Concurso PC RJ: diretora da Acadepol fala de novos editais e prazos

Em entrevista exclusiva à Folha Dirigida, diretora da Acadepol revela prazo para editais, fala sobre provas, curso de formação e mais. Veja!

14/09/2021 08:00 | Atualizado: 17/09/2021 11:07

14/09/2021 08:00 | Atualizado: 17/09/2021 11:07

A Secretaria de Polícia Civil do Rio de Janeiro tem autorização para abrir novo concurso com 400 vagas. A oferta é distribuída entre sete cargos, em todos os níveis de escolaridade. O primeiro edital foi publicado na segunda-feira, 13, com 50 oportunidades para delegado.

E para as demais carreiras: quando serão divulgados os editais? As provas serão ainda este ano? As aplicações serão no mesmo dia? Folha Dirigida levou esses e outros questionamentos à diretora da Academia Estadual de Polícia Sylvio Terra (Acadepol), delegada Renata Teixeira.

Em entrevista exclusiva, ela confirmou que será um edital por carreira. Renata informou que a corporação trabalha para que a publicação dos seis editais restantes ocorra no mesmo dia.

O secretário de Polícia Civil do Rio, delegado Allan Turnowski, já tinha adiantado que o edital para delegado sairia em setembro e para os demais cargos em outubro.

“Falta pouco para esses editais serem publicados. Teremos um edital para cada cargo. A ideia é que eles sejam publicados no mesmo dia em Diário Oficial”, complementou a diretora da Acadepol.

Diretora da Acadepol em frente a uma viatura da Polícia Civil do Rio
Diretora da Acadepol confirma que concurso PC RJ terá um edital
por carreira (Foto: Divulgação)

Confira a divisão geral das 400 vagas do concurso PC RJ:

  • Auxiliar de necropsia - 10 vagas (nível fundamental; R$4.506,27);
  • Técnico de necropsia - 10 vagas (nível médio; R$5.277,59);
  • Investigador - 200 vagas (nível médio; R$5.740,38);
  • Inspetor - 100 vagas (nível superior em qualquer área; R$6.280,31);
  • Perito criminal - 5 vagas (nível superior em Engenharia Civil, Engenharia Mecânica e Química; R$10.149,55);
  • Perito legista - 25 vagas (nível superior em Medicina; R$10.149,55).
  • Delegado - 50 vagas (nível superior em Direito; R$18.747,95).

Para delegado, cujo edital já foi divulgado, as inscrições serão de 21 de setembro a 11 de outubro, pelo  site do Cebraspe , organizador. As provas objetivas estão marcadas para 12 de dezembro.

Questionada sobre prazos de inscrição e datas de provas para os demais cargos, Renata disse que não pode adiantar. As taxas de inscrição no concurso, porém, já estão confirmadas: R$70 para auxiliar de necropsia; R$100 para técnico de necropsia e investigador.

Além de R$150 para inspetor; R$200 para perito legista e perito criminal; e R$250 para delegado.

Concurso PC RJ terá provas em dias diferentes por cargo

Em função da oferta para todos os níveis de escolaridade, uma dúvida comum entre os interessados no concurso PC RJ é se será possível concorrer a mais de um cargo – desde que tenha o requisito exigido.

A diretora da Acadepol afirmou que será possível se inscrever para mais de uma carreira, uma vez que as provas serão realizadas em datas diferentes para cada cargo. A exceção é para as funções de perito.

“Existem cargos em que é inviável que o participante concorra, ao mesmo tempo, pela formação dele. Nesse caso é possível que a prova aconteça no mesmo dia. Toda vez que houver a oportunidade de o candidato concorrer a mais de uma carreira isso será respeitado e as provas serão em dias diferentes”, explicou Renata.

Ela confirmou que as provas para auxiliar de necropsia, técnico de necropsia, investigador e inspetor serão em dias diferentes. A diretora da Academia de Polícia ainda sinalizou que, além de delegado, outras carreiras podem ter provas este ano.

“Depois de publicado o edital, temos o mínimo de 30 dias para aplicar a primeira prova. Só que é um concurso que tem uma demanda enorme, então para que o candidato possa se preparar, foi dado um prazo mais alongado. Mas não há uma obrigatoriedade de um prazo de 90 dias entre edital e provas. Algumas provas podem ser ainda este ano”, detalhou.  

Para delegado, as provas serão realizadas apenas no município do Rio de Janeiro. Já para as demais carreiras, segundo Renata, a aplicação será na capital, podendo expandir para outras cidades. “Vai depender do volume de inscrição no concurso”, pontuou a diretora.

Concurso Polícia Civil RJ não será regionalizado, diz diretora

De acordo com Renata Teixeira, o concurso PC RJ para todas as carreiras não será regionalizado. Isto é, o edital não trará a divisão de vagas por lotação, cidade ou região. Os classificados poderão ser lotados em qualquer parte do estado, a depender da necessidade da corporação.

“A lei não prevê concursos regionalizados. O concurso será para Polícia Civil, que tem atuação em âmbito estadual, e a lotação será feita de acordo com os critérios de discricionariedade e necessidade da Administração Superior”, identificou a diretora da Acadepol.

Ela acrescentou: “após o término do curso de formação, será observada a necessidade de lotação de um servidor no interior, em uma especializada, no IML (Instituto Médico Legal), ou em outros setores. Isso vai depender muito da necessidade no momento que essas pessoas forem tomar posse”.  

Sobre a lotação dos auxiliares, técnicos de necropsia e peritos, Renata respondeu que “em regra, eles vão para os postos de polícia técnica, como o IML e os PRPTCs (Postos Regionais de Polícia Técnica e Científica)”. 

Todos os cargos preveem o porte de arma.

Curso de formação profissional deve ser iniciado em 2022

O concurso Polícia Civil RJ já tem estrutura definida e são divididos em duas fases.

A primeira, composta de provas escritas de conhecimentos, exame psicotécnico, exame médico e prova de capacidade física. A segunda, de Curso de Formação Profissional e de investigação social.

Para o cargo de delegado, ainda há prova escrita de conhecimentos específicos e prova oral.

A previsão da diretora da Acadepol é que os classificados para algumas carreiras já iniciem o curso de formação profissional em 2022. “A gente acredita que ano que vem, algumas carreiras estejam em formação na Academia de Polícia Civil”.

O curso de formação é compreendido como uma etapa do concurso, de caráter eliminatório. Portanto, é possível que um candidato seja eliminado durante o curso, que dura de três a seis meses.

De acordo com Renata Teixeira, o curso de formação da PC RJ está sendo reformulado. Ao todo, serão ministradas 840 horas/aula.

“Para delegado, os alunos vão ter o módulo básico com 40 horas/aula, módulo de investigação criminal com 300 horas/aula, o módulo de inteligência policial com 120 horas/aula, módulo de táticas operacionais com 300 horas/aula e módulo de gestão pública com 80 horas/aula”, detalhou.

“Em algumas carreiras teremos algumas adaptações. Por exemplo, gestão pública para técnico e auxiliar de necropsia talvez não tenha toda essa carga horária. Mas todas as carreiras terão esses módulos. A ideia é que a gente forme os novos policiais civis o quanto antes”, completou.

Enquanto durar o curso de formação profissional, o candidato receberá bolsa-auxílio correspondente a 80% do valor do vencimento da classe inicial do cargo, sem incidência de descontos previdenciários.

Para todos aqueles que sonham ingressar na Polícia Civil do Rio de Janeiro, Renata deixou a seguinte mensagem:

“Estudem muito. São muitos candidatos, mas você está disputando a sua vaga. Você tem que ser melhor que você mesmo. Então se prepare, foque e tenha em mente o que realmente quer. E, acima de tudo, que venham os vocacionados, os que querem estar em defesa de quem precisar”.

Estude para o concurso PC RJ com a Folha Cursos

Você sabia que a Folha Dirigida também tem curso preparatório para ingresso na Polícia Civil do Rio? A Folha Cursos traz uma preparação otimizada e sem enrolação. São videoaulas, material escrito e questões comentadas.

Confira os cursos para PC RJ por carreira:

→ Prepare-se para o concurso PC RJ - Investigador

 Prepare-se para o concurso PC RJ - Inspetor

 Prepare-se para o concurso PC RJ - Técnico de Necropsia 

 Prepare-se para o concurso PC RJ - Auxiliar de Necropsia

Leia a entrevista na íntegra com a diretora da Acadepol RJ

Folha Dirigida: Na segunda-feira, 13, saiu o edital de delegado e foi publicado o extrato do contrato entre a FGV e a Polícia Civil, para a realização dos concursos para auxiliar de necropsia, técnico de necropsia, investigador, inspetor, perito criminal e perito legista. Qual a importância dos concursos que a Polícia Civil-RJ está realizando?

Renata Teixeira: Esses concursos vêm em um período muito importante para Polícia Civil, em que nosso quadro está muito deficitário. O governador teve a sensibilidade de, apesar de estar no Regime de Recuperação Fiscal, conseguir autorizar esses concursos.

Com esses concursos autorizados, vamos agregar valor aos nossos quadros, trazendo profissionais qualificados, profissionais vocacionados.

FD: Os editais para auxiliar de necropsia, técnico de necropsia, investigador, inspetor, perito criminal e perito legista estão programados para sair mesmo em outubro, como anunciou o secretário Alan Turnowiski ou existe a possibilidade de serem liberados este mês?

RT: Essa informação você vai ter no Instagram da Polícia Civil em breve. Falta pouco para esses editais serem publicados. 

FD: Será um edital para cada cargo?

RT: Teremos um edital para cada cargo. Depois de delegado, serão seis editais diferentes. A ideia é que eles sejam publicados no mesmo dia em Diário Oficial.

FD: Haverá cota para pessoas com deficiência? Quais deficiências serão aceitas?

RT: Sim, haverá cota. A deficiência aceita é aquela que não impeça o exercício das atribuições previstas em lei. Terá uma perícia que irá analisar se a deficiência impedirá o exercício das atribuições.

FD: Os prazos de inscrição e datas de provas estão definidos?

RT: Não posso adiantar.

FD: As taxas serão de R$70 (auxiliar de necropsia), R$100 (técnico de necropsia e investigador), R$150 (inspetor) e R$200 (perito legista e perito criminal)?

RT: As taxas serão essas.

FD: As provas deverão acontecer em qual mês?

RT: Algumas provas podem ser ainda este ano. Depois de publicado o edital, temos o mínimo de 30 dias para aplicar a primeira prova. Só que é um concurso que tem uma demanda enorme, então para que o candidato possa se preparar, foi dado um prazo mais alongado. Mas não há uma obrigatoriedade de um prazo de 90 dias entre edital e provas.

FD: As datas de provas serão diferentes para todos os cargos, de forma que os interessados possam concorrer a mais de uma função?

RT: Sim. Existem cargos que é inviável que o participante concorra, ao mesmo tempo, pela formação dele. Nesse caso é possível que a prova aconteça no mesmo dia. Toda vez que houver a oportunidade de o candidato concorrer a mais de uma carreira isso será respeitado e as provas serão em dias diferentes.

Para auxiliar, técnico de necropsia, investigador e inspetor as provas serão em dias diferentes.

FD: Os concursos serão regionalizados, com vagas definidas por cidade, ou os candidatos vão concorrer ao total de vagas, com a lotação dos aprovados acontecendo de acordo com as necessidades da PC RJ?

RT: A lei não prevê concursos regionalizados. O concurso será para Polícia Civil, que tem atuação em âmbito estadual, e a lotação será feita de acordo com os critérios de discricionariedade e necessidade da Administração Superior.

FD: Os que tiverem a melhor pontuação ao final do curso de formação terão prioridade na escolha da lotação?

RT: Não temos nada previsto em legislação sobre isso. Após o término do curso, será observada a necessidade de lotação de um servidor no interior, em uma especializada, no IML, ou em outros setores. Isso vai depender muito da necessidade no momento que essas pessoas forem tomar posse.

FD: Onde serão lotados os auxiliares e técnicos de necropsia, além dos peritos?

RT: Em regra, eles vão para os postos de polícia técnica, como o IML (Instituto Médico Legal) e os PRPTCs (Postos Regionais de Polícia Técnica e Científica). 

FD: As provas serão aplicadas somente na capital ou também em outras cidades?

RT: Para delegado será apenas no município do Rio de Janeiro. Já para as demais carreiras as provas serão na capital, podendo expandir para outras cidades. Vai depender do volume de inscrição.

FD: A ideia é que o curso de formação para essas seis carreiras aconteça quando?

RT: Eu não consigo prever datas porque dependerá do transcorrer do concurso. A gente acredita que, no ano que vem, algumas carreiras estejam em formação na Acadepol. 

FD: Durante o curso de formação, os policiais recebem 80% do valor do vencimento inicial?

RT: Isso. Para todas as carreiras.

FD: O curso de formação dura em média quanto tempo?

RT: São 840 horas/aula para todas as carreiras. Pode durar de três a seis meses. O curso de formação é uma etapa do concurso. O candidato pode ser eliminado durante o curso.

A Academia tem condição de receber os 400 candidatos ao mesmo tempo, de forma integral, mas isso vai depender das regras sanitárias no momento.

FD: O curso será 100% presencial ou terá partes remotas?

RT: O que pode acontecer é que os candidatos tenham materiais de apoio de forma remota. Mas o curso de formação é presencial.

FD: Quais conteúdos os candidatos terão contato durante o curso de formação?

RT: O curso de formação está sendo reformulado. Para delegado, os alunos vão ter o módulo básico com 40 horas/aula, o módulo de investigação criminal com 300 horas/aula, o módulo de inteligência policial com 120 horas/aula, o módulo de táticas operacionais com 300 horas/aula e o módulo de gestão pública com 80 horas/aula.

Em algumas carreiras teremos algumas adaptações. Por exemplo, gestão pública para técnico e auxiliar de necropsia talvez não tenha toda essa carga horária. Mas todas as carreiras terão esses módulos.

A ideia é que a gente forme os novos policiais civis o quanto antes.

FD: Dada a grande carência de pessoal, a senhora acredita que mais aprovados venham a ser chamados durante o prazo de validade dos concursos?

RT: O que posso falar, como diretora da Acadepol, é que tendo oportunidade de formar novos policiais, a escola vai formar com o maior nível de excelência possível.

FD: Qual mensagem pode deixar para os futuros candidatos?

RT: Estudem muito. São muitos candidatos, mas você está disputando a sua vaga. Você tem que ser melhor que você mesmo. Então se prepare, foque e tenha em mente o que realmente quer. E, acima de tudo, que venham os vocacionais, os que querem realmente estar em defesa de quem precisar.

Quer receber novidades sobre concursos?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!

Carregando...