MP pede anulação da prova do Concurso Bombeiros - DF para dois cargos

O Ministério Público recomendou a anulação da prova de soldado , do concurso de Bombeiros-DF, por conta de irregularidades apontadas pelos candidatos.

Após  denúncias de irregularidades nas provas, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) recomendou a anulação, em 48 horas, da primeira etapa do Concurso Bombeiros - DF, para o cargo de soldado condutor e operador de viaturas. O Instituto de Desenvolvimento Americano, o Idecan, é o responsável pela organização da seleção.
 
Dentre as manifestações de irregularidades, recebidas pelo Ministério por meio de ouvidoria, estão as alegações de: falta de organização prévia das salas, atraso para início das provas, má conduta dos fiscais em sala, não concessão de tempo complementar para os candidatos finalizarem as avaliações (nos casos em que as provas começaram depois do horário estipulado no edital). 

O próximo passo deve ser decidido pelo Corpo de Bombeiros. Se o órgão acatar a recomendação e anular a primeira etapa, precisará designar novo cronograma de provas, além de garantir a possibilidade do candidato restituir o valor da inscrição, caso ele não queira continuar participando do processo seletivo.
 
A prova que tinha sido aplicada para oficiais, em 12 de fevereiro, também chegou a ser anulada, por conta de irregularidades apontadas pelos candidatos. Entretanto, um novo cronograma já foi divulgado e as avaliações ocorrerão em 26 de março.
 
O concurso Bombeiros - DF oferta um total de 779 vagas, além de formar cadastros de reserva, para diversos cargos nas qualificações de soldados e oficiais. Os salários variam de R$5.108,08 a R$11.654,95, de acordo com a função pretendida. A validade da seleção é de dois anos, podendo ser prorrogado por igual período.
 


Cadastre-se e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida

Comentários