Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

BR Distribuidora - Provas objetivas aplicadas neste domingo, 5

Neste domingo, dia 5, cerca de 20 mil pessoas realizaram a prova objetiva para o concurso da Petrobras Distribuidora (BR) no Rio de Janeiro. Em disputa, 90 vagas efetivas mais formação de cadastro de reserva.

Neste domingo, dia 5, cerca de 20 mil pessoas realizaram a prova objetiva para o concurso da Petrobras Distribuidora (BR) no Rio de Janeiro. Em disputa, 90 vagas efetivas mais formação de cadastro de reserva. Um dos locais de aplicação desta avaliação foi o Centro Universitário Augusto Motta (Unisuam), em Bonsucesso. Às 8h, uma hora antes do fechamento dos portões, o movimento de carros e pedestres na região já era intenso. Pessoas de todas as idades chegavam ao local de prova e partilhavam do mesmo desejo: passar em um concurso público e alcançar a sonhada estabilidade.
 
Aline Lima, de 23 anos, é funcionária pública estadual e vai tentar a vaga para administração. “É a quarta vez que tento, porém, a primeira para um cargo de nível superior. Acredito que a concorrência seja menor”, disse. Já Virgilino Alves, 61 anos, vai tentar a vaga de técnico de suprimento e logística júnior. “Trabalho em uma plataforma no município de Itaboraí. Gostaria de sair da empresa privada que trabalho para uma estatal e garantir minha estabilidade. É uma área muito promissora”, disse Virgilino, que admitiu estar preocupado com a prova de Português.
 
Os portões foram fechados pontualmente às 9h. Luiz Fernando Dutra, 27 anos, tentaria a vaga de técnico de contabilidade júnior, mas chegou exatamente um minuto após o horário previsto. “Moro em Niterói e tinha um ônibus quebrado na subida da Linha Amarela. Eles poderiam dar alguns minutos de tolerância. É a segunda vez que perco uma prova”, resignou-se a dizer. Sueli Carvalho, 42 anos, lamentou por ter perdido o dinheiro que investiu na inscrição. Inconformada, culpou o trânsito como a razão de seu atraso. “Ninguém chega tarde porque quer. Imprevistos acontecem”.
 
Vinda de Macaé, acompanhada da filha e do genro, a administradora Terezinha Toscani, 44 anos, chegou com cinco minutos de atraso, porém, mostrou-se consciente de seu erro. “Eu me programei errado. O edital orienta sobre chegarmos com uma hora de antecedência. Por não conhecer a cidade muito bem, eu deveria ter vindo ontem para conhecer a rota. Não sabia que as vias expressas estavam em obras e isso prejudicou o meu planejamento. Fica de lição para os jovens. A partir do momento que assumimos um compromisso, temos de ter responsabilidade em cumpri-lo”, alertou.
 
Os portões foram reabertos às 10h, momento em que David Barbosa, o primeiro a deixar o local de prova, saía confiante. O estudante de 20 anos disse ter se preparado por três meses para conseguir uma vaga de técnico de operações júnior. “Achei a prova relativamente fácil. Espero me beneficiar por conta da falta de mais da metade dos inscritos na minha sala”. Camila Santana, 33 anos, saiu da universidade desanimada. “Fiquei desestimulada porque achei o nível de exigência alto demais para o cargo que me candidatei. Não sei se voltarei a tentar”, disse, abatida por seu desempenho.
 
Em um aspecto geral, os inscritos concordavam que a prova de Português havia sido fácil e que o número de faltosos fugia um pouco do padrão. O coordenador de prova, Avelino Almeida Filho, disse ter sido um índice normal. “Um total de 6.002 pessoas foram designadas para as dependências da Unisuam. O número de faltosos ficou dentro de nossas expectativas, apesar de não termos a quantidade exata neste momento. Não houve nenhum incidente nos locais de prova em todo o Brasil”, informou o coordenador. O gabarito parcial da prova objetiva será divulgado no site da Cesgranrio nesta segunda-feira, dia 6.
 
SERVIÇO
Gabarito: www.cesgranrio.org.br

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações