Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Concurso Bacen: novo pedido para 230 vagas chega ao Planejamento

Concurso Bacen: novo pedido para 230 vagas chega ao Planejamento

Banco Central faz novo pedido de concurso ao Ministério do Planejamento, solicitando 230 vagas para cargos de analista e procurador.

O concurso do Banco Central (Bacen) pedido ao Ministério do Planejamento sofreu alterações. Sem retorno do órgão para as 990 vagas solicitadas em 2017, o Banco Central fez uma nova solicitação ao Planejamento. No entanto, o número de vagas foi reduzido, sendo agora apenas 230.

O novo pedido de concurso do Bacen foi feito no último dia 30 de maio, um dia antes da data limite para que os órgãos enviassem suas solicitações ao Ministério do Planejamento. A solicitação, no entanto, sofreu mudanças, já que o pedido anterior, para 990 vagas, não recebeu autorização. 

Novo pedido do Banco Central é para 230 vagas de nível superior. (Foto: Divulgação)
Novo pedido do Banco Central é para 230 vagas de nível superior
(Foto: Divulgação)

O concurso Bacen segue sem previsão de edital, já que deve ser analisado por diversas divisões do Ministério do Planejamento até que seja autorizado pelo ministro, Esteves Colnago.

O novo pedido de concurso Bacen para 230 vagas está dividido entre dois cargos. São solicitadas 200 vagas para o cargo de analista e 30 para procurador. Para ambos, os candidatos devem ter nível superior. 

Para o cargo de analista, os candidatos devem ter diploma de nível superior, devidamente registrado, em qualquer área. Já para as 30 vagas de procurador, o órgão exige diploma de nível superior de bacharelado em Direito, inscrição na OAB e comprovação de, no mínimo, dois anos de prática forense.

Atualmente, os ganhos para a carreira de analista são de R$17.391,64.Já para o cargo de procurador, o Bacen oferece R$19.665,67 por mês. Todos esses valores já incluem o auxílio-alimentação, de R$458.

Inicie os estudos para o concurso Bacen

Inicie os estudos para o concurso Bacen

PL pede autonomia ao Bacen

Ministro do Planejamento, Esteves Colnago, se reúne com presidente do Senado, Eunício Oliveira (Foto: Jane de Araújo/Agência Senado)
Reunião entre o Ministro do Planejamento, Esteves Colnago
e o presidente do Senado, Eunício Oliveira
(Foto: Jane de Araújo/Agência Senado)

O concurso Bacen é bastante aguardado, tendo em vista o déficit de 2.553 servidores. E a boa notícia é que a seleção para o órgão é uma das prioridades do ministro do Planejamento, Esteves Colnago.

Em reunião realizada em maio, com o presidente do Senado, Eunício Oliveira, Colnago mencionou as pautas, em análise na Casa, que contribuirão com a economia do país. Uma delas é o Projeto de Lei (PL) 200 de 1989, que trata sobre a autonomia orçamentária do Banco Central

Essa autonomia em estudo tem a ver com a possibilidade de o Bacen abrir concursos sem a necessidade de aval do Ministério do Planejamento. Inclusive, esta é uma das propostas da pauta alternativa à Reforma da Previdência, apresentada pelo Governo Federal.

"O objetivo foi trazer ao presidente um conjunto de medidas que podem contribuir para o desenvolvimento econômico. O Congresso já vem ajudando muito o governo. O Senado, em especial, aprovou muitas matérias microeconômicas no ano passado", disse Esteves Conalgo.

O ministro mostrou-se otimista pelo avanço dos projetos mencionados, incluindo o do Bacen. "O presidente (do Senado) se mostrou disposto a ajudar.  Ele está aberto para que esse diálogo se fortaleça", completou.

Concurso Bacen fala do ministro do Planejamento deixa sindicato otimista por aval

Essa proposta voltou a ganhar força após a decisão do presidente Michel Temer de suspender a Reforma da Previdência. Isso tendo em vista a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro, que impede alterações na Constituição enquanto estiver em andamento.

O Bacen esclareceu à reportagem da FOLHA DIRIGIDA que essa autonomia contemplaria três tipos: operacional, administrativa e orçamentária.

A primeira daria ao Bacen a liberdade de formular e executar, de maneira técnica e imparcial, as medidas necessárias para atingir os objetivos definidos pelo governo, tais como as metas para inflação.

As autonomias administrativa e orçamentária seriam fundamentais para a realização de concursos públicos. Isso porque, desta forma, o Bacen teria liberdade para definir sua atuação e mobilizar seus recursos a fim de cobrir suas despesas, tanto as típicas de autoridade monetária quanto as de natureza administrativa, podendo ser revisto o modelo de fluxo orçamentário.

Ou seja, o Bacen não dependeria mais dos ministérios da Fazenda e Planejamento para abrir concursos. A proposta foi originada por um Projeto de Lei, que precisa passar pelo Congresso Nacional (Câmara dos Deputados e Senado Federal) e sanção presidencial. Hoje, o PL está aguardando relator na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara. 

Concurso é urgente para diminuir déficit no Bacen

O déficit de pessoal do Bacen cresce a cada dia e pode piorar. Isso porque além da falta de 2.553 servidores, entre 40% e 50% dos aprovados no concurso de 1997 estão aptos a se aposentarem. Naquela seleção, houve cerca de 500 vagas.

Os dados são do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal). Enquanto o técnico do Bacen pode ter por lei 800 concursados, há aproximadamente 500 em atividade.

Desse número, o Sinal alerta que metade terá condições de se aposentar ainda neste ano. No total, hoje o Bacen possui 3.917 profissionais, e a defasagem é de 2.553 servidores.

Prepare-se para o concurso Bacen

Com novo pedido de concurso e a atenção do ministro do Planejamento, o concurso Bacen deve avançar no Ministério do Planejamento até a sua autorização. Até lá, os futuros candidatos já devem se preparar, já que os cargos estão definidos. Para ajudar nos estudos, FOLHA DIRIGIDA traz alguns materiais para a sua preparação. Confira! 

Prepare-se para o cargo de procurador do Bacen

Prepare-se para o cargo de procurador do Bacen






Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações