Quais os benefícios do PIX para micro e pequenos empreendedores?

Cristina Araújo, analista do Sebrae, explica os benefícios para os micro e pequenos empreendedores que aderirem à ferramenta de transferências instantâneas.

16/11/2020 17:16 | Atualizado: 16/11/2020 18:11

16/11/2020 17:16 | Atualizado: 16/11/2020 18:11

O PIX, novo sistema de pagamentos instantâneos brasileiro, começou a funcionar efetivamente nesta segunda-feira, 16. A plataforma, que foi idealizada pelo Banco Central, permite que pagadores e recebedores façam transações de transferência de forma instantânea e segura. 

Você, empreendedor, sabe como utilizar o PIX e quais os benefícios dessa ferramenta para o seu negócio? 

Além de possibilitar a inovação e o surgimento de novos modelos de negócio, as micro e pequenas empresas serão beneficiadas pela ferramenta PIX, pois o custo de adesão será menor do que o cobrado pelos demais meios eletrônicos. 

Em entrevista ao podcast da Agência Sebrae de Notícias , a analista do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Cristina Araújo, explica que a disponibilização imediata dos recursos tende a reduzir a necessidade de crédito e facilita a automatização de pagamentos. 

"Um primeiro ponto a comentar é que o Pix é um meio de pagamento muito seguro e totalmente digital. Com ele, espera-se uma redução do uso do dinheiro em espécie e aí evita aquela questão do risco operacional relacionado ao dinheiro em espécie. Também facilita questões como necessidade de troco, por exemplo."

Dentre as facilidades na rotina de um pequeno negócio, Cristina destaca a segurança dos lojistas e a diminuição do manuseio de células. Além desses, a analista do Sebrae destaca a melhoria da gestão financeira. 

"Com o Pix, o dinheiro do pagamento fica disponível imediatamente na conta de quem recebe, sem ter que esperar algumas horas ou até dias. Os prazos que existem no boleto e cartões, terá um impacto no fluxo de caixa, podendo diminuir a necessidade de crédito e de antecipação de recebidos", ressalta. 

PIX pagamento instantâneo
Ferramenta do PIX começou a funcionar nesta segunda, 16
(Foto: Pixabay)



O que + você precisa saber:


Quais os impactos no PIX no comércio eletrônico? 

Segundo Cristina, a conversão de vendas com a confirmação imediata do pagamento através do PIX trará um impacto positivo para os empreendimentos que atuam no comércio eletrônico. Isso porque possibilitará que os produtos sejam despachados mais rapidamente, otimizando a logística e gestão de estoques, por exemplo. 

No entanto, como a ferramenta é uma novidade, a analista aconselha que o empreendedor se capacite, capacite sua equipe e e oriente seus clientes em relação ao uso do PIX. 

Para começar a usar o sistema de pagamentos instantâneos, a primeira coisa que o empreendedor deve fazer é definir em qual conta irão receber os pagamentos. 

É importante ressaltar que não precisa ser, necessariamente, uma conta em um banco. Poderão ser utilizadas contas de fintech, de financeira ou uma instituição de pagamento. O Banco Central já aprovou mais de 700 instituições para esse modelo de pagamento. 

O segundo passo será pesquisar as condições e os serviços que estão sendo oferecidos por essas instituições financeiras. E, de acordo com Cristina, é importante avaliar quem oferece a tarifa mais vantajosa. 

Já o terceiro passo é definir quais métodos de iniciação da transação o empreendedor irá disponibilizar: QRCode ou chave Pix.

"Caso escolha receber com a chave Pix, que pode ser o CPF, o número do celular ou o e-mail, é necessário cadastrá-la junto a instituição financeira escolhida. Cada empresa pode cadastrar até 20 chaves por conta e pode ser usado como chave o CNPJ, o e-mail ou o número de telefone celular."

Agora, se a empresa utilizar algum sistema de automação e quiser optar pelo QRCode, será necessário verificar se o sistema já está apto para integrar com o PIX as opções de pagamento. Cristina comenta que, nesses casos, essa integração é feita a partir de um API padronizado pelo Banco Central. Feito isso, é só começar a receber a partir do PIX. 

PIX já tem mais de 3,5 milhões de cadastrados 

De acordo com o Banco Central, já são mais de 3,5 milhões de cadastrados no PIX em todos os bancos brasileiros, incluindo os digitais. Neste primeiro dia de funcionamento, muitas instituições sentiram instabilidades nos aplicativos de celular, devido ao alto número de acessos no mesmo período. 

Para Caio Mastrodomenico, CEO da fintech de fomentos, Vallus Capital, pode haver uma certa confusão no primeiro momento. Caio comenta, ainda, que quem já efetuou o cadastro, o fez de forma simples, sem muita orientação. No entanto, a maneira de usar e efetuar as transferências, ainda são desconhecidas e, por ser uma novidade, provavelmente causará uma estranheza para o usuário.

Apesar da instabilidade causada pelo grande número de acessos, as expectativas em relação ao futuro são boas. 

"Uma coisa é fato, o PIX vai revolucionar o mercado de transferências e pagamentos, mudando completamente a maneira como o consumidor paga suas contas, barateando o custo dos estabelecimentos nos recebimentos financeiros, além de ter taxas gratuitas para pessoas físicas e, em alguns casos, até jurídicas. Uma verdadeira revolução", finaliza Mastrodomenico.

 

Newsletter Folha+

 

Quer receber mais conteúdo como este?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, com dicas de Carreiras, vagas de empregose muito mais!

Buscador de empregos

Milhares de oportunidade de emprego grátis