Concurso PC RJ 2021: 'Editais antes de julho', diz secretário

Os editais do concurso PC RJ 2021 saem antes de julho de acordo com secretário da Polícia Civil RJ, Allan Turnowski. Leia entrevista!

30/04/2021 14:07 | Atualizado: 11/05/2021 12:35

30/04/2021 14:07 | Atualizado: 11/05/2021 12:35

O concurso PC RJ 2021 está na reta final rumo ao lançamento dos editais. Os últimos detalhes antes da abertura da seleção foram revelados com exclusividade à Folha Dirigida pelo secretário de Polícia Civil do Rio de Janeiro, delegado Allan Turnowski. 

De acordo com ele, antes de julho os sete editais serão publicados. Está confirmada a oferta de 400 vagas imediatas para auxiliar e técnico de necropsia, investigador, inspetor, peritos legista e criminal e delegado.

"Estamos com o edital pronto, aprovado pela PGE. Quero publicar até antes de julho. Queremos soltar esses editais assim que contratarmos a banca", informou o titular da PC RJ em entrevista realizada nesta quinta-feira, 29.

Uma novidade que a Polícia Civil promete é o lançamento dos editais de forma simultânea, e não escalonada, como previsto anteriormente."Não existe uma ordem. Vamos lançar todos os concursos simultaneamente", revelou o secretário.

Allan Turnowski promete também novidades aos candidatos já na semana que vem, quando a Polícia Civil começará a divulgar os membros das bancas examinadoras do concurso de delegado.

A primeira banca anunciada será a de Direito Processual Penal. No concurso de delegados, tradicionalmente, a banca de professores que elabora as questões é da corporação. 

Assista entrevista na íntegra com secretário da PC RJ, Allan Turnowski 

Confira nesta matéria:

Previsão da banca do concurso PC RJ
Concurso PC RJ x Pandemia
Escolaridade investigador PC RJ
Pressa na convocação dos aprovados
Aposentadorias previstas e utilização do cadastro de reserva
Lotação dos aprovados na PC RJ
Mensagem do secretário aos candidatos

Entrevista na íntegra com secretário da PC RJ
 

Banca organizadora deve ser anunciada em maio

Em paralelo à divulgação dos membros da banca da seleção de delegados, a PC RJ agiliza a contratação da instituição organizadora, que ficará responsável pelo recebimento das inscrições e aplicação das provas.

O concurso pode ter uma banca para delegado e outra para os demais seis cargos ou uma banca para todos os concursos. Em maio o nome da instituição deverá ser divulgado.

"A área Administrativa da Polícia Civil está empenhada ao máximo em contratar a empresa que vai fazer o concurso. Já soltamos o que precisamos para elas e estamos esperando o retorno dos valores para escolher a empresa e já soltar os editais. Esperamos anunciar a empresa rapidamente", informou o secretário de Polícia Civil.

Há sete instituições na disputa pela organização do concurso PC RJ 2021. São elas:

  • Fundação Getulio Vargas (FGV);
  • Cebraspe;
  • Instituto AOCP;
  • Instituto Selecon;
  • Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC);
  • Instituto Brasileiro de Gestão e Pesquisa (IBGP Concursos);
  • Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural Assistencial (Idecan).

Questionado sobre a possibilidade de uma dessas instituições estar à frente no processo de escolha, Turnowski não deu detalhes. 

+ Comece agora a preparação para o concurso PC RJ 2021

Edital do concurso PC RJ 2021 sai até julho com 400 vagas imediatas (Foto: Folha Dirigida / Adalberto Neto)
Edital do concurso PC RJ 2021 sai antes de julho com 400 vagas imediatas
(Foto: Folha Dirigida / Adalberto Neto)

Pandemia não deve afetar cronograma do concurso PC RJ

A pandemia da Covid-19 foi um dos obstáculos do concurso em 2020. A Polícia Civil-RJ tinha tudo encaminhado para lançar os editais quando o número de contágios cresceu no estado. 

Até Allan Turnowski assumir a pasta, a PC RJ adotava cautela para avançar com o concurso. A palavra de ordem era aguardar a pandemia, pois não havia, até então, condições de aplicação das provas.

O discurso mudou na gestão de Turnowski. O novo secretário não acredita que a pandemia atrapalhe os planos da corporação para o concurso.

Acredito que as pessoas já se acostumaram a conviver e a produzir dentro da pandemia. Evidentemente que se a gente tiver algum infortúnio na data da prova, de um fechamento da cidade, como já aconteceu algumas vezes, isso pode atrapalhar. Mas a princípio, o dia a dia normal de conviver com a pandemia não inviabiliza o concurso. O concurso está garantido. Eventualmente se não der para fazer em um fim de semana, fazemos no outro. Mas está garantido. A gente vai fazer.

Ainda sobre esse tema, o secretário explicou que a experiência da instituição escolhida para aplicar a prova valerá muito, já que todos os requisitos sanitários serão cumpridos.

"Já com essa experiência, a empresa contratada sabe dos cuidados que ela deve tomar,a distância que ela deve dar nos dias das provas, mais locais de prova para que não haja aglomeração", completou.

+Inicie os estudos para auxiliar de necropsia

Investigador exigirá o nível médio, confirma secretário

A exigência para ingresso na carreira de investigador está confirmada, após anos de polêmica. Os candidatos precisarão apenas do nível médio.

Em 2020 chegou a tramitar na Alerj um projeto de lei para alterar a escolaridade do cargo para o nível superior. O texto, porém, foi retirado de pauta pelo próprio governador. O secretário garantiu a exigência do nível médio em 2021.

"Nível médio e o edital vai mostrar isso. A Polícia Civil é uma polícia de investigação, que trabalha em todas as camadas da sociedade. Então você tem sim a importância do nível superior, mas você também tem que valorizar o profissional de nível médio", afirmou.

Os requisitos das demais carreiras também já estão confirmados.

  • Auxiliar de necropsia - 10 vagas (nível fundamental; R$4.506,27)
  • Técnico de necropsia - 10 vagas (nível médio; R$5.277,59)
  • Investigador - 200 vagas (nível médio; R$5.740,38)
  • Inspetor - 100 vagas (nível superior em qualquer área; R$6.280,31)
  • Perito criminal - 5 vagas (nível superior em Engenharia Civil, Engenharia Mecânica e Química; R$10.149,55)
  • Perito legista - 25 vagas (nível superior em Medicina; R$10.149,55)
  • Delegado - 50 vagas (nível superior em Direito; R$18.747,95)

Pressa para convocação dos 400 aprovados

O secretário de Polícia Civil também demonstrou urgência pela convocação dos 400 aprovados. De acordo com ele, a pasta de Segurança não perderá tempo e convocará os selecionados imediatamente após a homologação do resultado final.

"Tudo será feito no menor prazo possível. Se o edital me der dez dias, no décimo dia essa etapa será encerrada e no 11º faremos a seguinte. Então somados os prazos do edital, será nessa data que vai começar a Academia de Polícia. Não terá atraso", garantiu.

+Prepare-se para o concurso de técnico de necropsia

Mais de 2 mil aposentadorias previstas e aproveitamento do cadastro

Assim que o Decreto 47.585 de 2021 foi publicado, liberando 400 vagas imediatas para a Polícia Civil-RJ, muitos candidatos se perguntaram: será que a corporação só convocará esse quantitativo de aprovados?

A resposta do secretário Allan Turnowski é direta: "Estudem, passem. Mesmo que não estejam no número de vagas imediatas, pois sempre há possibilidade de a gente aumentar esse número."

Reforça a ideia desse bom aproveitamento do cadastro de reserva a previsão de aposentadorias na PC RJ. Hoje, 2 mil policiais civis estão em abono de permanência, ou seja, podem se aposentar a qualquer momento. 

Para suprir essas saídas, a Polícia Civil-RJ convocará os 400 aprovados nas vagas imediatas e os excedentes. O prazo de validade do concurso deverá ser de dois anos, chegando a quatro.

"Se a gente puder antecipar tempo e qualidade, em um concurso eficiente, para chamar os excedentes e dar uma pronta resposta na área de Segurança, isso é sempre uma opção viável dentro da Polícia", afirmou o secretário.

+Comece já a preparação para inspetor da PC RJ

Selecionados trabalharão juntos no início da carreira

A lotação é outra preocupação de quem estuda para o concurso PC RJ. Sobre isso, o secretário Allan Turnowski deixou claro que há necessidade em todas as regiões (Metropolita, Baixada e Interior). 

Mas, além disso, o concurso PC RJ 2021 terá uma novidade: os aprovados atuarão juntos no início da carreira.

"Essa nova geração que nasce na Polícia Civil, se a divido demais, acabo não tendo uma mudança significativa da maneira de atuar. Ou seja, não pretendo colocar os novos policiais de forma muito espalhada, porque isso não muda a minha rotina na Polícia Civil. Com certeza, vou aplicar grande parte dos novos alunos em projetos que eles trabalhem juntos e mudem, assim, a maneira de se aplicar a Segurança Pública."

Secretário pede aprovados vocacionados

Se o secretário de Polícia Civil RJ pudesse fazer um pedido a cada candidato, seria um: tenham vocação pela Polícia Civil.

Foi com esse alerta que ele deixou uma mensagem a quem estuda para o concurso de 2021.

"Policial tem que ter orgulho de entrar na instituição, orgulho de falar que é policial, porque ele é aquele cara que tem o dever de agir. Policial é aquele cara diferente que quando você escuta alguém em perigo, ao invés de se esconder, sair de perto daquela situação, você caminha para dentro dela para salvar alguém. Então esse é o espírito do policial", concluiu.

 


Entrevista na íntegra com secretário da PC RJ

Leia a seguir a entrevista na íntegra com o secretário da PC RJ, delegado Allan Turnowski.

Oferta de vagas do concurso

Allan Turnowsky - Gostaria em primeiro lugar de agradecer ao governador em exercício, Cláudio Castro, no sentido da sensibilidade que ele teve com a área de Segurança. 

O Rio de Janeiro, todos sabem, vive uma grande Recuperação Fiscal, e a gente não tinha vagas suficientes para abrir o concurso. E houve um remanejamento de vagas até de outras secretarias num movimento de compensar financeiramente para que a gente possa fazer o concurso. Então agradeço o governador Cláudio Castro pela possibilidade de fazer o concurso.

As vagas foram abertas em sete carreiras. A princípio, a gente vai fazer a prova nesse sentido das carreiras e vagas que temos no decreto.

Mas evidentemente Segurança Pública tem suas necessidades e o importante é a gente fazer esse concurso e classificar o maior número de pessoas, porque aí, com o tempo, as coisas vão se desenvolvendo e novidades podem sempre surgir.

Importância do concurso

O concurso para a Polícia Civil tem sido buscado por várias administrações, sempre entendendo a necessidade que a Polícia tem hoje de buscar novos quadros. A Polícia no Rio de Janeiro trabalha em alto estresse e necessita de uma quantidade de policiais, renovando o efetivo, se possível, a cada ano. E foi com essa disposição que pedimos ao governador Cláudio Castro o concurso. 

Mais de 2 mil policiais aptos à aposentadoria

Hoje a Polícia Civil tem mais ou menos 9.500 homens, 500 readaptados, 2 mil em abono permanência e outros 2 mil entre perícia e administrativos. Então a Polícia hoje trabalha na ponta com 4 mil homens.

Se todos trabalharem na escala full, vamos precisar de no mínimo 12 mil homens. Então a gente está com déficit de 8 mil homens na área Operacional.

Esse concurso se inicia com um número menor que isso (400 vagas), mas a gente busca sempre, com esse concurso realizado, o preenchimento dessas vagas. A expectativa é que, durante ou logo após o concurso, esses profissionais optem em determinado momento pela aposentadoria.

Obviamente tratamos eles com muito carinho, pedimos que fiquem, mas, em tese, já viveram os 30 anos deles, deram o sacrifício deles.

Se eventualmente se aposentarem, hoje nos prejudicaria muito. Mas fazendo o concurso, eles já poderão ir sabendo que não prejudicariam a instituição. Mas é óbvio que são bem-vindos, podem ficar o tempo que quiser, mas é uma realidade da nossa instituição.

Vagas liberadas pelo Regime Fiscal

Aguardamos a reunião que ocorreu na semana passada do Comitê para poder anunciar as vagas. O governador Cláudio Castro liderou esse Comitê, deu preferência à área de Segurança. A Polícia Civil recebeu, se comparada aos outros órgãos, uma quantidade boa de vagas. E as vagas estão ali, definidas, não tem volta. Agora é escolher a organizadora e seguir em frente.

Editais antes de julho

Estamos com o edital pronto, aprovado pela PGE, e a área Administrativa da Polícia Civil está empenhada ao máximo em contratar a empresa que vai fazer o concurso. Já soltamos o que precisamos para elas e estamos esperando o retorno dos valores para escolher a empresa e já soltar os editais.

Não podemos soltar os editais sem a empresa pelo simples fato de, quando soltar o edital, já informar onde é o site da inscrição, por exemplo. Mas já estamos trabalhando nisso e esperamos anunciar a empresa rapidamente.

Sobre os editais quero publicar até antes de julho. Já na semana que vem começamos a anunciar as bancas examinadoras do delegado para que os alunos possam direcionar o estudo da maneira que eles acharem correta e a gente quer soltar esses editais aí assim que contratarmos a banca.

Antes de publicar as vagas já estávamos em tratativas. Então estamos em final de tratativas com as empresas para anunciar o nome e tocar o concurso.

Escolha da banca

São dois concursos separados. O de delegado a gente mesmo escolhe a banca examinadora e faz o concurso Já os outros seis concursos a própria empresa tem a banca de professores deles e a elaboração de questões vem junto.

O importante é a gente agilizar o máximo possível. Eu gostaria e penso que é possível até antes de julho a gente sair com esses editais na rua e semana que vem a primeira banca de Processo Penal será anunciada para o concurso de delegado.

Editais simultâneos

Não existe uma ordem. Vamos lançar todos os concursos simultaneamente. Se a banca examinadora de delegado a gente escolhe, a dos outros concursos, a própria empresa já tem ‘know how’ e pode fazer (o lançamento dos editais) rapidamente.

A gente precisa que todos sejam lançados imediata e simultaneamente para que possamos fazer o concurso, Academia e colocá-los para trabalhar.

Concursos x Pandemia

Acredito que as pessoas já se acostumaram a conviver e a produzir dentro da pandemia. Evidentemente que se a gente tiver algum infortúnio na data da prova, de um fechamento da cidade, como já aconteceu algumas vezes, isso pode atrapalhar.

Mas a princípio, o dia a dia normal de conviver com a pandemia não inviabiliza o concurso. Ao contrário. Já com essa experiência, a empresa contratada sabe dos cuidados que ela deve tomar,a distância que ela deve dar nos dias das provas, mais locais de prova para que não haja aglomeração.

E a gente tem necessidade de fazer o concurso. O concurso está garantido. Eventualmente se não pudermos fazer em um fim de semana, fazemos no outro. Mas está garantido. A gente vai fazer.

Provas em datas diferentes?

Isso está sendo estudado. A área técnica é que faz esse estudo. O secretário politicamente não se mete nessa questão de concurso. Assim que tiver uma definição sobre isso eu passo para vocês. Mas é algo que envolve a área técnica e de custos e o que eles decidirem eu vou acatar.

Pressa na convocação dos aprovados

Há pressa na convocação dos aprovados? A ideia é chamar todos para o curso de formação na Acadepol imediatamente após a homologação do concurso?
O que posso garantir é que tudo será feito no menor prazo possível. Se o edital me der dez dias, no décimo dia essa etapa será encerrada e no 11º faremos a seguinte. Então somados os prazos do edital, será nessa data que vai começar a Academia de Polícia. Não terá atraso.

Lotação dos aprovados

A gente tem 4 mil homens para 200 delegacias. A gente está falando de um efetivo que, se dividir por igual, dá 20. Mas, por exemplo, você tem uma Central de Flagrantes, uma delegacia mais pesada, com 50 pessoas.

Se você começar a fazer essa conta, a necessidade de efetivo é em todo o Rio de Janeiro, capital, baixada, interior, Niterói, Especializadas, tem para todos os setores. O que costumo falar é que essa nova geração que nasce na Polícia Civil, se divido demais ela, acabo não tendo uma mudança significativa da maneira de atuar.

Ou seja, não pretendo colocar os novos policiais de uma maneira muito espalhada, porque isso não muda a minha rotina na Polícia Civil. Com certeza, vou aplicar grande parte dos novos alunos em projetos que eles trabalhem juntos e mudem, assim, a maneira de se aplicar a Segurança Pública.

Então não vou dividi-los. Vamos, sim, ver as necessidades maiores dos crimes em evidência de áreas mais complicadas e aí assim vamos trabalhar reforçando determinadas áreas.

Eu não vou, por exemplo, pegar 400 novos profissionais e espalhar em várias delegacias, porque isso não muda nada na minha visão a minha atuação na ponta de prestar um bom serviço para as comunidades.

Investigador vai exigir o nível médio

Nível médio e o edital vai mostrar isso. A Polícia Civil é uma polícia de investigação, que trabalha em todas as camadas da sociedade. Então você tem sim a importância do nível superior, mas você também tem que valorizar o profissional de nível médio.

E hoje até para nível médio muitas vezes o estudante que já tem o nível superior faz o concurso de nível médio levantando o nível do concurso de investigador. Não vejo nenhum tipo de prejuízo para a instituição ter o nível médio para o investigador.

Pelo contrário, acho positivo que, dentro dos nossos tipos de profissionais, tenhamos pessoas que podem sim trabalhar a investigação em setores que dominam.

Redução de vagas para inspetor

É  preciso observar o número de vagas que foram disponibilizadas após o corte. E o inspetor é um cargo super valorizado dentro da instituição. Nós abrimos para 100 vagas e vamos fazer um concurso em que certamente passarão mais candidatos.

E de acordo com a necessidade, a gente vai conversando com o governador, que leva o nosso pleito ao Comitê, o Governo Federal, e se tiver que, posteriormente, ser chamado e havendo essa possibilidade, a gente aumenta o número de vagas não só dele como de outros segmentos. O importante hoje é a gente fazer o concurso.

Chamada de excedentes

O que acontece é que o concurso para a Polícia Civil é demorado. Você tem as provas, depois a Academia, e isso é demorado.

Então, se a gente puder antecipar tempo e qualidade, em um concurso eficiente, para chamar os excedentes e dar uma pronta resposta na área de Segurança, isso é sempre uma opção viável dentro da Polícia e, agora, até em outras instituições a gente tem visto isso.

Então, estudem, passem. Mesmo que não estejam no número de vagas imediatas, pois sempre há essa possibilidade de a gente aumentar esse número.

Plano de Carreiras

A gente tem um escalonamento em classes. Então, por exemplo, você é um investigador, você entra como 3ª, vai para 2ª e por fim ocupa a 1ª Classe dentro da própria carreira. Então conforme você se destaca, faz cursos e cresce dentro da profissão, automaticamente você começa a exercer cargos de chefia.

E a gente vê claramente que já existe uma nova geração de chefes, uma nova geração se destacando, exatamente essa geração nova que chegou e que traz também para a Polícia Civil uma nova visão de como investigar os crimes.

Hoje temos as mídias sociais, novidades que a nova geração acaba controlando e sabendo manusear até mais do que a antiga. Então quando essa nova geração chega, ela tem muito a trazer para a Polícia Civil e não só receber dos antigos na instituição.

Mensagem para candidatos

O que gostaria de falar para o candidato que pretende ingressar na carreira de policial civil do Rio de Janeiro é que uma necessidade básica ele tem que ter: a vocação para ser policial.

Policial tem que ter orgulho de entrar na instituição, orgulho de falar que é policial, porque ele é aquele cara que tem o dever de agir. Policial é aquele cara diferente que quando você escuta alguém em perigo, ao invés de se esconder, sair de perto daquela situação, você caminha para dentro dela para salvar alguém.

Então esse é o espírito do policial. Se você escuta um tiro, você vai para perto do tiro para entender o que está acontecendo e salvar, eventualmente, alguém da comunidade.

E, por outro lado, os novos que estão chegando que venham trazendo para a gente todo o seu conhecimento na área de mídia social e das novas formas de comunicação, pois, dentro da Polícia, todo mundo tem o seu espaço para brilhar, todo mundo tem espaço para crescer.

Mas depende de você realmente querer ser policial civil. Não é justo que a gente gaste dinheiro do contribuinte, que a gente invista em você, que você estude e fique um ano na nossa Academia, e a gente saiba da dificuldade hoje de fazer novos concursos, e você use isso aqui de trampolim deixando a Segurança Pública da sociedade novamente desfalcada.

Então vamos fazer uma Academia de Polícia bem rígida, onde os vocacionados vão sentir orgulho de ter participado. E aqueles que não têm vocação vão perceber que não é o lugar certo para que exerçam a sua nova função.

Pedimos que quem tem a vocação venha para mudar a Polícia Civil, para incrementar a Polícia Civil e que este seja o norte daqueles que procuram o nosso concurso. Todas as informações do nosso concurso serão dadas exclusivamente pelo nosso Instagram (@policiacivil_rj).

Por Gustavo Portella - [email protected] e Luiz Fernando Caldeira - [email protected]

Quer receber novidades sobre concursos?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!