Concurso PRF: saiba como se preparou um dos primeiros colocados

Primeiro colocado do concurso PRF no Acre conta como foi sua preparação para a prova objetiva.

22/03/2019 09:20 | Atualizado: 22/03/2019 13:32

22/03/2019 09:20 | Atualizado: 22/03/2019 13:32

Ser aprovado na prova objetiva do concurso da PRF já é uma conquista e motivo de comemoração, mesmo sabendo que ainda há outras etapas. E ser o primeiro colocado da sua região? Você já imaginou estar nessa posição após uma longa jornada de estudo e esforço?

Esse foi o caso de Lucas Silva, primeiro colocado na prova objetiva do concurso da Polícia Rodoviária Federal na Unidade Federativa do Acre. O concorrente se preparou com o Projetos Missões, com simulados, e teve êxito ao se deparar com esse resultado.

A reportagem da FOLHA DIRIGIDA conversou com Lucas, que é formado em Direito e disse que o concurso PRF foi o primeiro que realmente se dedicou aos estudos. E, não foi por menos, que obteve o resultado esperado.

Por que a PRF?

Lucas conta que escolheu a Polícia Rodoviária Federal após ter trabalhado oito anos na área administrativa. Ele revela ter batido o cansaço de todo aquele trabalho excessivamente burocrático. Pelo fato de sempre ter praticado muitos esportes, viu que precisava de algo que o fizesse movimentar.

O concorrente explicou que, de início, simpatizou bastante com a área policial e priorizou o cargo de agente da Polícia Federal. No entanto, agora a sua torcida é mesmo por uma vaga de policial na PRF.

Sobre a motivação, ele conta que o incentivo para começar a estudar para o concurso foi a falta de identificação com a outra área que exercia.

• Concurso PRF: sai resultado e convocação para próximas fases

Formado em Direito, Lucas disse que já era concursado de nível médio e também advogava, mas faltava estar identificado com o que fazia. O salário, segundo ele, era mediano, mas não era algo satisfatório.

"Foi quando conheci minha atual namorada, que me incentivou bastante, e soube que para conseguir chegar à um próximo nível, eu teria que, enfim, estudar. E correr atrás."

Lucas conta que estudou com afinco também para o concurso de agente da Polícia Federal. Mas, por apenas três pontos não conseguiu a aprovação necessária para as próximas fases.

Segundo ele, nesse período que veio se dedicando aos estudos prestou alguns concursos de nível médio na sua cidade, inclusive para o cargo o qual exerce hoje, mas revela que alguns outros fez apenas para testes, sem pretensão de passar.

"Prestei concurso para Agente de Polícia Civil do Acre, esse estudei pouco mais de um mês e consegui obter a aprovação. Isso me motivou a seguir no concurso de carreiras policiais. Prestei ainda os concursos do TRF(Segurança), Abin (Agente de Inteligência), este segundo eu consegui a aprovação e MPU(Técnico Administrativo)."

A maioria desses concursos citados pelo candidato foram realizados pelo Cebraspe, que é a banca organizadora do concurso PRF. Assim, ele conseguiu ganhar mais familiaridade com o tipo de provas e se dar bem na da Polícia Rodoviária Federal.

• Prova objetiva do concurso PRF tem 12 questões anuladas. Confira!

Como foi a preparação para o concurso PRF?

Lucas conta que na escola e na faculdade sempre foi um aluno mediano, que não tinha muito interesse pelos estudos. E isso poderia atrapalhar, mas o seu foco foi maior.

Ele iniciou a preparação com o foco no cargo de agente da PF, há um ano e sete meses. Ele revela que o edital sofreu bastante alteração, o que dificultou o seu rendimento e interferiu no resultado, não conseguindo a aprovação.

Para a PRF, ele explica que a mudança no edital o beneficiou, diferentemente do ocorrido na Polícia Federal. Neste, com exceção da disciplina específica, as demais coincidiram com as que foram cobradas no cargo de agente.

No entanto, para que isso tudo fosse possível ele precisou fazer alguns sacrifícios e abdicar de algumas situações e bens, para ter uma recompensa no futuro.

"Em 2018 decidi pedir licença do meu trabalho para me dedicar somente aos estudos. Para me manter nesse período vendi o meu carro, único bem que possuía, e passei a me dedicar somente aos estudos. Nos últimos 6 meses abdiquei também das atividades físicas, mas não é algo que eu recomende para ninguém, principalmente na área de carreiras policiais."

Primeiro colocado na PRF fala da sua preparação (Foto: Divulgação)
Primeiro colocado na PRF fala de como foi a sua preparação para a prova
(Foto: Divulgação)

O Projetos Missão como diferencial

Lucas Silva resolveu, além de estudar por conta própria, procurar ajuda especializada para lograr êxito no concurso da PRF. Ele conta que passou os primeiros cinco meses a procura dos melhores métodos de estudo e materiais. E nessa busca se deparou com o site do Saga Policial, onde conheceu o Projetos Missão .

Por meio de simulados, materiais especializados e feitos dedicados ao concurso que ele queria, Lucas conta que o projeto foi um fator diferencial.

"Nunca levei as notas do Projetos Missão como competição com os meus colegas, mas utilizava-os como ferramenta de estudo, principalmente para identificar as áreas em que estava mais deficitário. Dessa forma conseguia dar enfoque nas minhas fraquezas."

A preparação para o TAF

Mesmo tendo obtido uma boa nota e a melhor colocação de sua região, o concurso PRF ainda não acabou para o candidato. A próxima etapa será o Teste de Aptidão Física.

Todos os aprovados realizarão os exames no próximo fim de semana, dias 23 e 24 de março. O exame é composto por quatro testes:

  • Teste de flexão em barra fixa
  • Teste de impulsão horizontal
  • Teste de flexão abdominal
  • Teste de corrida de 12 minutos

Prepare-se para a etapa de teste físico da PRF
botão com link de curso

♦ Concurso PRF: veja dicas de preparação para o teste físico

Lucas conta que sempre foi um praticante de atividades físicas desde a infância e, portanto, nunca teve nenhuma dificuldade com a execução dos testes físicos. No entanto, revela que é importante o preparo com antecedência.

Ele menciona que durante os estudos manteve a sua rotina de treinos em conjunto. No entanto, nos últimos seis meses acabou deixando a preparação de lado, mas não recomenda essa prática. Isso porque ele voltou aos treinos após a prova objetiva e sentiu bastante dificuldade pela falta de rítmo.

"A minha sorte foi que sempre fui um praticante assíduo e consegui recuperar parte da minha preparação, mas o ideal é que reserve pelo menos uma hora do seu dia para atividades físicas".

Sobre o diferencial para o melhor resultado no concurso, ele dedica à Deus, destaca ainda a sua fé, por ter acreditado até o final que conseguiria a aprovação, após ter estudado com muita dedicação. 

Segundo ele, muitas pessoas deixam para estudar apenas quando conseguem algum tempo. E ele revela que era uma dessas pessoas no início. Mas começou a colocar os seus estudos e a vontade que tinha de querer mudar na frente de qualquer outra coisa.

"Vivam isso, é um período importante para o amadurecimento. Queira de verdade, sonhe com isso, acredite nisso, tenham fé! Viva isso! Procure técnicas que lhes auxiliem e sentem na cadeira. Cada dia que acordar imagine como seria sua vida com o objetivo alcançado, crie metas e as cumpra. Vai ter dia difícil, vai ter dia que renderá mais, isso é normal, o que faz a diferença é a perseverança, persevere apesar das dificuldades!"

Newsletter

Newsletter

Quer receber novidades sobre concursos?

Quer receber diretamente no seu e-mail as principais notícias dos concursos da sua região?

E de quebra dicas para seus estudo? Cadastre-se gratuitamente na newsletter FD para ter tudo isso!