Especial Sistema Prisional - Veja os números da crise por estado

Confira os estados com deficit e o maior número de presos por agente e os concursos de agente penitenciário previstos.

27/02/2018 09:05 | Atualizado: 27/02/2018 09:45

27/02/2018 09:05 | Atualizado: 27/02/2018 09:45
sistema prisionalA crise no sistema prisional brasileiro é bastante democrática e atinge a quase todos os estados da federação. Segundo a resolução nº 9, de 2009, do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP), o número ideal de agentes prisionais seria de um para cada cinco presos. Mas no Brasil, apenas quatro estados conseguem manter esse limite: Amapá, Minas Gerais, Rondônia e Tocantins.  

Para os outros, o que resta é o caos. E é sobre essa crise, estado a estado, que a segunda matéria de série de reportagem "Sistema Penitenciário Brasileiro, de FOLHA DIRIGIDA, se debruça agora.
 
Segundo dados do Infopen, em Junho de 2016, a população prisional brasileira ultrapassou, pela primeira vez na história, a marca de 700 mil pessoas. O estado de São Paulo é o que concentra a maior quantidade de presos, com 240.061 detentos, o que representa, 33,1% de toda a população prisional do país.
 
Mas o número de agentes prisionais da maior capital do país não acompanhou o crescimento populacional de presos. São apenas 25.832 agentes para cuidar dos mais de 240 mil detentos, o que dá uma proporção de 9,2 para cada agente. No entanto, este ainda não é o pior caso.
 
Leia nesta matéria:
Estados com maior déficit
Concursos previstos e em andamento
Concurso Depen
 

A crise por estados

Pernambuco é o estado com a maior média de presos por agentes e, consequentemente com o maior deficit de servidores nesta função. São 35 presos para cada agente de custódia. Na sequência vem Mato Grosso do Sul, com 18,6 presos para cada servidor, e Alagoas, com 15,1, e Rio Grande do Norte com 13,2.

A crise do sistema prisional brasileiro tem ainda uma outra faceta: além da falta de agentes que deem conta da população carcerária, o número de trabalhadores na função é formado por concursados, terceirizados e temporários. Em alguns estados brasileiros, a proporção de terceirizados e temporários é de 67% em relação a de efetivos. Caso do Amazonas.

Neste quesito, os campeões da falta de funcionários públicos são: Pará - com 88% -, Goiás - com 60% e Maranhão - com 52%.  Confira a situação de outros estados na tabela abaixo.

Não perca a terceira matéria desta série de reportagem: "Especial Sistema Prisional - Estados com os maiores deficit falam sobre a previsão de concursos"

Confira a distribuição pelos demais estados
 
tabela servidores prisionais

Quer visualizar agora esse conteúdo?

Então não perca tempo e cadastre-se agora! Você terá acesso a conteúdos exclusivos para cadastrados.

OU

Já possui uma conta?

Newsletter

Newsletter

Quer receber novidades sobre concursos?

Quer receber diretamente no seu e-mail as principais notícias dos concursos da sua região?

E de quebra dicas para seus estudo? Cadastre-se gratuitamente na newsletter FD para ter tudo isso!

Sobre o concurso

Noticiário

Especial Sistema Penitenciário

Nacional
Não informado
Não informado
Não informado

Preparação