Concurso Ministério da Economia define banca e edital se aproxima

O edital do concurso Ministério da Economia 2020, com 350 vagas, se aproxima, já que a banca organizadora foi definida nesta sexta-feira, 7.

07/08/2020 05:00 | Atualizado: 07/08/2020 05:48

07/08/2020 05:00 | Atualizado: 07/08/2020 05:48

Falta pouco para o edital do concurso Ministério da Economia ser divulgado. Pelo menos é o que indica o documento publicado nesta sexta-feira, 7, no Diário Oficial da União. Conforme portaria, a banca organizadora está definida.

SegundO o extrato de dispensa de licitação publicado, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) ficará responsável pelo edital, que contará com até 350 vagas temporárias.

Com a banca definida, o próximo passo será a assinatura do contrato entre as partes e a publicação do edital. Conforme a portaria autorizativa deste concurso, o edital deve ser publicado até o dia 8 de janeiro de 2021.

No entanto, a divulgação deve ocorrer ainda este ano, considerando a velocidade em que os trâmites estão sendo concluídos. Vale lembrar que, no último dia 28 de julho, foi formada a comissão organizadora

Concurso Ministério da Economia define banca (Foto: Divulgação/São José dos Campos)
Concurso Ministério da Economia terá 350 vagas temporárias
(Foto: Divulgação/São José dos Campos) 

 

Concurso Ministério da Economia será de nível superior

No dia 10 de julho, a portaria autorizativa do ME foi retificada, revelando os cargos e a distribuição das vagas. De acordo com o documento, todas as oportunidades serão para atividades técnicas de complexidade gerencial.

Desta forma, as 350 vagas serão distribuídas pelos seguintes cargos:

  • Especialista em gestão de projetos (50 vagas);
  • Especialista em infraestrutura de Tecnologia da Informação-TI (50);
  • Especialista em ciência de dados (50);
  • Especialista em segurança da informação e proteção de dados (50);
  • Especialista em análise de processos de negócios (50);
  • Especialista em experiência do usuário (50); e
  • Especialista em desenvolvimento de software (50).

 

Na portaria, não constam os requisitos. No entanto, conforme a lei que regulamenta esta seleção, as carreiras de atividades técnicas de complexidade gerencial são destinadas a profissionais de nível superior.

Neste caso, além da graduação, os candidatos devem ter experiência profissional superior a cinco anos ou possuir título de mestre ou doutor. Conforme a última atualização da lei, os vencimentos para a carreira são de R$8.300.

No entanto, segundo o aval da seleção, caberá ao Ministério da Economia definir a remuneração dos profissionais a serem contratados. Além disso, é possível que o número de vagas seja alterado conforme o orçamento.

"Os perfis profissionais levarão em conta necessidades específicas para acelerar o processo de transformação digital em curso no Governo Federal. Para isso, foi autorizada a contratação de, no máximo, 350 profissionais, a ser formalizada mediante disponibilidade de dotações orçamentárias específicas", explicou a pasta.

 

FOLHA DIRIGIDA questionou o Ministério da Economia em relação ao concurso para efetivos. A pasta, no entanto, se limitou a dizer que "não comenta solicitações de concursos que estão em análise".

Resumo da seleção do Ministério da Economia

  • Órgão: Ministério da Economia
  • Banca: Cebraspe
  • Cargos: especialista em diversas áreas
  • Vagas: 350 temporárias
  • Requisito: nível superior mais experiência ou título de mestre ou doutor
  • Remuneração: R$8.300
  • Edital: até janeiro de 2021 

Seleção terá provas e avaliação de títulos

Em resposta à FOLHA DIRIGIDA, o Ministério da Economia falou sobre a seleção e confirmou que os candidatos serão avaliados por meio de provas e avaliação de títulos.

"O concurso será composto de provas e avaliação de títulos e ainda não há data prevista para a divulgação do edital. Porém, a portaria estipula prazo de até seis meses para a publicação do mesmo", disse o Ministério da Economia à FOLHA DIRIGIDA.

 

As disciplinas que serão cobradas nas provas objetivas, no entanto, não foram reveladas, assim como os títulos que serão avaliados.

As contratações serão formalizadas mediante disponibilidade de dotações orçamentárias específicas. O prazo de duração dos contratos será de, no máximo, quatro anos.

Assine a Folha Dirigida e turbine os estudos

 

Há cinco anos Economia publicou seu último edital

O último concurso Ministério da Economia foi realizado em 2015. Na época, a pasta ainda era denominada como Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Ao todo, foram oferecidas 556 vagas.

As oportunidades foram distribuídas pela pasta e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Todas as vagas foram de nível superior.

No Ministério, foram abertos 534 postos, sendo 300 para analista de tecnologia da informação e as demais para:

  • analista técnico administrativo (83);
  • engenheiro (54);
  • geógrafo (17);
  • geólogo (16);
  • arquiteto (16);
  • contador (14);
  • arquivista (nove);
  • médico (quatro);
  • economista (sete);
  • assistente social (sete);
  • administrador (seis); e
  • técnico em assuntos educacionais (uma).

 

Na Enap, foram oferecidas 22 vagas, sendo quatro para técnico de nível superior e 18 para técnico em assuntos educacionais. As remunerações iniciais variaram entre R$3.998,42 e R$5.969,31, já com o auxílio-alimentação.

Na ocasião, os candidatos foram avaliados por meio de provas objetivas de Conhecimentos Gerais e Específicos e discursivas (redação ou duas questões, no caso da Enap). Na área de TI, foi realizado ainda um exame de títulos.

Quer receber novidades sobre concursos?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!

Sobre o concurso

Inscrições Encerradas

Ministério da Economia - 350 temporários - 2020

Nacional
Até R$8300,00
Fund...
350 vagas

Carregando...

Preparação