Concurso TJDFT: veja quais disciplinas podem ser cobradas
Saiba quais disciplinas podem ser cobradas nas provas objetivas do novo concurso TJDFT para área de apoio.
10/08/2021 06:17 | Atualizado: 12/08/2021 10:53
10/08/2021 06:17 | Atualizado: 12/08/2021 10:53

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios já iniciou os preparativos do novo concurso TJDFT para área de apoio. A oferta deve contemplar os cargos de técnico e analista judiciário, que exigem os níveis médio e superior, respectivamente.

Como o tribunal não realiza concursos desde 2015, a tendência é que a próxima seleção seja concorrida. Por isso, a recomendação é iniciar os estudos e não esperar o edital para começar a preparação.

Mas quais serão as disciplinas cobradas? O TJDFT ainda não divulgou o conteúdo programático do novo concurso. Porém, as disciplinas do último processo seletivo do órgão podem servir como um guia para os estudos.

Uma vez que o tribunal não costuma mudar a estrutura dos concursos. O que pode acontecer é que tópicos dentro das disciplinas sejam atualizados, em função do tempo.

O último concurso TJDFT foi realizado em 2015 e teve o Cebraspe (antigo Cespe/UnB) como organizador. As provas objetivas foram compostas por 120 itens entre Conhecimentos Básicos (50) e Conhecimentos Específicos (70).

Sede do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios
TJDFT prepara novo concurso para cargos da área de
apoio (Foto: Divulgação)

A avaliação de Conhecimentos Básicos teve as seguintes disciplinas:

  • Língua Portuguesa;
  • Noções de Informática;
  • Ética no Serviço Público;
  • Atualidades.

As disciplinas de Conhecimentos Específicos foram variáveis por cargo. Por exemplo, para técnico judiciário da área administrativa, que exige apenas o nível médio, os conteúdos cobrados foram: Noções de Direito Constitucional; Noções de Direito Administrativo; Noções de Direito Civil.

Além de Noções de Direito Processual Civil; Noções de Direito Penal; Noções de Direito Processual Penal; Regimento interno do TJDFT; Provimento geral da Corregedoria aplicado aos juízes e ofícios judiciais.

No total, o último concurso disponibilizou 80 vagas imediatas para níveis médio e superior. Para técnicos, as oportunidades foram na área Administrativa e nas especialidades de Enfermagem e Programação de Sistemas.

Já para analistas, as chances foram para a área Judiciária, sem especialidade, e para oficial de justiça avaliador federal.

A seleção também teve vagas para especialidades de Odontologia (Dentística), Medicina (Psiquiatria, Pediatria, Neurologia, Ginecologia-Obstetrícia e Clínica Médica), Suporte em Tecnologia da Informação, Psicologia, Biblioteconomia e Análise de Sistemas.

Mantenha sua preparação para o novo concurso TJDFT

Um ponto que pode colaborar para abertura de novos concursos é que o TJDFT tem 111 provimentos previstos na Lei Orçamentária Anual de 2021, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro. 

Com o avanço nos preparativos do novo concurso, os interessados em ingressar no TJDFT devem intensificar a preparação.

Você sabia que a Folha Dirigida também tem cursos preparatórios para concursos? A Folha Cursos dispõe de videoaulas, material escrito e questões comentadas para te auxiliar no caminho até a posse. 

Confira os cursos para carreiras de tribunais e comece já sua preparação!

Concurso TJDFT: presidente fala sobre prazo de edital

O presidente do TJDFT, desembargador Romeu Gonzaga Neiva, estima que o novo concurso seja realizado ainda este ano. No entanto, caso não seja possível, o edital deve ficar para o início de 2022.

"A nossa ideia é viabilizar o concurso no segundo semestre, mas nós estamos estudando. Há, inclusive, conversas aqui para tentarmos fazer concurso para magistrados também, porque tivemos perdas por conta da Covid-19 e aposentadorias, mas esse é um estudo paralelo. Para técnicos, o nosso propósito é dentro do segundo semestre dar os primeiros passos para concretizar, senão esse ano, pelo menos no início do ano que vem", disse o presidente.

O tribunal deve verificar a disponibilidade orçamentária para as nomeações e realizar a licitação para contratar a banca organizadora. Além de identificar quais cargos e áreas têm a maior necessidade de reposição de pessoal.

No início de julho, o presidente do tribunal anunciou que a minuta do edital começaria a ser elaborada. Ele reconheceu o grande déficit de servidores e informou que outros órgãos não estão mais cedendo aprovados em seus respectivos concursos.

“Temos inúmeras aposentadorias e os tribunais que têm concursos abertos não querem ceder servidores para nós e estamos ficando em situação difícil. Então hoje nós vamos trabalhar para que, a partir da semana que vem, preparemos a minuta de um edital. O problema de falta de servidor está na raiz de tudo. Vamos tentar resolver", disse Neiva.

A minuta do edital, por sua vez, traz dados sobre cargos, vagas, lotações, requisitos e estrutura de provas. Ela é um dos principais passos para abertura do concurso.

Quer receber novidades sobre concursos?
Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!
Newsletter
Carregando...