Versão nova do site ativada

Confira dicas para buscar vagas de emprego pelo LinkedIn

15/06/2020 18:00

15/06/2020 18:00

Além dos sites de empregos e bancos de currículo das próprias empresas, quem está em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho pode utilizar-se de outra ferramenta para se candidatar a uma vaga: o LinkedIn. A rede social chegou ao Brasil em 2011 e cada vez mais ganha adesão de profissionais de diferentes áreas.

FOLHA DIRIGIDA conversou com o LinkedIn Top Voice e especialista em Mídias Sociais, Douglas Gomides, que explicou um pouco mais sobre as vantagens dessa ferramenta. Gomides ainda deu algumas dicas para quem quer destacar seu perfil na rede social. Confira!

O especialista destacou que o LinkedIn não é simplesmente um currículo on-line, mas uma mídia social profissional. Por conta disso, os profissionais têm a chance de se conectar melhor com as empresas pelas quais se interessam.

+ Conheça a nova ferramenta de busca de empregos da Folha Dirigida

Diferentemente do que ocorre em outros bancos de currículos on-line, no LinkedIn os usuários têm a liberdade de falar mais sobre si, seus hobbies e interesses. Desse modo conseguem atrair recrutadores não só pelo trabalho que desenvolvem, mas por quem são.

 

Douglas Gomides
“Empresas buscam humanos e profissionais bons”, Douglas Gomides.
(Foto: Arquivo Pessoal)

 

Especialista indica estratégias para melhorar perfil no LinkedIn

Quem quer se destacar na rede social pode usar algumas estratégias para melhorar seu perfil. Uma delas é cuidar do aspecto visual da página. Ou seja, usar uma boa foto de perfil com o rosto em evidência e fundo mais neutro possível. 

Outro cuidado é trabalhar bem o headline utilizado, o texto que vai aparecer logo abaixo do nome no perfil. Este é um dos principais buscadores no LinkedIn. Por isso, o ideal é colocar nesse espaço a função e área onde atua, pois são esses os termos que serão utilizados pelos recrutadores ao procurar um possível candidato. 

“É preciso entender como as pessoas buscam, quais palavras-chave usam e trabalhar isso”, explicou Gomides.

+ Quantas faltas no emprego dá justa causa? Saiba mais!

+ Lei que reajusta o mínimo em R$1.045 é sancionada

Já nos campos “Sobre” e “Experiência”, a dica é trabalhar o storytelling: relatar as experiências por meio da contação de histórias. Gomides chamou atenção para o fato de que copiar e colar o que está no curriculum vitae não é atrativo. Tampouco usar um texto “rígido” demais, sem nenhum toque pessoal.

“O segredo é ter um perfil bom, criar conexões fortes e produzir um bom conteúdo.”

Inclusive, muitas pessoas, apesar de ter um bom perfil na rede, não o aproveitam em sua totalidade, por não produzirem conteúdo. No entanto, é por meio dos posts e interações na rede que os usuários conseguem criar as conexões mencionadas pelo especialista.

Douglas Gomides também destacou dois dos principais erros cometidos por quem usa o LinkedIn como uma ferramenta para buscar emprego. O primeiro deles é usar no perfil o termo: “em busca de oportunidades”.

O outro, também muito comum, é entrar em contato com o recrutador já mandando o currículo. Segundo Gomides, tais práticas além de ineficazes, acabam sendo chatas e desagradáveis para os recrutadores.

Botão com link para Newsletter

Versão Premium garante alguns benefícios aos usuários

Um recrutador que esteja em busca de um profissional pode entrar em contato diretamente com o usuário. Mas, também há a opção de usar a ferramenta de pesquisa de vagas do LinkedIn.

+ 7 sites seguros para procurar emprego e estágio durante a pandemia

O recurso de anunciar vagas por meio da rede social já vem sendo utilizado por muitas empresas. Dessa forma, o recrutador pode receber as candidaturas e avaliar os perfis dos concorrentes tudo em um mesmo lugar.

 Para se candidatar a uma vaga pelo LinkedIn, basta pesquisar pela oportunidade desejada; selecionar o cargo pretendido; e clicar no botão “Candidatura Simplificada”.

É possível que no perfil da vaga apareça a opção “Candidate-se”, neste caso o usuário será direcionado à página da empresa para continuar o processo de candidatura.
O LinkedIn ainda oferece uma versão Premium. O valor da assinatura é de R$299,88 por ano ou R$29,99 por mês.

Como diferencial, em relação à versão gratuita, no Premium não há limitação sobre as notificações de quem visualizou seu perfil. Na versão gratuita o usuário só tem acesso a quem foram os últimos cinco visitantes.

Também há a possibilidade de enviar cinco mensagens para pessoas de fora da sua rede, via InMail, e acesso a estatísticas sobre como está a comparação com outros candidatos concorrendo à mesma vaga. Ou seja, o candidato consegue visualizar em qual posição o perfil dele está para aquela vaga.

Newsletter

Newsletter

Quer receber novidades sobre concursos?

Quer receber diretamente no seu e-mail as principais notícias dos concursos da sua região?

E de quebra dicas para seus estudo? Cadastre-se gratuitamente na newsletter FD para ter tudo isso!

Buscador de empregos

Milhares de oportunidade de emprego grátis

Preparação