Concursos Segurança 2019: Paulo Guedes autoriza editais PF, PRF e Depen?

Concursos na área de Segurança Pública em 2019 têm chances de serem aprovados pelo ministro Paulo Guedes este ano? Confira perspectivas!

18/06/2019 07:56 | Atualizado: 18/06/2019 11:04

18/06/2019 07:56 | Atualizado: 18/06/2019 11:04

Os interessados nos concursos da área de Segurança Pública 2019, no âmbito federal, devem ficar atentos. Três instituições do setor solicitaram concursos públicos ao Ministério da Economia e geram expectativas em milhares de concurseiros. 

São elas: Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Departamento Penitenciário Nacional (Depen). A PF enviou seu pedido de edital, mas ainda não confirmou o quantitativo de vagas. 

Vale ressaltar que o Governo Federal publicou decreto com novas regras para autorização de concursos. O texto está valendo desde 1º de junho.

Nele consta a independência da PF no que diz respeito à realização de concursos. A autonomia poderá facilitar novas seleções. Todavia, a corporação precisa de atesto orçamentário do governo para lançar seus editais.

Quanto ao concurso PRF 2019, o objetivo da corporação é preencher 4.435 vagas contemplando os níveis médio e superior. Já o Depen solicitou 309 vagas para os mesmos níveis. Mas, será que o ministro da Economia, Paulo Guedes, autorizará os concursos da área da Segurança?

Na visão de especialistas, o cenário é positivo para essas seleções, tendo em vista o discurso do presidente Jair Bolsonaro, de reforçar o combate ao crime organizado, ao tráfico de drogas, sobretudo nas fronteiras, e à corrupção, por meio da Operação Lava Jato. 

Para isso, dizem os especialistas, é fundamental que a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e o Depen sejam fortalecidos, já que sofrem de grande déficit de pessoal.

Concursos Segurança 2019: Paulo Guedes autoriza PF, PRF e Depen? (Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)
PF, PRF e Depen sofrem de grave déficit de pessoal
(Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)

 Depen deve ser prioridade

Levando em consideração as três instituições da área de Segurança que pedem concursos na esfera federal, o Depen sai na frente, na visão dos especialistas. Isso porque o órgão é o que está há mais tempo sem fazer concurso.

Para Raphael Ferrari, que é policial civil no Rio de Janeiro, isso pode aumentar as chances de aprovação do concurso Depen. Segundo ele, esta questão fica ainda mais evidente se for considerado que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, transferiu diversos criminosos para penitenciárias federais. 

enlightenedPrepare-se para o concurso Depen 2019!

"O fato configura forte sinal de destaque para o servidores do Depen dentro do Sistema de Justiça Criminal. Além disso, houve a criação da Diretoria de Inteligência Penitenciária de sua estrutura, aumentando o campo de ação do órgão e resultando em maior demanda por novos agentes penitenciários federais", destacou Ferrari.

Já Érico Palazzo, coordenador de Carreiras Policiais do Gran Cursos Online, fala sobre o protagonismo que o Depen tem adquirido.

Ele ressalta a importância que o ministro Sérgio Moro tem dado ao departamento. Além disso, novas penitenciárias foram abertas sem a renovação do quadro de pessoal. Então, para ele, o Depen larga na frente justamente pela falta de seleção desde 2015

PF e PRF receberão autorização do governo?

PF e PRF solicitaram concursos públicos já nos moldes recomendados no decreto que regulamenta as seleções no Poder Executivo Federal.

A resposta oficial sobre os pedidos virá do Ministério da Economia. Todavia, os especialistas comentam que os números de déficit de pessoal das corporações mostram que o governo de Jair Bolsonaro não poderá demorar muito para conceder um aval.

A Polícia Rodoviária Federal, por exemplo, tem seu efetivo igual ao do ano de 1994. O déficit de pessoal, de acordo com a corporação, já é de 8.395 profissionais. Na PF, a necessidade passa de 4 mil agentes.

"Hoje, a PRF tem papel muito mais relevante. Tem muito mais rodovias federais para tomar conta. O crescimento da população na zona das fronteiras aumentou também. Enfim, tudo acaba afunilando para um trabalho que a PRF não precisava fazer antes. É totalmente contrário o discurso de não ter mais concurso, levando tudo isso em conta. Mesmo nomeando mais mil pessoas para PF e PRF, é pouco para suprir toda a demanda. Então, um novo concurso não deve demorar", diz Palazzo.

Raphael Ferrari pensa da mesma forma. Salienta ainda que a criação do Centro de Inteligência da PF vai gerar novas demandas e mais necessidade de pessoal.

"Com certeza haverá muitos concursos para a PRF e PF, pois, com receio da Reforma Previdenciária, muitos policiais se aposentaram com medo de serem prejudicados. A reposição dos quadros é fundamental. Portanto, acredito que haverá muitos concursos para os órgãos policiais, ainda mais se levarmos em conta que o ministro Sergio Moro criou os Centros Integrados de Inteligência de Segurança Pública – CIISP."

+ Concursos federais 2019: veja o que está previsto

O CIISP é um órgão dividido geograficamente em Regionais, sendo responsável pela coleta, análise e disseminação de inteligência para tomadores de decisão dos estados e demais agências de inteligência de segurança pública do país. Estão presentes nessas Regionais servidores de vários órgãos de segurança pública.

Atualmente, já entraram em operação a Regional Nordeste – CIISPR/NE (sede em Fortaleza/CE) e a Regional Sul – CIISPR/Sul (sede em Curitiba/PR). Até o final do ano, será entregue o CIISPR da região Norte, cuja sede ainda não foi definida. "Não me recordo de um cenário tão favorável à realização de concursos para as forças de segurança pública", completa Ferrari.

Concursos PF e PRF: autorização pode sair ainda este ano?

Esta pergunta faz parte da rotina de todo concurseiro. Afinal de contas, as duas instituições pediram vagas para as áreas policial e administrativa.

Para Érico Palazzo, PF e PRF tem grande necessidade de novos concursos, mas as contratações referentes aos concursos do ano passado, anunciadas recentemente, podem fazer com que as demandas aguardem um pouco mais, ficando para 2020 - o que é positivo para os milhares de concurseiros, que terão tempo para estudar. 

"Na PF já está certo isso, além das 500 vagas originais, terão mais 500 vagas distribuídas nos cargos. Então, as chances da gente ter um concurso pra PF este ano, eu considero muito pequenas, levando em consideração o cenário que se encontra o país", opinou. 

De acordo com Raphael Ferrari, o marco divisório para a autorização de novos concursos na área de Segurança Pública é a Reforma da Previdência, pois os integrantes da PF, PRF, Depen e PCs estão brigando para que haja um reconhecimento acerca do risco intrínseco à atividade que desenvolvem.

O conselho que ele dá é para os concurseiros acompanharem essa "novela mexicana" da aposentadoria policial, pois a publicação de editais e a efetiva contratação dos aprovados encontram-se condicionadas ao desfecho dessa questão previdenciária. 

Érico Palazzo também reforça o processo de aprovação da Reforma da Previdência. Quando esta fase passar e caso seja aprovada, é que a pauta sobre concursos na esfera federal voltará a ser falada", comentou.

Apesar de não acreditar em novos concursos para PF e PRF ainda este ano, Érico frisa a importância de os interessados nas áreas começarem a estudar desde já. O hábito do estudo. segundo ele, pode fazer uma enorme diferença no desempenho de quem for realizar as provas para os respectivos órgãos.

Prepare-se para os concursos PF e PRF!

► O ministro da Economia atrapalha o processo de autorização desses concursos?

O ministro da Economia Paulo Guedes vem dando declarações contrárias à realização de concursos públicos. Guedes alega que o Estado está inchado, enquanto os números dos quadros de pessoal dizem o contrário. Será que as declarações do ministro dificultam o processo de autorização para novas seleções?

Segundo Raphael Ferrari, cabe ao ministro Sergio Moro, responsável pela pasta da Segurança, convencer a Economia das autorizações.

"Está nas mãos de Sergio Moro, dos órgãos de Segurança Pública e dos policiais cobrarem que o governo cumpra sua promessa de campanha. A maneira mais efetiva de fortalecer a Segurança Pública é realizando concursos, valorizando as carreiras e oferecendo condições dignas de trabalho".

⇒ Vídeo: Como estudar para os concursos PF e PRF ao mesmo tempo?

De acordo com o Érico Palazzo, Paulo Guedes não atrapalha no processo de autorização dos concursos. "Essas declarações são muito mais políticas no sentido de mostrar onde está o foco dele. O objetivo de Guedes é a Reforma da Previdência e em passar isto no Legislativo", comentou. 

Na opinião de Érico, Paulo Guedes sabe que não dá para ficar sem concurso público, pois há uma rotatividade. "São pessoas se aposentando, sendo exoneradas, saindo de um cargo para tomar posse em outros... A renovação desse pessoal é necessária. Alguns órgãos que estão sem fazer concurso público já estão com previsão positiva sobre novas seleções dentro do Ministério da Economia. 

Para o coordenador, ele faz essas declarações de cunho político, pois há essa necessidade de concursos. Principalmente quando se fala sobre a área de Segurança Pública.

"As polícias estão envelhecendo, estão defasadas. Os policiais estão aposentando. Não acho que essas declarações irão embarreirar a abertura de seleção, mas haverá uma cautela nesse momento. Pós-Reforma da Previdência, esse discurso não vai se manter." 

Confira o material de preparação da FOLHA DIRIGIDA e comece já os estudos para o concurso!

 E-books 
 Provas para download
 Artigos sobre concursos
 Editais verticalizados
 Vídeos com dicas 

Newsletter

Newsletter

Quer receber novidades sobre concursos?

Quer receber diretamente no seu e-mail as principais notícias dos concursos da sua região?

E de quebra dicas para seus estudo? Cadastre-se gratuitamente na newsletter FD para ter tudo isso!

Sobre o concurso

Noticiário

Especial - Noticiário

Nacional
Não informado
Fund...
Não informado

Preparação