Concurso PRF: saiba o que atrapalha e como ter controle emocional

Está se preparando para o concurso PRF? Confira dicas de como se preparar e se dar bem na etapa de avaliação psicológica.

09/09/2020 08:00

Por: Mateus Carvalho

09/09/2020 08:00 - Por: Mateus Carvalho

Uma das etapas do concurso PRF será a avaliação psicológica, geralmente considerada a quarta ou quinta fase da seleção. Essa é uma parte eliminatória e precisa de todo o cuidado e atenção dos candidatos, que geralmente não sabem como ter controle emocional.

Por isso, a Folha Dirigida conversou com a master coach e especialista em ajudar pessoas na criação de metas, Livia Cavalcanti. Segundo ela, controle emocional hoje em dia é algo que dá para qualquer pessoa fazer um desenvolvimento, sem reclamar que não há conteúdo para isso.

Antes de você conhecer mais dicas, é preciso entender como funciona essa etapa do concurso público. Geralmente, são convocados para a avaliação psicológico os aprovados no exame de saúde, que também pode eliminar.

Como funciona a avaliação psicológica?

A avaliação psicológica do concurso PRF consiste aplicar e avaliar instrumentos e técnicas que validam e permitem identificar a compatibilidade e as características psicológicas do candidato com o respectivo cargo, sendo:

  • personalidade: controle emocional, empatia, liderança, tomada de decisão, dinamismo, comunicabilidade, planejamento, organização, relacionamento interpessoal, persistência, prudência, objetividade, criatividade/inovação, urbanidade, comprometimento, autoconfiança, assertividade, proatividade, entre outros;
  • raciocínio: raciocínio espacial, raciocínio lógico, raciocínio verbal; e
  • habilidades específicas: atenção concentrada/sustentada, atenção dividida/difusa, memória visual.

Além disso, a avaliação psicológica ainda avaliará os requisitos restritivos ou impeditivos ao desempenho das atribuições do cargo, que fazem parte da dimensão personalidade, por exemplo: agressividade inadequada e impulsividade exacerbada.

Como ter controle emocional?

Essa é uma pergunta que parece meio enigmática e sem uma resposta rápida, né? Falar de controle emocional pode ser um desafio, principalmente em uma época tão anormal como essa, durante a pandemia.

Para Lívia, muitos estão desistindo do concurso público, seja na etapa da prova ou em qualquer outro estágio/exame, uma vez que a sociedade tem gerado nas pessoas um espírito de imediatismo.

A coach ainda cita toda a expectativa criada em e associada em meio aos anúncios e publicações após a confirmação de entidades e órgãos públicos. A espera e medo de qualquer informação ser cancelada traz um turbilhão de sentimentos, os quais são inevitáveis de controlar.

Após essa explicação, Lívia comenta que gosta de falar e orientas sobre controle emocionar através de duas ferramentas:

Lócus de controle interno

"É aquele que por mais que eu queira, eu não vou controlar. Hoje em dia nós estamos passando todos por uma grande pandemia onde ninguém desde a pessoa mais desprovida de conhecimento, passando pelos cientistas, ninguém consegue controlar um vírus no qual está sobre o controle de absolutamente nenhuma pessoa. E quando a gente fala de concurso público as vagas já estão ai todos os órgãos dizem da necessidade de pessoas que estão se aposentando, pessoas que estão desistindo da carreira, enfim. Mas existe um orçamento, bem como existe um lançamento de edital, arrecadação e tudo que nós sabemos que envolve um concurso público e que nós conseguimos controlar mas a nossa tomada de decisão, a nossa impaciência nós conseguimos controlar."

Lócus de controle interno

"Depende única e exclusivamente de mim. E como eu posso desenvolver isso? Através da autoconsciência, do controle dos impulsos, de analisar o ambiente, de ter a resiliência, mas, acima de tudo, saber onde eu quero chegar e que se esse concurso foi nesse momento adiado eu tenho mais tempo de preparo para estudar."

Como controlar?

Através de um acompanhamento, podendo ele ser de:

  • psicólogo;
  • psiquiatra;
  • terapeuta;
  • coach;
  • mentor.

Lívia explica que a desistência tem se tornado cada vez maior por conta do aspecto emocional. Muita gente, segundo ela, tem apenas participado de um concurso público e não definitivamente concorrendo, sem qualquer tipo de controle emocional são pegos pela fragilidade.

Estes, ouvem as pessoas erradas, perdem o foco e, acima de tudo: deixam de lado excelentes oportunidades. 

Qual é a base de um controle emocional?

"Acima de tudo, principalmente para os que estão iniciando no concurso público, digo que é a inteligência emocional. É saber exatamente aonde quero chegar, qual é a minha missão, qual é o meu propósito."

(Foto: Divulgação)
PRF terá avaliação psicológica como uma etapa do concurso
(Foto: Divulgação)

O que fazer e o que não fazer na véspera da prova?

Você deve achar que apenas o dia da prova escrita, de fato, é o que importa, não é? Se acha isso, calma, pois você pode estar equivocado.

Os dias que a antecedem, principalmente a véspera, também são muito importantes e poderá comprometer o seu rendimento de forma favorável ou negativa.

Primeiramente, é preciso entender que nesse dia que geralmente lhe traz uma carga de ansiedade, é necessário um momento de relaxamento; um momento de limpar todo e qualquer tipo de pensamento, sentimento e sensação de que abriu mão de algo.

Pense apenas em: coisas positivas, que você teve foco, energia, não lhe faltou entrega, houve espírito de decisão e não precisa correr com nada, pois essa não é a hora.

Isso mesmo, Lívia comenta que na véspera o candidato não deve querer revisar todo um conteúdo, passando o dia com uma sobrecarga e se sentindo ainda mais pesado. Esse deve ser um dia de leveza, o que tinha que se estudado de forma pesada já foi. Sua mente precisa relaxar para não comprometer toda a sua preparação.

"Muitos acabam não dormindo direito na véspera da prova, tomando excesso de cafeína, Redbull, tudo para poder ficar disperso, e isso faz com que não tenha uma noite tranquila de sono, fica no telefone durante muito tempo, fazendo com que mente não desacelere. Sugiro que você dê uma pausa, respire, durma cedo, se alimente de uma maneira muito leve, se hidrate bastante e na hora da prova, antes de começar, respire, baixa um pouquinho aquela adrenalina, quando você toma consciência do seu corpo, respire fundo, lembre-se que você estava preparado para aquilo tudo naquele momento, leva uma água e foca."

Momentos de lazer: prejudicial ou fundamental?

A preparação para realizar um concurso público parece ser uma etapa super tensa, né? E isso acaba se tornando uma verdade, mas que precisa ser aliviada.

Ter momentos de lazer é fundamental. Mas, a coach logo pontua que é algo que precisa ser mediato e feito com bastante moderação.

Como exemplo, ela comenta que a prova do Depen - que ocorreria agora em setembro - trouxe muita expectativa nos candidatos. Tinha gente estudando cerca de oito, dez, 12 horas por dia, em ritmo acelerados, o que pode funcionar de acordo com o indivíduo.

Mas, ainda sim, o cérebro precisa zerar e receber uma aliviada. Por isso, ela comenta e relembra uma técnica chamada de POMODORO, que vem do tomate:

"Estudar durante 30 minutos e depois dar uma pausa de cinco, e depois estudar mais 30 minutos e depois uma pausa de cinco. Você vai ver o quanto ao longo do tempo você vai evoluindo e acima de tudo vai tendo mais foco, mais concentração e consequentemente mais produtividade. O momento de lazer ele é fundamental só que muitos acabam querendo fazer uma recompensa, como maratonar uma série ou ficar o final de semana inteiro, uma vez que é no final de semana que você tem mais disponibilidade de tempo."

Quais os principais fatores que atrapalham o controle emocional?

Para a coach e especialista, Lívia Cavalcanti, os principais fatores que atrapalham o candidato a não ter um bom controle emocional são:

  • desistir no meio do caminho;
  • não ter um planejamento;
  • não ter foco;
  • não saber o que é ser produtivo;
  • estudar de qualquer jeito;
  • não ter constância

O que é constância?

"É fazer todo o dia aquela coisa, não é fazer de vez em quando, é fazer exatamente todos os dias, a repetição é o que traz o sucesso. A repetição é que traz mudança de hábitos, a repetição acima de tudo é o que traz a excelência, e é o que eu consigo ver e perceber a minha evolução e muitos acabam não tendo noção do quanto é importante acompanhar. "

Confira o material de preparação da FOLHA DIRIGIDA e comece já os estudos para o concurso!

✔ E-books 
✔ Provas para download
✔ Artigos sobre concursos
✔ Editais verticalizados
✔ Vídeos com dicas

Newsletter

Newsletter

Quer receber novidades sobre concursos?

Quer receber diretamente no seu e-mail as principais notícias dos concursos da sua região?

E de quebra dicas para seus estudo? Cadastre-se gratuitamente na newsletter FD para ter tudo isso!

Sobre o concurso

Previsto

PRF - 2020 - Policial Rodoviário

Nacional
Não informado
Fund...
Não informado