Conheça o agente da PF que auxilia pessoas para concursos públicos

O agente administrativo da PF, Pablo Ribeiro, conta sobre os concursos que fez e como criou o projeto que auxilia pessoas rumo à aprovação.

Ser aprovado em um concurso público demanda tempo e dedicação. Mas, ajudar pessoas a estudarem para concursos públicos, de forma voluntária, pode ser considerada uma vocação. Essa é parte da história de Pablo Ribeiro, agente administrativo da Polícia Federal, que, após a aprovação no concurso, não deixou de lado a rotina de aprendizado. 

Em 2012, antes da sua aprovação nos concursos do Pedro II e da Polícia Federal, Pablo Ribeiro e mais um amigo, Fernando José, criaram o projeto social "Mudando de Vida". O objetivo: auxiliar e incentivar pessoas nos estudos para concursos públicos, com base no voluntariado.

"Adquiri algumas experiências no universo dos concursos e não queria guardar isso para mim. Por isso, decidi compartilhar as dicas e orientações que havia aprendido. Tentei retribuir a ajuda que recebi de Deus, familiares e amigos durante meus estudos", explica Pablo.

Pablo Ribeiro agente administrativo da PF (Foto: Divulgação)
Pablo Ribeiro agente
administrativo da PF (Foto: Divulgação)

Com o amigo, ele auxilia pessoas que carecem, por falta de conhecimento, nos estudos para concursos.

"Uma das funções do projeto é disseminar informações que possam servir para a melhoria dessas pessoas", explica Pablo.

Segundo ele, muitas pessoas não sabem que é possível receber quase R$8 mil iniciais tendo apenas o nível médio completo, como no caso do cargo de técnico do MPU.

"Além disso, outros não sabem que existe isenção da taxa de inscrição para hipossuficientes, assim como cotas para negros, pardos e pessoas com deficiência", diz o atual agente da PF.

No projeto Mudando de Vida, Pablo explica que são oferecidas atividades que envolvem aulas, simulados, exercícios, instruções, palestras com servidores públicos e muita motivação. "Não há cobrança de taxa ou matrícula, todas as atividades são gratuitas", reforça o agente.

Veja outros Casos de Sucesso:

Mais de 35 concursos até a aprovação em 2014

Durante anos, Pablo Ribeiro se dedicou aos estudos. O sonho: a carreira pública. Até chegar ao cargo de agente administrativo na PF, ele passou por mais de 35 concursos, o que lhe rendeu experiência em relação à rotina de estudos e alguns "sacrifícios".

Fiz mais de 35 concursos, a maioria para a carreira administrativa, e fui aprovado no Colégio Pedro II, Polícia Federal, Superior Tribunal Militar e Ministério Público da União (MPU). Meu primeiro concurso foi para o cargo de técnico administrativo da Acine, em 2012", explica Pablo. 

As quatro aprovações, segundo Pablo Ribeiro, são fruto de uma rotina de estudos e dedicação. Na maior parte do tempo, ele conta que estudou em casa, por meio de videoaulas, PDFs e exercícios online.

Além disso, o atual agente da PF precisou abdicar de algumas coisas até a aprovação. Entre elas, a matrícula no curso superior de Serviço Social, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), em 2013. Para ele, o foco era somente nos concursos.

"Abandonei hábitos incompatíveis com a minha preparação. Dormia menos, fiquei distante de distrações, aprendi a ter responsabilidade com os estudos. O apoio da família e amigos foi muito importante, sem esse apoio seria muito mais difícil conquistar um cargo público", conta Pablo Ribeiro.

grupo no Telegram

Conheça os 3 fatores para a aprovação

Para Pablo, o maior motivo, na escolha pelo concurso público, era a meritocracia no acesso aos cargos públicos efetivos.

"Eu sabia que a conquista da vaga só dependia de mim. Não precisava ter experiência, ser bonito, magro, alto ou conhecer alguém da empresa para dar uma 'força'", diz ele.

Para Pablo, parte do seu sucesso com a aprovação veio da fé. Segundo ele, é preciso acreditar naquilo que não se pode ver, naquele determinado momento, e saber que existe e que a única coisa que separa você do seu objetivo é o tempo.

"Minha fé foi tão grande que, no ano de 2012, fiz um vídeo dizendo que seria classificado e que faria outro após a classificação para comprovação", comenta o atual agente administrativo da PF.

Em segundo lugar, Pablo Ribeiro atraibui a conquista devido ao apoio da família.

"Meus pais e minha esposa fizeram a diferença na minha classificação. Meu primeiro livro para concursos foi dado por meus pais, um livro de preparação o concurso da Ancine de 2012", diz ele.

Por último, mas não menos importante, Pablo fala que a persistência foi um fator decisivo. Para ele, geralmente é preciso ser derrotado várias vezes até conseguir a primeira vitória e no concurso público não foi diferente.

"Reprovei 21 vezes até a minha primeira classificação. É preciso fazer muitas provas, simulados e exercícios", indica Pablo Ribeiro..

A escolha pelo concurso PF

Com a aprovação, Pablo fala sobre a escolha pela PF. Segundo ele, em 2014, trabalhou 15 dias no cargo de assistente em administração do Colégio Pedro II. No mesmo ano, no entanto, foi nomeado para o cargo de agente administrativo da Polícia Federal, o qual ocupa atualmente.

"Minha escolha foi baseada na oportunidade de trabalhar em uma instituição conhecida e amada pela maioria dos brasileiros e que faz um trabalho fundamental para a manutenção da segurança pública e da democracia", explica Pablo.

Por fim, Pablo Ribeiro deixa uma mensagem para aqueles que, assim como ele, têm a carreira pública como um objetivo.

"A educação transformou minha vida e, se fosse necessário, faria tudo novamente", explica ele. "O processo até a classificação é muito difícil, mas a recompensa também é muito grande. É um sistema, quanto mais se esforça, maiores e melhores são seus frutos. Além disso, entrem no serviço público para fazer a diferença, prestando um bom trabalho e, realmente, servindo ao público", conclui.

Prepare-se para concursos em 2019!

Inicie seus estudos!

Comentários