Em outubro, país registra recorde de 384 mil novos empregos formais

Segundo dados do Caged, economia brasileira gerou 394.989 empregos com carteira assinada no mês de outubro.

26/11/2020 17:25 | Atualizado: 26/11/2020 18:01

Por: Marcos Leandro

26/11/2020 17:25 | Atualizado: 26/11/2020 18:01 - Por: Marcos Leandro

No mês de outubro, o Brasil registrou 394.989 vagas de emprego com carteira assinada. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira, 26.

Para chegar nesse resultado, é calculada a diferença entre as contratações e as demissões. Em outubro, foram contratados 1.548.628 profissionais, enquanto 1.153.639 foram demitidos.

Em relação ao mês de setembro, houve um aumento de 1,03%. Segundo o Ministério da Economia, o número de empregos formais criados em outubro é o maior já registrado desde 1992, início da série histórica do Caged.

Veja também: Emprego deve crescer em 2021, diz secretário de Política Econômica

Após o anúncio do resultado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a notícia é "extraordinária". Ele ponderou que, até então, o país tem um saldo negativo de quase 200 mil empregos.

No entanto, Guedes disse acreditar que é possível recuperar essas vagas até o fim do ano. "Podemos terminar o ano tendo perdido zero empregos no mercado formal, zero", pontuou.

"Se terminarmos o ano com zero perda de empregos no mercado formal, terá sido um ano histórico da economia brasileira", acrescentou.

 

Caged
Brasil registra 384 mil empregos formais em outubro
(Foto: Agência Brasil)

 

Bolsonaro comemora crescente nos empregos

Nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre os dados do Caged. Ele comemorou os saldos positivos dos últimos quatro meses, especialmente outubro que foi recorde da série histórica. 

"Se nós acreditarmos em projeções, nós vamos terminar o ano, no mês de dezembro, com mais gente empregada do que dezembro do ano passado. Isso atravessando uma pandemia", complementou.

O presidente disse ainda que esses números se devem "a muitas pessoas que trabalham no Legislativo e Executivo". Bolsonaro reforçou o agradecimento ao senador Jordinho Mello (PL-SC), autor no Pronampe -  Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte.

"Um projeto que foi encapado pela Economia, de modo que foram salvas pequenas e microempresas e, aí sim, milhões e milhões de empregos", disse o Bolsonaro, que completou chamando o senador de o "homem que salvou milhões de empregos".

Programa de redução de jornada e salários

Outro fator que ajudou a evitar perda de vagas neste ano, segundo o Ministério da Economia, foi o programa de manutenção de empregos, que possibilita a suspensão do contrato de trabalho e a redução de jornada.

De acordo com dados oficiais, 9,8 milhões de trabalhadores fizeram acordos para reduzir carga horária ou suspender contratos - 67% e 43%, respectivamente.

 

Quer receber mais conteúdo como este?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, com dicas de Carreiras, vagas de empregose muito mais!

Buscador de empregos

Milhares de oportunidade de emprego grátis