Home office: veja dicas de como ser bem-sucedido trabalhando em casa


Embora o trabalho em escritório seja predominante no Brasil, o número de pessoas que começam a trabalhar remotamente está crescendo. Cenário que se intensificou após a reforma trabalhista, que regulamentou o home office. 

Contudo, a implementação deste modelo pode trazer novos desafios aos profissionais que o adotam, principalmente em relação a organização e produtividade. Pensando nisso, a psicóloga Fernanda Tochetto listou algumas dicas importantes para ter sucesso trabalhando de casa. 

Como ela lembra, esse modelo está também relacionado ao trabalho de microempreendedores individuais (MEIs), que têm aumentado no Brasil. Uma pesquisa do Portal Empreendedor do Governo Federal demonstra que, em cinco anos, o número de MEIs cresceu mais de 120%. Em maio já eram mais de 8 milhões de cadastrados. 

A parte positiva desta forma de trabalho é a liberdade e autonomia conquistada pelo profissional. Ele pode atuar como chefe de si mesmo e estabelecer horários mais flexíveis, que conversem melhor com sua realidade. 

Porém, essa autonomia não é tarefa fácil, visto que demanda do trabalhador mais responsabilidade e disciplina. Ainda mais em casa. 

"Para que a empreitada seja bem-sucedida é preciso que a pessoa entenda suas habilidades e as potencialize a um ponto que consiga uma grande concentração e transformação de energia em foco e produção", diz a psicóloga. 

Quais carreiras profissionais do futuro estarão em alta

(Foto: Reprodução)
Trabalho remoto está crescendo no Brasil
(Foto: Reprodução)

Sucesso no home office passa por três pontos importantes, diz psicóloga

A psicóloga Fernanda Tochetto, aponta a concentração e a produção como aspectos essenciais ao sucesso para quem trabalha de casa. Mas, como conseguir isso? Para alcançar esse resultado, ela explica, é preciso levar em conta três pontos:

  • decisão
  • organização
  • planejamento

No caso dos MEI’s, é preciso ter clareza de objetivo. Por exemplo, que negócio pretende vender, que serviço pretende entregar etc. Em segundo lugar, a busca por conhecimento e desenvolvimento de habilidades que o tornem melhor naquilo que deseja fazer. 

Quando tudo estiver pronto e a decisão tomada, é essencial estabelecer regras claras com a família. Assim, o trabalho em casa não corre o risco de ser minado por tarefas que nada tem a ver com a atividade profissional.

"Ao iniciar o processo, muitas pessoas descobrem que pequenas situações são inimigas dessa modalidade de trabalho", destaca a psicóloga. 

Confira 5 dicas para transformar o seu hobby em carreira

Tochetto sugere algumas dicas com o intuito de superar os obstáculos que podem surgir ao trabalhar em casa. São elas:

► Criar uma rotina:

As horas dedicadas ao trabalho não podem se misturar com as horas dedicadas ao lar, onde a pessoa guarda a intimidade. Tochetto recomenda um ambiente exclusivo para realizar as tarefas profissionais e sugere um ritual diário: 

“Tire o pijama, coloque uma roupa como se fosse ir trabalhar fora e ao longo do dia tente não desfocar das atividades propostas.”

Criar uma agenda

É muito importante não confundir flexibilidade com tempo livre!

"O que acontece com alguns profissionais em modalidade 'home office' é que acreditam poder resolver qualquer problema a qualquer instante do dia, afinal não têm patrão e podem dispor do tempo da maneira que desejarem", relata Tochetto. 

Agir dessa forma pode minar a produtividade. Por isso é tão importante fazer uma agenda semanal e tentar não se desviar dela. A psicóloga até sugere que já se considere o espaço para atividades que não estejam atreladas ao trabalho (almoçar, lavar a roupa, pegar os filhos na escola etc.). 

Essa tarefas pessoais, contudo, também precisam ter horários pré-estabelecidos. "Coloque horário fixos, siga sua agenda e não deixe situações externas interferirem o tempo todo na sua produtividade. Não abra exceções", diz.

Classificar informações

Com a agenda em mãos e ciente de suas atividades diárias e de seus objetivos profissionais, a pessoa que trabalha na modalidade "home office" deve classificar as informações que chegam até ela. 

Para isso, é preciso levar em conta o que pode impulsionar o negócio e o que não fará diferença alguma para o empreendimento. A psicóloga sugere a classificação das informações como: urgente; importante; e irrelevante.

Estabelecer uma separação bem definida entre profissão e família é essencial para quem trabalha em casa. Manter as atividades e horários misturados, como aponta a psicóloga, acabar trazendo anseios desnecessários e diminui a produtividade necessárias. 

Para Tochetto, a falta de organização e a falta de foco em relação às horas dedicadas ao trabalho podem gerar um acúmulo das atividades laborais. Isso, por sua vez, acarreta a execução de baixa qualidade e prejudica a entrega. "Em longo prazo isso pode gerar frustração e desistência", conclui.

Comentários