Intercâmbio com acessibilidade: conheça os melhores destinos para PCDs


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Brasil há mais de 45 milhões de pessoas com deficiência (PCDs), o que equivale a cerca de 24% da população, ou seja, um em cada quatro brasileiros.

O artigo 93 da Lei 8.213 de 1991 diz que as empresas privadas precisam reservar uma quantidade de vagas para PCDs, de acordo com o total de funcionários. Porém, mesmo com a Lei, apenas 1% dessas pessoas estão empregadas.

» Dia Nacional de Luta PCD: conheça os direitos em concursos «

Além disso, um levantamento do Ministério do Trabalho mostrou que 93% das pessoas com deficiência só foram contratadas porque os empregadores foram obrigados pela lei para preencher a reserva de vagas. 

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), em conjunto com a Isocial e a Catho, apontou que apenas 4% dos profissionais de RH contratam pessoas com deficiência por "acreditar no potencial".

A pesquisa mostra que o preconceito é vigente. Apesar das limitações que a deficiência pode acarretar, as PCDs conseguem e podem realizar quaisquer atividades seja no mercado de trabalho, no esporte ou na área acadêmica.

Intercâmbio com acessibilidade: conheça os melhores destinos para PCDs
(Foto: Pixabay)

Intercâmbio com acessibilidade

A inclusão precisa vir acompanhada de acessibilidade. Um cadeirante, por exemplo, precisa conseguir se locomover para realizar as suas atividades.

Pensando nisso, a Associação das Agências Brasileiras de Intercâmbio (Belta), que certifica agências no setor de intercâmbio, apresenta anualmente destinos acessíveis aos diversos tipos de deficiência.

"A inclusão na educação internacional é um direito de todos(as) e muitas escolas no exterior estão preparadas para receber alunos com necessidades especiais”, evidencia Maura Leão, presidente da Belta.

Confira cinco destinos com acessibilidade para realizar um intercâmbio:

1. Las Vegas

Las Vegas - EUA
(Foto: Divulgação/Fábio Lima)

A cidade da luz tem mais do que apenas de cassinos: Las Vegas poussi museus para as crianças e adultos, zoológico acessível a pessoas com deficiência físisca e acessibilidade nos seus hotéis.

Sendo a cidade mais populosa e densamente povoada do estado americano de Nevada, Las Vegas é um bom destino de intercâmbio para PCDs que desejem aprender inglês.

Além dos estudos, a cidade também também proporciona diversões adaptadas. Alguns caça níqueis contam com sistema de áudio para que pessoas com deficiência visual possam jogar.

2. Dublin

Dublin - Irlanda 
(Foto: Divulgação/Belta)

A Irlanda também é um ótimo destino para aprender Inglês. A cidade de Dublin possui sinalização diferenciada para pessoas com deficiência visual e todos os meios de transportes são adaptados para cadeirantes.

A cidade permite que os estudantes trabalhem no país enquanto realizam intercâmbio. Os interessados poderão fazer desde cursos rápidos de inglês a combinação de trabalho e estudo. 

A Irlanda é um país adaptado para os PCDs, o que facilita a busca de trabalho durante a estadia. É interessante, antes de viajar, pesquisar por moradias próximas aos meios de transporte para facilitar a locomoção.

Outra dica é evitar ficar em prédios antigos que só têm escadas como meios de acesso.

3. Nova Iorque

Nova Iorque - EUA
(Foto: Divulgação/Belta)

A cidade que nunca dorme possui metrô adaptado para pessoas com deficiencia física e/ou visual. São 110 estações com mapas táteis e em braile, além de elevadores e portões acessíveis.

Além da locomocação, os intercambistas também poderão se divertir: Nova Iorque tem atrações interpretadas na língua de sinais americana e muitas vezes com legendas disponíveis.

Para quem gosta de esportes, todos os estádios são acessíveis e contam com banheiros adaptados. E a excelência nos centros de estudos aliada com as atrações torna Nova Iorque um dos principais destinos procurado por quem quer fazer intercâmbio.

4. Montreal

Montreal - Canadá
(Foto: Divulgação/Belta)

A cidade de Montreal oferece acessibilidade que facilita a locomoção dos intercambistas, os mesmos poderão chegar nas aulas com tranquilidade e ainda aprender até dois idiomas: Francês e Inglês.

São sete estações de metrô desenvolvidas com acessibilidade que possibilita chegar aos parques abertos e em outros locais culturais da cidade.

Segundo pesquisa da Selo Belta, o Canadá está em primeiro lugar entre os destinos escolhidos pelos brasileiros para fazer intercâmbio, estando nessa posição há seis anos consecutivos.

5. Barcelona

Barcelona - Espanha
(Foto: Divulgação/Belta)

Depois do Inglês, o Espanhol é o segundo idioma mais procurado, segundo a pesquisa da Belta. A Espanha ocupa o sexto lugar dos destinos mais procurados por intercambistas brasileiros.

O país conta com várias cidades que têm acessibilidade nos seus serviços, como Barcelona. A cidade possui praças, museus e restaurantes adaptados para pessoas com deficiência física.

Alguns museus, como o Museu de Arte Contemporânea de Barcelona, possuem obras de arte táteis para que pessoas  com deficiência visual possam sentir a peça.

O museu ainda possui obras com audiodescrição, possibilitando escutar as descrições das obras. 

Comentários