Concurso PC RJ: vice-presidente da Faepol estima provas em 2021

Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, delegada Thaianne Moraes estima provas em 2021 e edital em dezembro deste ano. Confira os detalhes!

26/08/2020 19:30 | Atualizado: 26/08/2020 19:37

26/08/2020 19:30 | Atualizado: 26/08/2020 19:37

Quando a Polícia Civil do Rio de Janeiro pretende realizar as provas do novo concurso PC RJ? Para a delegada e vice-presidente da Fundação de Apoio ao Ensino Pesquisa e Desenvolvimento da corporação (Faepol), Thaianne Moraes, os exames devem ser aplicados apenas em 2021.  

Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA nesta quarta-feira, 26, ela explicou que a pandemia do Coronavírus acabou por adiar o plano da PC RJ de realizar as provas do concurso este ano.

De acordo com Thaianne, a Polícia Civil se preocupa em publicar o edital já com uma previsão concreta para realizar os exames. Não faz sentido, na visão da delegada, divulgar o edital e ter que adiar as provas por não ter condições seguras de realizá-las.

“O que eu aposto é de provas ano que vem. O edital, sendo otimista, pode sair em dezembro para agendar prova no primeiro trimestre de 2020. Agora não é o momento para arriscar vidas e concordo com essa iniciativa do governo”, apontou a vice-presidente da Faepol.

Thaianne Moraes também afirmou que, no momento, não há informações de bastidores sobre uma data para a liberação dos editais. A corporação aguarda um sinal verde da Saúde para prosseguir com os preparativos.

“Se não tiver previsão factível para realização de provas no primeiro trimestre, o edital não deve sair em 2020. Me parece mais razoável o edital sair em dezembro para as provas estarem previstas para março. Isso se tiver condições em decorrência da pandemia”, ressaltou.

PC RJ tem autorização para realizar concurso com 864 vagas
PC RJ tem autorização para realizar concurso com 864 vagas 
(Foto: Governo do Rio de Janeiro)

 

A vice-presidente da Faelpol ainda mencionou o caso do concurso da Polícia Civil do Paraná, que teve edital publicado, mas precisou adiar as provas em função da pandemia.

“Não é o momento político para pensar em concurso. Quando chegar o momento do concurso, não tem tempo cinza que vai impedir”, constatou Thaianne.  

De acordo com a policial, a corporação já estava com os trâmites adiantados para abertura do concurso PC RJ, mas a pandemia acabou postergando os planos.

“Os concursos estavam na boca para sair, como o da Polícia Civil do Rio. Já estava com o edital montado. A Acadepol com tudo pronto e teve que parar. Esse não é um problema da PC RJ, o mundo está enfrentando a pandemia”.

 Estudando para o concurso PC RJ? Clique aqui para melhorar seu desempenho!
+ Deputados cobram concurso PC RJ em meio ao bloqueio de cargos vagos

Concurso PC RJ: bloqueio de cargos é obstáculo para edital

Além da pandemia, a Polícia Civil do Rio de Janeiro teve que enfrentar outro obstáculo para abrir o novo concurso PC RJ. O governo do Estado, para se manter no Regime de Recuperação Fiscal, bloqueou mais de 9 mil cargos vagos, que poderiam ser preenchidos pelos aprovados em concursos.

Entre eles, estão os cargos presentes na autorização do concurso Polícia Civil RJ com 864 vagas. Isto é: auxiliar de necropsia, técnico de necropsia, investigador, inspetor, perito legista, perito criminal e delegado.

Dessa forma, como fica o concurso da Polícia Civil do Rio de Janeiro? De acordo com a delegada Thaianee Moraes existem algumas possibilidades.

Uma delas é o desbloqueio desses cargos no mês de setembro, quando será avaliada a prorrogação do Regime de Recuperação Fiscal (RRF) do Estado do Rio.

“Caso não haja renovação, voltamos ao que tínhamos antes e conseguimos dar prosseguimento ao concurso. Fora isso, existem as vagas que são decorrentes de outras vacâncias, decorrentes de outros fenômenos. Isso na atividade policial é bem frequente, com aposentadoria, falecimentos ou exoneração”, explicou.

A Secretaria de Casa Civil e Governança já informou à FOLHA DIRIGIDA que o planejamento do concurso PC RJ será redefinido em função do bloqueio de cargos vagos. Dessa forma, o edital pode ter oferta menor que as 864 vagas autorizadas pelo governador Wilson Witzel, em 2019.

Com o bloqueio, a corporação terá que reavaliar o número de vacâncias que poderão ser preenchidas, com a possibilidade de o governo publicar outra autorização com o novo número de oportunidades.

Pelo Regime de Recuperação Fiscal, os órgãos estaduais do Rio de Janeiro só podem abrir vagas em concursos para suprir cargos que ficaram vagos a partir de setembro de 2017, data de assinatura do RRF.

Novo concurso PC RJ pode ser aberto mesmo com bloqueio

Caso a Polícia Civil mantenha a sua média anual de vacâncias - vagas originadas por aposentadorias, exonerações ou falecimentos -, o concurso PC RJ pode ser realizado, apesar do decreto que bloqueia 9 mil cargos vagos na estrutura do governo do Estado do Rio de Janeiro.

Isso porque a Polícia Civil tem uma média de quase 400 saídas por ano. E dados do governo estadual apontam que, até março de 2020, aconteceram 54.

Em resposta à FOLHA DIRIGIDA, o Ministério da Economia, que fiscaliza o Regime de Recuperação Fiscal no Rio, disse que novos cargos vagos, que não os bloqueados no decreto, poderão ser providos por meio de novos concursos normalmente. Por isso, tendo mais vacâncias, a Polícia Civil RJ poderá abrir o concurso.

Para Thaianne Moraes, enquanto delegada de Polícia, a expectativa é que o concurso saia o quanto antes para recomposição dos quadros.

Porém, como professora de cursos preparatórios, acredita que um tempo maior de preparação pode ser benefício aos concorrentes. Ainda mais neste ano atípico de pandemia.

“Como professora, eu defendo o maior tempo de preparação para meus alunos. O ano de 2020 beirou um ano perdido, no sentido da produtividade nos estudos. Para esse grupo social, eu vejo como positiva. Embora eles não vejam assim”, apontou.  

Thaianne também comentou sobre o espaço de tempo sem novos concursos para a Polícia Civil do Rio de Janeiro. “Até o novo policial estar na rua passamos de 10 anos sem concurso. É quase trágico”, afirmou.

Resumo concurso Polícia Civil RJ

  • Órgão: Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro
  • Cargo: auxiliar de necropsia, técnico de necropsia, investigador, inspetor, perito legista, perito criminal e delegado
  • Vagas: 864
  • Requisitos: todos os níveis de escolaridade, a depender do cargo
  • Remuneração: R$4.506,27 a R$18.747,95
  • Banca: Instituto Acesso (delegado) e Instituto AOCP (demais cargos)
  • Links para os últimos editais

‘O tempo milita a nosso desfavor’, diz delegada sobre déficit

“A cada dia, temos menos um policial. O tempo milita a nosso desfavor. Se as pessoas estão se aposentando, significa que precisamos de novo ingresso e novas gerações chegando. Isso acaba sendo bem dramático”. Essa foi a afirmação de Thaianne Moraes sobre o crescente déficit funcional na Polícia Civil do Rio.

Ao passo que a corporação perde profissionais, não há reposição por aprovados em concursos PC RJ. “Se você voltar a 2016, a gente já tinha um déficit que beirava 40% do que precisa na corporação. Isso está se agravando a cada dia”, pontuou a vice-presidente da Faepol.

A boa notícia, segundo Thaianne, é que a Polícia Civil deve aproveitar o cadastro de reserva e chamar aprovados além das vagas imediatas, quando o concurso for aberto. De acordo com ela, essa é uma tradição da corporação.

“A Polícia Civil deve chamar sim um número além das vagas, pelo déficit na instituição, pela dificuldade no trâmite de convocar, pelo custo de realizar concurso. Preparem-se para várias convocações. Não se atenham ao número de vagas. Quando a Administração quer, ela chama. E Polícia precisa de gente”, constatou.

Para aqueles que querem ingressar na Polícia Civil do Rio, Thaianne deixou o seguinte recado:

“Aproveitem essa chance porque vai ser um momento histórico na instituição. Vamos receber um grande número de aprovados, não serão turmas pequenas na Acadepol. E agora é a hora de plantar, de fazer aquele trabalho silencioso, sozinho e, por vezes, sem apoio. Esse concurso vai ser uma oportunidade”.

Ela ainda apontou que os candidatos devem ser estratégicos, estudar os editais anteriores as leis atuais.

“Cada vez mais as provas estão difíceis e os candidatos mais capacitados. Muitas pessoas estão saindo da iniciativa privada e tentando um lugar no setor público. Passar em concurso público é um desafio. E a Polícia Civil busca recrutar candidato muito capacitado”.

Concurso PC RJ tem oportunidades em todos os níveis

Das vagas autorizadas para o novo concurso PC RJ, 12 seriam para auxiliar de necropsia (nível fundamental), 16 para técnico de necropsia (nível médio), 54 para perito legista, 20 para perito criminal (nível superior em áreas específicas).

Além de 47 para delegado (superior em Direito), 597 para inspetor (superior em qualquer área) e 118 para investigador (nível médio). Os salários chegam a R$18 mil! Na tabela abaixo, confira os detalhes do concurso:

Auxiliar de necropsia 
 Requisito Nível fundamental completo
 Vencimentos*  R$4.506,27
 Técnico de necropsia 
 Requisito Nível médio completo
 Vencimentos*  R$5.277,59
 Perito Legista
 Requisito Nível superior em Medicina, Odontologia, Farmácia ou Bioquímica
 Vencimentos* R$10.149,95
 Perito Criminal
 Requisito Nível superior em Engenharia, Informática, Farmácia, Veterinária, Biologia, Física, Química ou Ciências Contábeis  
 Vencimentos* R$10.149,95
 Inspetor 
 Requisito Nível superior em qualquer área
 Vencimentos* R$6.280,31
 Investigador
 Requisito  Nível médio completo
 Vencimentos* R$5.740,38
 Delegado 
 Requisito Nível superior em Direito
 Vencimentos* R$18.747,95

*Os valores já incluem o auxílio-alimentação de R$264.

Os preparativos para o novo concurso PC RJ estavam adiantados, antes do bloqueio das vagas. Em fevereiro, o Instituto Acesso foi divulgado como a banca para delegado. Enquanto o Instituto AOCP seria o responsável por receber as inscrições e aplicar as etapas para os demais seis cargos autorizados. 

Porém, mesmo com os obstáculos, a delegada Thaianne Moraes pontuou que a pauta do concurso não foi colocada para escanteio pela administração do Estado.

“A gente precisa das equipes inteiras e da realocação de pessoal. A gente continua com déficit histórico, no quesito pessoal. Esse investimento em pessoal é também um pleito das classes policiais como um todo”.

Confira a entrevista na íntegra com Thaianne Moraes

Quer visualizar agora esse conteúdo?

Então não perca tempo e faça já a sua assinatura! Com ela você terá acesso a conteúdos exclusivos para assinantes sem anúncios. Planos a partir de R$3,99 por mês!

OU

Já possui uma conta?

Newsletter

Newsletter

Quer receber novidades sobre concursos?

Quer receber diretamente no seu e-mail as principais notícias dos concursos da sua região?

E de quebra dicas para seus estudo? Cadastre-se gratuitamente na newsletter FD para ter tudo isso!