Concurso Senado: teletrabalho não impede escolha da banca

Mesmo em regime remoto, servidores da Casa continuam no processo de escolha da banca organizadora do novo concurso Senado Federal

19/08/2020 13:30 | Atualizado: 19/08/2020 15:16

Por: Bruna Somma

19/08/2020 13:30 | Atualizado: 19/08/2020 15:16 - Por: Bruna Somma

O teletrabalho ou home office, adotado em função da pandemia do Coronavírus, não impede os preparativos do novo concurso do Senado Federal. Essa foi a posição defendida oficialmente à FOLHA DIRIGIDA nesta quarta-feira, 19, pela assessoria de imprensa da Casa.

No dia 17 de agosto, foi publicado um ato do primeiro-secretário do Senado prorrogando por mais seis meses a vigência das regras de uso do Serviço de Acesso Remoto da Rede Local do Senado Federal (SARE).

Questionada se isso poderia atrapalhar os trâmites do concurso Senado, como a escolha da banca organizadora, a assessoria enviou a seguinte nota:

“O Ato nº 8/2020, do Primeiro-Secretário em nada interfere nos trâmites e preparativos do concurso público do Senado Federal. Absolutamente”.

Dessa forma, os preparativos seguem dentro do previsto. O Senado trabalha, no momento, na escolha da banca organizadora. Após análise dos requisitos jurídicos, técnicos e financeiros, três instituições foram classificadas no processo de licitação.

São elas: Cebraspe, Fundação Getulio Vargas e o Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (Idecan).

Senado Federal, em Brasília
Mesmo em regime remoto, servidores continuam na escolha da
banca organizadora do concurso Senado (Foto: Divulgação)

 

"Para a assinatura do contrato, serão observadas as normas procedimentais estabelecidas pelo  Ato da Diretoria-Geral nº 9/2015 , que estabelece o Regulamento de Compras e Contratações do Senado Federal, e a assinatura do contrato somente ocorrerá após a deliberação das autoridades competentes", consta em nota enviada à reportagem.

Segundo fontes da FOLHA DIRIGIDA, o Cebraspe (antigo Cespe/UnB) é a banca cotada para a organização do concurso. A reportagem entrou em contato com o Senado para confirmar o nome da organizadora. O setor de imprensa, até a última atualização deste conteúdo, não respondeu. 

No total, oito bancas estavam na disputa para organizar o concurso do Senado Federal:

  • Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe);
  • Instituto Acesso de Ensino, Pesquisa, Avaliação, Seleção e Emprego;
  • Instituto AOCP;
  • Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC);
  • Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (Idecan);
  • Instituto Mais de Gestão e Desenvolvimento Social (Imais);
  • Fundação Getulio Vargas (FGV);
  • FUNRIO - Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino e Assistência à Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro e ao Hospital Universitário Gaffrée e Guinle da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

A banca organizadora contratada será responsável por receber as inscrições do concurso e aplicar as etapas, como provas objetivas.

+ Quer passar em concursos públicos? Saiba como!
+ Especial Dicas Senado: tire dúvidas de Informática

Quanto ganha um aprovado no concurso Senado?

O novo concurso Senado foi autorizado em outubro de 2019. O aval é para o 40 vagas em cargos dos níveis médio e superior. Desse total, 24 serão para técnico legislativo na especialidade de policial legislativo.

O cargo exige o ensino médio completo para inscrição e oferece vencimentos de R$20.410,07. O que indica cerca de 19 vezes o valor do salário mínimo atual, de R$1.045.

Serão abertas ainda quatro oportunidades para advogado. Graduados em Direito poderão ter ganhos iniciais de R$34.443,96, se aprovados no concurso. Isso representa mais de 32 vezes o valor do salário mínimo.

Também serão disponibilizadas 12 chances para analista legislativo, em especialidades com exigência de nível superior em ramos específicos. Como Administração (duas), Arquivologia (uma), Assistência Social (uma), Contabilidade (uma), Enfermagem (uma). 

Além de Informática Legislativa (uma), Processo Legislativo (duas), Registro e Redação Parlamentar (uma), Engenharia do Trabalho (uma), Engenharia Eletrônica e Telecomunicações (uma). Nesse caso, os vencimentos atuais são de R$26.880,04, equivalente a mais de 25 salários mínimos.

Os valores das remunerações do Senado já incluem o auxílio-alimentação de R$982,28, como podemos ver na tabela abaixo:

CarreirasVencimentoAuxílio-alimentaçãoRemuneração total
PolicialR$19.427,79R$982,28R$20.410,07
AnalistaR$25.897,76R$982,28R$26.880,04
AdvogadoR$33.461,68R$982,28R$34.443,96

 

Os aprovados no concurso Senado também têm direito a R$147,83 de auxílio-transporte, R$676 de assistência médica e odontológica, R$831,95 de assistência pré-escolar.

Assim como exames periódicos e capacitações. Os servidores são contratados pelo regime estatutário, que garante a estabilidade empregatícia.

Resumo concurso Senado

  • Órgão: Senado Federal
  • Vagas: 40
  • Cargos: técnico legislativo, advogado e analista legislativo
  • Requisitos: níveis médio e superior
  • Taxas: R$194,57 (policial legislativo), R$258,97 (analista legislativo) e R$334,61 (advogado). 
  • Remunerações: R$20.410,07 a R$34.443,96
  • Banca: em definição

Confira os detalhes da carreira de policial legislativo do Senado: 

Novo concurso Senado já tem etapas confirmadas

FOLHA DIRIGIDA teve acesso ao projeto básico do concurso Senado, que funciona como um espelho para o edital. O documento apresenta informações importantes, como cargos, vagos, estrutura de provas e disciplinas que serão cobradas.

Segundo projeto do edital, os concorrentes serão avaliados pelas seguintes etapas:

► Policial legislativo: prova objetiva; prova discursiva; exame de sanidade física e mental; teste de aptidão física; exame psicotécnico; sindicância de vida pregressa e investigação social; prova de títulos.

► Analista legislativo: prova objetiva; prova discursiva; prova prática (para especialidade de registro e redação parlamentar); prova de títulos.

► Advogado: prova objetiva; prova discursiva; prova oral; prova de títulos.

As provas objetivas e discursivas serão aplicadas em todas as capitais dos estados e no Distrito Federal. As demais fases ocorrerão apenas na capital federal, inclusive a prova discursiva para o cargo de advogado.

Haverá também perícia médica e procedimento de heteroidentificação para inscritos com deficiência e concorrentes autodeclarados negros, respectivamente.

O valor mínimo para taxa de inscrição, de acordo com o projeto básico, será de R$194,57 para policial legislativo, R$258,97 para analista legislativo e R$334,61 para advogado. 

O Senado Federal ainda não confirmou uma data para divulgação do edital, em função do Coronavírus e da crise econômica atual. 

"Considerando a crise de saúde pública atual e o rito procedimental para formalização do contrato, não há previsão para publicação do Edital de Abertura", disse Roberci Ribeiro, presidente da comissão examinadora.

Quer receber novidades sobre concursos?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!

Carregando...