6 motivos para fazer o concurso Senado de policial legislativo

Está em dúvida sobre participar ou não do concurso Senado para policial legislativo? Folha Dirigida lista 6 motivos para começar os estudos!

25/12/2020 12:11

Por: Bruna Somma

25/12/2020 12:11 - Por: Bruna Somma

Em 2021, o Senado Federal deve retomar os preparativos de novo concurso com 40 vagas para os níveis médio e superior. Um dos destaques deve ser o cargo de técnico legislativo, na especialidade de policial legislativo, com 24 oportunidades autorizadas para preenchimento.

Os policiais legislativos realizam o policiamento de todas as dependências do Senado Federal, assim como a fiscalização da entrada e saída de pessoas, assistência às autoridades na realização de inquéritos ou investigações policiais, e outras tarefas correlatas.

A carreira deve atrair um número significativo de inscritos em função de seus requisitos, salários e estabilidade. Mas esses não são os únicos motivos para você fazer o concurso Senado de policial legislativo. Confira a seguir:

#1 Exigência de nível médio

O cargo de policial legislativo do Senado exige o ensino médio completo para ingresso. É necessário também ter Carteira Nacional de Habilitação, no mínimo, na categoria “B”, não sendo necessária altura mínima ou idade máxima, como acontece em outros concursos policiais.

A carreira não tem restrições enquanto ao uso de barba e/ou tatuagens. Para ser um policial do Senado é preciso ter controle emocional, domínio psicomotor, resistência a frustração, maturidade, iniciativa e fluência verbal.

#2 Remuneração inicial de R$20 mil

Um dos principais motivos para fazer o concurso Senado de policial legislativo é a remuneração. Os aprovados receberão, inicialmente, R$20.410,07 por mês. Esse valor representa cerca de 19 vezes o salário mínimo atual, de R$1.045.

Esse valor já conta com o auxílio-alimentação de R$982,28. Além disso, os policiais ainda têm direito a R$147,83 de auxílio-transporte, R$676 de assistência médica e odontológica, R$831,95 de assistência pré-escolar, exames periódicos e capacitações. 

Policiais legislativos do Senado exigem apenas nível médio e contam com salários iniciais de R$20 mil
Policiais legislativos do Senado precisam apenas do nível médio e contam
com salários iniciais de R$20 mil (Foto: Divulgação)

A lotação é em Brasília, no Senado Federal. A contratação dos aprovados no concurso é feita pelo regime estatutário, que garante a estabilidade empregatícia nos cargos.

#3 Provas em todo país

As provas do concurso para o Senado Federal devem ser aplicadas em todas as capitais brasileiras. O que representa mais um motivo para quem não mora em Brasília começar a se preparar.

Você não precisará ter custos com deslocamentos, por exemplo, para realizar as avaliações na capital federal. O Senado já afirmou que, pela perspectiva de 100 mil inscritos no concurso, as provas não ocorrerão somente em Brasília.

Assim como nas seleções de 2008 e 2011, as etapas, ou pelo menos a prova objetiva, devem ser aplicadas em todas as capitais.

#4 Possibilidade de chamada do cadastro de reserva

De acordo com o Portal da Transparência do Senado Federal, existem 180 cargos vagos de policial legislativo em 2020. Como o próximo concurso será destinado, a principio, a 24 vagas, a tendência é que o cadastro de reserva seja bem utilizado.

Vale lembrar que a chamada de excedentes depende, além da necessidade de servidores, de orçamento disponível para as nomeações.

Em entrevista à Folha Dirigida, o policial legislativo, Diego Fontes, aponta que esse cargo deverá ser o com maior número de convocações.

Fontes, que atua na função desde 2014 e é professor e diretor pedagógico da Escola Nacional de Polícia (Enapol), aposta que mais de 100 poderão ser nomeados para o cargo. 

#5 Dia a dia no Senado Federal

A jornada normal de trabalho dos policiais legislativos é de 40 horas. Em casos de viagens a serviço, é possível ganhar hora extra e diárias.

Policiais legislativos relatam que um dos pontos mais gratificantes de carreira é poder acompanhar de perto a história do país. Nos bastidores, mas de forma ativa.

Diego Fontes, por exemplo, conta que nas sessões plenárias, onde são decididos pontos cruciantes das políticas nacionais, cabe ao policial avaliar se há condições de segurança ideais para esses eventos ocorrerem. 

"Estou há seis anos no cargo e nesse tempo acompanhei três posses presidenciais: Dilma Rousseff, Michel Temer e do atual presidente, Jair Bolsonaro. Acompanhei também o processo de impeachment. Momentos que são marcantes na história do país."

#6 Possibilidade de exercer outras funções

Assim como qualquer policial, os aprovados no concurso Senado têm como objetivo garantir a segurança e integridade física de pessoas e do patrimônio na área de jurisdição do policiamento do Senado Federal. 

Os policiais legislativos têm porte de arma e o armamento utilizado é uma pistola glock .40. Além disso, ainda existe a possibilidade de trabalhar na área administrativa no Departamento de Polícia Legislativa (Depol). Também é possível ingressar em outras áreas, como inteligência, por exemplo.

Os aprovados no concurso ainda podem exercer uma outra atividade privada, com algumas restrições obviamente. Como por exemplo, dar aulas em cursos preparatórios. 

Concurso Senado teve preparativos suspensos pela pandemia

No final de 2019, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, concedeu aval para abertura de novo concurso com 40 vagas. A oferta é para os níveis médio e superior.

Além de policial legislativo, a seleção terá quatro oportunidades para advogado. Graduados em Direito poderão desfrutar de salários iniciais de R$34.443,96, se aprovados. 

Serão disponibilizadas também 12 chances para analista legislativo, em especialidades com exigência de nível superior em ramos específicos. Como Administração (duas), Arquivologia (uma), Assistência Social (uma), Contabilidade (uma), Enfermagem (uma). 

Assim como Informática Legislativa (uma), Processo Legislativo (duas), Registro e Redação Parlamentar (uma), Engenharia do Trabalho (uma), Engenharia Eletrônica e Telecomunicações (uma). Nesse caso, os salários atuais são de R$26.880,04.

Os valores das remunerações do Senado contam com o auxílio-alimentação de R$982,28. Logo após a autorização do concurso, a Casa formou uma comissão para tocar os preparativos do edital.

O grupo elaborou o projeto básico, recebeu propostas de bancas organizadoras e chegou a indicar o Cebraspe como instituição a ser contratada para aplicação das provas.

Porém, com a chegada da pandemia no país este ano, o Senado revogou a comissão organizadora do concurso. De maneira a adiar os trâmites para abertura da seleção para ingresso de servidores efetivos.

A estimativa é que no próximo ano, os processos sejam retomados. Um novo parlamentar, por sua vez, será eleito presidente do Senado. A eleição ocorrerá dia 1°de fevereiro de 2021.

O próximo presidente decidirá sobre o prosseguimento ou não das etapas para o concurso. Em nota enviada à reportagem, no mês de agosto, o Senado garantiu que o concurso está mantido.

De acordo com a Casa, a publicação do edital e a aplicação das provas dependem da melhora na situação da pandemia.

Quer receber novidades sobre concursos?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!

Carregando...