Governo anunciará medidas para geração de empregos em novembro


No último dia 21, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, anunciou que em novembro o governo lançará um pacote de medidas, cujo objetivo é impulsionar a geração de empregos no país. A informação foi dada durante uma entrevista à Rádio Gaúcha.

Entre as ações, foi citada a carteira verde e amarela. Basicamente, a carteira é um modelo alternativo à tradicional carteira de trabalho. Nesse novo sistema, o empregado abre mão de alguns benefícios trabalhistas.

O modelo proposto durante a campanha do presidente Jair Bolsonaro, deve entrar em vigor, mas seu funcionamento ainda está em estudo.

“A ideia é agora, no princípio do mês de novembro, apresentar algumas ações ligadas à questão da empregabilidade. Nós estamos preocupados com a carteira verde e amarela, que deverá ser colocada de uma forma que eu não vou antecipar aqui, porque estamos ainda em tratativas internas, mas  vamos colocar algo nesse sentido para melhorar a empregabilidade, principalmente para o jovem, no primeiro emprego, e às pessoas acima de 55 anos”, disse Rogério Marinho.

Jovens trabalhando
Medidas vão beneficiar jovens em busca do primeiro emprego (Foto: Pixabay)

Governo que estimular o empreendedorismo entre os mais pobres

Outra medida citada pelo secretário foi a apresentação de ações de microcrédito para a população de baixa renda. O objetivo é estimular e apoiar o empreendedorismo entre os mais pobres.

“A ideia é buscarmos aquele segmento da população que tradicionalmente tem maior dificuldade de acesso a crédito, por dificuldades em ter fiadores ou garantias formais, para fazer seu empreendimento”, explicou.

E, ainda, justificou: “Estão nas mãos de agiotas, de uma economia informal que infelizmente faz com que sua capacidade de produção fique obliterada pelo valor do crédito, do financiamento que eles têm possibilidade de buscar nesse mercado informal.”

O secretário ainda adiantou que há quatro grupos dentro da secretaria de Previdência e Trabalho estudando soluções para a melhoria no mercado de trabalho brasileiro. Segundo Rogério, o governo trabalha com uma projeção sobre o número de vagas que serão geradas após a implementação dessas medidas.

+ Caixa antecipa calendário do saque imediato do FGTS. Entenda!

+ Entrevista de emprego: como passar a melhor primeira impressão?

Governo estuda mudanças no pagamento de auxílio-doença

No entanto, o secretário disse que tais dados ainda devem ser mantidos em sigilo. Para Rogério, o pacote de medidas a serem implantadas resolvem parte do problema de desemprego no país, mas são as reformas promovidas pelo governo que vão ajudar a combater o desemprego de maneira geral.

“São ações que o governo está gestando e deve anunciar no sentido de atingir principalmente aquelas camadas menos favorecidas da sociedade, que têm maior dificuldade de empregabilidade e de inserção na economia. A mudança estrutural que o governo está promovendo é que vai gerar esse movimento cíclico ou esse ciclo virtuoso.”

Ainda durante a entrevista o secretário Rogério Marinho falou sobre a possibilidade de o governo federal transferir a responsabilidade do pagamento do auxílio-doença para as empresas. Atualmente, é o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) o responsável por esses repasses.

Os empresários poderiam fazer uma compensação via importo ao assumir esse compromisso. “O que o governo está propondo, é que os 15 dias remanescentes passem a ficar como responsabilidade da empresa. E a empresa pode fazer a compensação no mesmo mês com o outro imposto. É um processo meramente contábil. Não significa nenhum aumento de carga tributária”, ressaltou.

Comentários