Folha Dirigida Entrar Assine
Witzel é contra privatização da Cedae e concurso pode sair em 2019

Witzel é contra privatização da Cedae e concurso pode sair em 2019

Com posição contrária à privatização da Cedae, o novo governador do Rio de Janeiro pode autorizar o concurso Cedae no próximo ano.

Governador eleito no Rio de Janeiro com 59% dos votos, Wilson Witzel é contra a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgoto. Isso pode ser uma boa notícia para aqueles que aguardam a abertura de um novo concurso para Cedae.

A retomada dos preparativos do edital está prevista no Acordo Coletivo de Trabalho da companhia até 2020. Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, o atual presidente da Companhia, Jorge Briard, adiantou que deixará os trabalhos do concurso prontos até o final de sua gestão, em dezembro.

A divulgação ou não do edital ficará sob responsabilidade do novo gestor da companhia, nomeado pelo governador Witzel. Como o chefe de governo é favorável que a Cedae permaneça estatal, o concurso poderá ser aberto no próximo ano.

“É uma tarefa desta Administração deixar um processo todo instruído para que fique em condição de tomada de decisão da próxima gestão. Com certeza, o assunto de concurso público será retomado com o novo governador". 

A Companhia, por exemplo, já contatou possíveis bancas organizadoras do concurso. A informação foi confirmada pelo atual presidente da companhia e consta em nota divulgada pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Purificação e Distribuição de água e em Serviços de Esgotos de Niterói (STIPDAENIT). 

(Foto: Reprodução Facebook)
Witzel é contrário à privatização da Cedae (Foto: Reprodução Facebook)

 

"Nós fizemos contatos preliminares com todas as bancas do Brasil que promovem concursos públicos para entender a dinâmica, quais são os modelos de contratação possíveis, qual o prazo de cada uma para elaborar o edital. Isso também para deixar o processo bem instruído para quem vir administrar a Cedae já tenha elementos para uma tomada de decisão". 

'Cedae não vale R$3 milhões, vale mais que isso', disse Witzel

A venda da Cedae é uma das exigências do Rio de Janeiro ao aderir, em junho de 2017, ao Regime De Recuperação Fiscal (RRF) - que suspendeu o pagamento de dívidas com a União.

Wilson Witzel, do Partido Social Cristão (PSC), critica tal regime. O novo governador considera que o acordo foi mal feito, dentre os motivos está a questão da Cedae. Ao ser questionado se seria favorável a privatização da companhia, foi enfático ao dizer que “não”.

“Isto foi feito da pior forma possível. Um governo cambaleante fez um acordo com um banqueiro, o Henrique Meirelles. Ele pegou a Cedae como garantia num preço vil – a Cedae não vale R$3 bilhões, vale muito mais do que isso – e nós estamos em vias de perder a estatal por esse valor.”

Um de suas promessas de governo é rever esse acordo. Ele quer levar uma proposta ao presidente da república eleito, Jair Bolsonaro, visando à adequação do pagamento das dívidas do estado de acordo com a receita.

Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA no ‘Especial Eleições 2018’, Witzel salientou  que foi apresentado um plano para redução de despesas, mas não se apresentou um plano para a recuperação econômica do estado, o que considera que foi a grande falha.

Cedae pode oferecer 200 vagas no concurso para níveis médio e superior

No momento, a Administração da Cedae realiza o levantamento de cargos vagos para fechar o quantitativo de vagas do concurso. O presidente Briard detalhou que estão em análise a documentação, quadro básico de pessoal e o número de necessidade por carreira. 

"Eu, hoje, tenho a convicção da necessidade de recomposição do quadro de pessoal da empresa. Principalmente, porque estamos fazendo um volume grande de obras e que tem colocado uma boa quantidade de unidades operacionais em nosso parque. E, para gerar esse sistema, é preciso de pessoas". 

Briard, em 2017, disse que poderiam ser oferecidas 200 vagas em cargos dos níveis médio, médio/técnico e superior. Segundo o atual presidente da Companhia, as carreiras contempladas seriam: auxiliar de operação, operador de tratamento de água, instalador de água, operador de elevatória, agente administrativo e operador de tratamento de esgoto, mecânico e eletricista.

As remunerações são de R$2.855,03 para auxiliar; R$3.409,76 para operador de tratamento de água, instalador de água e operador de elevatória; R$3.653,97 para agente administrativo e R$4.465,75 para operador de tratamento de esgoto. Os vencimentos dos eletricistas e mecânicos ainda não foram informados.

A Cedae também deverá oferecer oportunidades para especialista, analista, técnico em eletromecânica, técnico em saneamento e técnico em laboratório. Esses cargos, no entanto, ainda dependem de criação, não tendo salários confirmados.

No vídeo abaixo, confira a entrevista completa, realizada em setembro, com o então candidato Wilson Witzel: 



Comentários