Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Casos de sucesso: aprovado no IME diz que o segredo é não desistir

Casos de sucesso: aprovado no IME diz que o segredo é não desistir

Aprovado no concurso do Instituto Militar de Engenharia conta sua trajetória até a aprovação. IME está com inscrições abertas.

Concurso IME (Foto: Arquivo Pessoal)Aprovado no concurso IME, Gabriel Flintz, 19 anos, é um representante do sonho de muitos jovens. Vencendo a concorrência, ele conquistou uma das 75 vagas a nível nacional e ingressou, em 2018, no Instituto Militar de Engenharia.

A pedido da FOLHA DIRIGIDA, o jovem conta um pouco da sua trajetória. Segundo Gabriel, diferente de muitos candidatos, a vida militar não era seu sonho de infância ou até mesmo seu foco na adolescência.

Isso mudou quando cursava o ensino médio no Elite Rede de Ensino. "Era um bom aluno e me destacava. No segundo ano fui chamado para ir para uma turma especial “IME e ITA júnior”, que seria a primeira do Elite. Não sabia o que era o IME e neste ano não quis me dedicar”, diz.

Ao passar para o terceiro ano, o jovem decidiu ir para a turma IME. “Foi aí que conheci o instituto, soube as portas que me abririam. Depois de ver tudo que o IME tinha a me oferecer decidi fazer o concurso."

A preparação para o concurso IME

Ao cursar o terceiro ano, Gabriel Flintz ficou no alojamento do IME, onde convivia com os outros alunos, também candidatos ao concurso IME, e isso o ajudou muito. “Conviver com pessoas que querem a mesma coisa é fundamental”, afirma.

Sobre a rotina de estudos, ele explica que era bem puxada e começava por volta das 6h. “Acordava nesse horário, tomava café da manhã e estudava até mais ou menos meio-dia. Depois ia para a aula. Quando chegava, dependendo do dia umas 22h, estudava mais um pouco, até as 23h. Também estabelecia esse limite de horário para não extrapolar e não prejudicar o próximo dia”, lembrou.

Flintz estudava de segunda a sexta-feira e aos sábados resolvia os simulados. O restante do tempo usava para repor as energias.  Entre as dificuldades na trajetória rumo ao IME, Gabriel destaca a obrigação de abdicar, por um tempo, dos prazeres da vida.

“A família, os amigos... Tive que deixar muita coisa de lado. Me afastei muito dos amigos que tinha, mas era por um objetivo maior. Como eram meus amigos de verdade, eles entenderam e hoje em dia já estamos reatando laços.”

Concurso IME (Foto: Exército)
Instituto Militar de Engenharia oferece curso de formação e graduação
(Foto: Exército)


Já em relação ao nível de dificuldade da prova, ele lembra que teve mais dificuldade em Matemática, mas acredita que, independentemente das disciplinas, a pior parte do IME foi a fase psicológica.

“Tem a primeira fase que você faz 40 questões, mas a segunda fase são quatro dias diretos, de quatro horas de prova, com dez questões cada. Então você tem que administrar o seu tempo e o seu psicológico“, alerta.

⇒ O teste físico

Segundo Gabriel, como a prova do IME é muito difícil eles não exigem tanto no teste físico. Por isso, começou a se preparar para esta etapa depois do resultado da prova excrita.

“Como fiz muito esporte durante a vida, me garanti e intensifiquei a preparação quando vi que tinha passado na prova objetiva. Comecei a correr mais de manhã, fazer flexão e esses exercícios que são realizados no TAF”, diz, orientando a preparação dos interessados no concurso IME.

O início da formação

Após a fase do concurso, Gabriel Flintz começou sua formação no Instituto Militar de Engenharia. Hoje ele está no primeiro semestre. Neste início, a parte militar tem sido a mais puxada. “Estamos estudando a teoria, mas é bem básico mesmo como, por exemplo, cálculos, tudo aquilo que vai ter em qualquer Engenharia”, destaca.

Para quem está se preparando para o IME, a dica que ele dá é ter resiliência. “Essa foi uma palavra que me ajudou muito. Às vezes ia mal em simulados ou não tinha os resultados que queria. Isso me desmotivava na hora. Apesar disso, você (candidato) deve saber resistir. Deve aguentar as pancadas para seguir em frente, continuar sua rotina, tentar melhorar”, aconselha.

Para concluir, Gabriel Flintz destaca um segredo: não desistir. “Muitos amigos meus, do alojamento mesmo, desistiram no meio do caminho porque tinham ido mal em uma prova. Eles pensavam: 'se não passei nesta prova, não vou passar no IME’. E isso não tem nada a ver. Há vários casos de pessoas que não passaram em concursos considerados mais fáceis e passaram no IME com uma boa colocação”, comentou, estimulando os interessados a seguirem na luta pela aprovação no IME, já que todos os sacrifícios, na visão dele, valem a pena.

Conheça a história de Gabriel Flintz



Concurso IME está com inscrições abertas

As inscrições para o concurso IME estão abertas e seguem até 15 de agosto, pelo site do Instituto. São 75 vagas para o quadro da ativa, e para se candidatar é preciso ter o ensino médio completo, no mínimo 16 anos de idade e no máximo 22 completados até 31 de dezembro. Leia mais sobre a seleção!


Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações