Grupo Reckitt quer atingir equilíbrio de gênero global até 2030

Grupo Reckitt divulga relatório sobre remuneração por gênero. Levantamento analisou o cenário atual de todos os colaboradores em dez localidades.

13/04/2021 18:00

13/04/2021 18:00

O Grupo Reckitt, multinacional de bens de consumo em higiene, saúde e nutrição, divulgou um novo relatório que mostra as relações entre remuneração e gênero de seus colaboradores. 

Apesar dos resultados positivos em alguns aspectos, o estudo constatou que homens ainda levam a melhor em outros, o que motiva a companhia a implementar uma série de ações com o objetivo de atingir o equilíbrio de gênero global até 2030.

O  Relatório de Remuneração por Gênero analisou a diferença no pagamento mediano e no bônus entre todos os colaboradores do Grupo em um país. Esse índice é expresso como uma porcentagem dos ganhos dos homens. 

No Brasil, foi constatado que a diferença salarial é de -22,7%, ou seja, um número a favor das mulheres. Gisele Jakociuk, Diretora de Recursos Humanos da Reckitt Health & Nutrition Comercial, explica como esse cenário se construiu.

"No Brasil, assim como no México e nos Estados Unidos, há um número maior de colaboradores homens trabalhando na manufatura no Grupo Reckitt. Por isso, o ponto médio feminino é, normalmente, uma função mais sênior do que o ponto médio masculino. Como resultado, as diferenças salariais medianas constatadas são a favor das mulheres."

Igualdade de gênero não é prioridade para 70% das empresas

Porém, ao analisar a diferença de bônus mediana, o estudo mostra que a vantagem ainda é dos homens: 39,6%. Raquel Carneiro, Diretora de Recursos Humanos LATAM da Reckitt Hygiene Comercial, comenta: 

"Embora todos os colaboradores do mesmo cargo tenham o mesmo valor-base para pagamento de bônus, este resultado nos aponta um desequilíbrio de gênero nos níveis seniores em relação aos homens, que estamos comprometidos em resolver."

Botão com link para Newsletter

Relatório de Remuneração por Gênero inclui Brasil pela primeira vez

O 'Reckitt Gender Pay Report 2020', que na tradução para o Português é Relatório de Remuneração por Gênero, é o maior levantamento feito pela empresa sobre o tema entre seus colaboradores. 

E neste ano, pela primeira vez, o estudo inclui informações sobre o Brasil. Até 2020, a pesquisa incluía somente dados relativos aos colaboradores de seus cinco maiores mercados em força de trabalho: Reino Unido, China, Índia, México e Estados Unidos. 

Neste ano, o levantamento passou a considerar também os próximos cinco maiores mercados para a análise: Brasil, Indonésia, Polônia, Rússia e Tailândia. No total, as dez localidades reúnem aproximadamente 70% dos funcionários do Grupo Reckitt no mundo.

Mercado de trabalho: como promover a igualdade de gênero?

Grupo Reckitt divulga relatório sobre remuneração por gênero
Grupo Reckitt divulga relatório sobre remuneração por gênero
(Foto: Reprodução)

 

Grupo quer corrigir disparidade salarial de gêneros até 2030

Com os resultados do relatório de 2020, o próximo objetivo do Grupo Reckitt, segundo informações da empresa, é atingir um equilíbrio de gênero global em todos os níveis de gestão até 2030.

A estratégia recém-anunciada leva o nome '50/50'. Parte desse plano inclui a promoção de mais diversidade e a inclusão em todas as cadeias do negócio, como na contratação de novos colaboradores e na escolha de novos parceiros.

Para atingir essa meta, o Grupo está realizando uma série de ações a nível global, que incluem: a criação de Comitês de Diversidade e Inclusão em todos os mercados operados pela empresa; treinamentos e mentorias.

Também estão implementando uma revisão de políticas internas; continuidade da promoção das políticas diferenciadas de licença parental (que podem chegar até um ano de licença maternidade) entre outras iniciativas.

Vale destacar que, no Brasil, cerca de 51% da liderança do Grupo Reckitt é composta por mulheres. Além de trabalhar a equidade de gênero, a empresa também possui Comitês locais de Diversidade e Inclusão que estão comprometidos em promover avanços em temas como LGBTQI+ e cor/raça.

Quer receber mais conteúdo como este?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, com dicas de Carreiras, vagas de empregose muito mais!

Buscador de empregos

Milhares de oportunidade de emprego grátis