90% dos supermercados paulistas devem manter ou contratar em maio
Pesquisa realizada pela Associação Paulista de Supermercado (APAS) apresenta expectativas do setor para o mês de maio
14/05/2020 12:40 | Atualizado: 14/05/2020 13:31
14/05/2020 12:40 | Atualizado: 14/05/2020 13:31

Uma nova pesquisa realizada pela Associação Paulista de Supermercado (APAS) revela que 90% dos supermercadistas do Estado devem contratar ou manter funcionários em maio. A expectativa é uma queda de 10% no número de demissões ao longo do mesmo período.

Segundo os dados apurados, 67% dos supermercadistas acreditam que o número de empregos será mantido e 23% esperam fazer novas contratações. Em abril, 96% dos entrevistados esperavam a manutenção dos empregos.

O otimismo dos empresários paulistas em relação ao cenário atual caiu de 40% para 28% em maio. Isso ocorreu por conta das mudanças relacionadas ao desempenho econômico e político.

Do total de entrevistados, 79% acreditam que o Produto Interno Bruto (PIB) terá queda. Outros 47% acreditam que também haverá declínio na taxa de juros.

+ 'Vagas no Varejo': plataforma tem mais de 4 mil postos de trabalho

Na avaliação de Ronaldo dos Santos, presidente das APAS, o efeito do pico das vendas em março, o que alavancou os números no setor, é passageiro. 

“O isolamento deve causar mais desemprego e isso aumentará a expectativa de PIB negativo, tendo impacto na renda das famílias. Com o tempo, o setor começará a sentir o consumidor migrando para compras mais baratas e de produtos de menor valor agregado”, destacou.

Na visão de 33% dos entrevistados, haverá queda na taxa de inflação. Apenas 8% acreditam que haverá redução nas vendas durante o mês de maio.

 

Frutas
Cenário político e econômico contribuiu para diminuição do otimismo
entre empresários (Foto: Pixabay)

 

Entenda como funciona a contratação temporária nas empresas

Para suprir a demanda do mercado nesse momento, muitas empresas têm adotado o regime de contratação temporária. No entanto, ainda há dúvidas sobre esse modelo de contratação.

Diferentemente do que muitos imaginam o trabalho temporário não é semelhante ao trabalho informal. No caso das contratações temporárias, as regras são pautadas pela Lei n° 6.019/74. A lei estabelece, entre outros termos, o registro do contrato na Carteira de Trabalho Digital.

+ Randstad divulga 2.359 vagas temporárias em diferentes Estados

Os trabalhadores contratados em caráter temporário têm direito aos mesmos benefícios garantidos aos que atuam em regime efetivo. Ou seja:

  • Salário compatível com o de outros que ocupam a mesma função;
  • Jornada de trabalho de 44 horas semanais;
  • Férias proporcionais;
  • Folga remunerada; 
  • 13º salário e FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). 

 

A diferença é que o trabalhador temporário não terá direito à multa de 40% sobre o FGTS depositado, nem ao pagamento de aviso prévio. Além disso, a contratação desses profissionais deve ser feita por uma agência credenciada pelo Ministério da Economia.

O período de contrato temporário deve ser de, no máximo, 180 dias pelo mesmo empregador. Ainda há possibilidade de que o profissional seja contratado em caráter efetivo, conforme a necessidade da empresa.

notícias de empregos

Quer receber novidades sobre concursos?
Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!
Newsletter