Em meio a queimadas no Pantanal, senador cobra concurso Bombeiros MT

Após visitar a região de queimadas no Pantanal mato-grossense, senador Jayme Campos enfatiza a necessidade de novo concurso Bombeiros MT

22/09/2020 10:50 | Atualizado: 07/12/2021 13:09

Por: Bruna Somma

22/09/2020 10:50 | Atualizado: 07/12/2021 13:09 - Por: Bruna Somma

Com cerca de 1.400 bombeiros, Mato Grosso não teria condições de conter os incêndios que estão destruindo o Pantanal, o Cerrado e a Amazônia dentro do estado. Essa foi a posição defendida pelo senador Jayme Campos (DEM) no sábado, 19, após visitar a região do Pantanal mato-grossense.

Para o parlamentar, é preciso realizar um novo concurso Bombeiros MT para oxigenar os quadros. Segundo Campos, o atual efetivo da corporação é pequeno para atuar no estado com mais de 900 mil quilômetros quadrados. “Não é possível deixar assim”, apontou.

O senador defendeu a implantação de uma política de preservação ambiental no estado, com parceira do Governo Federal. As informações são do portal ‘O Bom da notícia’.

"O Estado tem capacidade financeira hoje. Pode fazer parceria com o governo federal, mas nós precisamos ter essa consciência. Temos que estabelecer como prioridade a questão da preservação do nosso ecossistema", disse.

Jayme Campos  integra a Comissão Externa Temporária do Congresso Nacional, criada para acompanhar as ações de enfrentamento aos incêndios na região do Pantanal. O grupo esteve nas áreas de queimadas no último sábado.

Bombeiros MT ajudam a conter os focos de incêndio no pantanal mato-grossense
Com efetivo limitado, Bombeiros MT ajudam a conter os focos de incêndio
no pantanal mato-grossense (Foto: Mayke Toscano/Secom-MT)

No dia 11 de agosto, o concurso Bombeiros MT e o reaparelhamento da corporação foram colocados em pauta na Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa (AL MT).

Na ocasião, o presidente da comissão, deputado Delegado Claudinei apontou o efetivo limitado do Corpo de Bombeiros para atender a todos os municípios mato-grossenses.

“Sabemos que a corporação é uma das mais importantes do estado e que enfrenta dificuldades por falta de uma estrutura melhor para atender os 141 municípios devido à distância territorial. É um trabalho árduo no dia a dia e que conta com efetivo limitado para atender as ocorrências em todo estado”, disse o deputado.

Quer passar em concursos públicos? Saiba como!

Comandante-geral reconhece necessidade do concurso Bombeiros MT

Presente na reunião da AL MT, no último dia 11 de agosto, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Estado de Mato Grosso, coronel Alessandro Borges Ferreira, reconheceu a necessidade do novo concurso.

Para ele, é preciso de novos servidores para aumentar o efetivo e poder atender a todos os municípios do Estado.

“Seria uma das alternativas para suprir nossas necessidades, além do projeto do bombeiro temporário, que pretendemos implantar em Mato Grosso”, falou.

Em dezembro de 2018, a Polícia Militar e os Bombeiros de Mato Grosso chegaram a formar uma comissão para o novo concurso de oficial.

Apesar de na seleção anterior ter exigido o nível médio, o cargo passou por uma alteração  de escolaridade e agora tem como requisito o nível superior em Direito. 


A comissão deveria tocar os preparativos dos novos concursos públicos, como por exemplo, a escolha da banca organizadora. No entanto, não foram divulgados outros andamentos do processo desde então.

Folha Dirigida entrou em contato com os Bombeiros para avaliar se o concurso continua no radar da corporação e se os trâmites do novo edital estão em andamento. A instituição, até o momento, não enviou seu posicionamento.

Resumo concurso Bombeiros MT

  • Órgão: Corpo de Bombeiros de Mato Grosso
  • Cargo: oficial
  • Vagas: não informado
  • Status: comissão formada

Último concurso PM e Bombeiros MT para oficiais foi em 2012 

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar de Mato Grosso realizaram o último concurso para oficiais no ano de 2012. O edital trouxe 30 vagas, sendo 27 para homens e três para mulheres.

Além da escolaridade, o interessado deveria ter entre 18 e 25 anos de idade na data da matrícula e altura mínima de 1,67m para o sexo masculino e 1,57m para o feminino.

A banca organizadora foi a Covest, Diretoria de Concursos e Vestibulares da Universidade do Estado de Mato Grosso.

Os concorrentes foram avaliados por prova objetiva, avaliação física, avaliação psicológica, avaliação médica e odontológica e investigação social e funcional.

A prova objetiva foi composta pelas disciplinas de: Física, Biologia, Matemática, Geografia, Língua Estrangeira, Química, História, Língua Portuguesa e Literatura. Os aprovados nas etapas deveriam passar ainda pelo curso de formação. 

Os salários, na época, eram de R$3.548,94 durante o curso de formação e de R$5.467,94 após a conclusão.

Quer receber novidades sobre concursos?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!

Carregando...