servidores pelo concurso solicitado, o número de vagas previsto no Decreto ainda não será alcançado, tendo em vista, inclusive, as vacâncias previstas até a contratação dos novos aprovados.

O Unacon Sindical revelou que muitas aposentadorias vêm acontecendo, em virtude da reforma da previdência anunciada. Quantos profissionais estão próximos de se aposentar? Até o fim do ano quantas aposentadorias podem acontecer?
A nota técnica da CGU ao Ministério do Planejamento detectou a previsão de 437 servidores que poderiam ser aposentados de 2016 a 2020, sendo 309 auditores federais de finanças e controle e 128 técnicos federais de finanças e controle. Caso essa previsão se concretize, restarão 1.802 servidores da carreira de Finanças e Controle, sem considerar outras possíveis vacâncias por outros motivos que não a aposentadoria.  A nota técnica aponta que, para manter a mesma força de trabalho do ano de 2011 (com 2.494 servidores na Carreira naquele ano), até o ano de 2020 deveriam entrar cerca de 983 novos servidores, considerando a média histórica de vacâncias por diversos motivos. A mesma nota prevê o número total de aposentadorias em 2016 e até o final de 2017 de 245 servidores da carreira. Até o momento, o número real de servidores da carreira Finanças e Controle aposentados, em 2016 e 2017, é de 145, com o seguinte detalhamento: em 2016, 32 auditores e 36 técnicos, totalizando 68 servidores aposentados no ano passado; e, em 2017, 32 auditores e 45 técnicos, totalizando 77 servidores aposentados até esta data no corrente ano. Existem ainda 181 servidores que preencheram os requisitos para a aposentadoria.
 

Ministro detalha carência de pessoal por CRUs



Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida

Comentários