Concurso Caixa: estatal perdeu mais de 17 mil empregados em 6 anos

Desde que realizou o concurso Caixa 2014, a estatal segue reduzindo o quadro de empregados e já conta com menos 17 mil cargos em seis anos.

26/11/2020 12:05 | Atualizado: 26/11/2020 12:34

Por: Juliana Goes

26/11/2020 12:05 | Atualizado: 26/11/2020 12:34 - Por: Juliana Goes

Desde que realizou o seu concurso Caixa 2014, a estatal vem reduzindo o seu quadro de pessoal. Nos últimos seis anos, já são menos de 17 mil empregados na ativa, segundo dados da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae).

Conforme levantamento feito no segundo trimestre deste ano, 84.320 empregados atuavam na Caixa. Esse é o terceiro menor número em dez anos. 

Em 2010 foi registrado o menor quadro, com cerca de 83.200 empregados trabalhando e, em 2019, o segundo menor quantitativo, com 84.066 profissionais na ativa. 

Quando realizou o concurso, em 2014, a Caixa contava com 101.500 empregados (o maior em dez anos). Desde então, o quadro reduziu em cerca de 17.180 postos de trabalho. Confira os números:

  • 2014 - 101,5 mil empregados
  • 2015 - 97,5 mil
  • 2016 - 95 mil
  • 2017 - 87.654
  • 2018 - 84.952
  • 2019 - 84.066
  • 2020* (dados do segundo trimestre 2020) - 84.320

Recentemente, a estatal realizou um novo Programa de Desligamento Voluntário (PDV). As adesões ficaram abertas de 9 a 20 de novembro, equanto os desligamentos devem ocorrer até o dia 31 de dezembro.

A meta da estatal era desligar 7.294 funcionários do quadro. No entanto, segundo a Fenae, o balanço do terceiro trimestre do banco, divulgado na última quarta-feira, 25, mostrou que mais de 2 mil empregados aderiram ao PDV.

"Apesar de não informar a quantidade exata de adesões, o número está abaixo do estimado pela Caixa – de 7.294, mas vai causar grande impacto ao banco", disse a entidade.

Desde o concurso Caixa em 2014, estatal perdeu empregados  (Foto: Divulgação)
Apesar do concurso Caixa em 2014, estatal reduziu
quadro nos últimos seis anos (Foto: Divulgação)

 

Entidades cobram convocações do concurso Caixa

Com déficit em mais de 17 mil empregados, nos últimos seis anos, a Fenae e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf CUT) iniciaram um abaixo-assinado pela recomposição do quadro de pessoal.

"A Caixa não contrata mais trabalhadores, o peso fica ainda maior. A meta da Direção da Caixa deveria ser preservar a vida dos empregados e da população", afirmou o presidente da Fenae, Sergio Takemoto.

Segundo a entidade, em meio à pandemia, mais de 100 milhões de pessoas têm passado pela Caixa mensalmente, entre beneficiários do auxílio emergencial, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm).

"Os colegas estão adoecendo com as jornadas estafantes de atendimento e reforçada por metas abusivas. Contratar mais significa dar melhores condições a todos os trabalhadores e, claro, melhor atendimento para a população", disse a coordenadora da CEE/Caixa, Fabiana Uehara Proscholdt.

Em resposta à Folha Dirigida no último dia 16, a Caixa informou que já foram realizadas, desde 2014, 7.377 convocações para o cargo de técnico bancário. A carreira tem o nível médio completo e foi a mais procurada durante o concurso.

Os habilitados na seleção, no entanto, contestaram a informação dada pela Caixa. Segundo a presidente da comissão de aprovados, Natalia Dias de Oliveira, do total de convocados, a Caixa contratou apenas 5.300 concursados.

"Em relação à informação de que mais de 7 mil candidatos foram convocados, é importante destacar que, desses, a Caixa contratou apenas 5.300 concursados. Sendo que mais de 2 mil foram contratados em clara preterição da ordem classificatória, fato este que rasgou o edital do concurso", disse Natalia Oliveira.

Ainda segundo a comissão, a chamada desses aprovados não respeitou a ordem de classificação. Em 2019, a estatal anunciou que iria reforçar o seu quadro, até o final daquele ano, com um total de 2 mil novos empregadossendo a maior parte deles Pessoas com Deficiência (PcDs).

Na ocasião, a Caixa declarou que as convocações de PcDs eram administrativas. No entanto, a presidente da comissão disse que a medida feriu a isonomia e preteriu os candidatos da ampla concorrência.

"Vale ressaltar que a Caixa também não cumpriu o TAC de 2008, que foi firmado com o MPT da 10° Região. Esse termo determinava que, a cada 20 convocados, o primeiro seria PcD e os 19 seguintes seriam da ampla concorrência. Fato que não foi respeitado pela Caixa", afirmou a presidente da comissão. 

Assine a Folha Dirigida e turbine os estudos

Concurso Caixa 2014 tem mais de 30 mil aprovados

O concurso Caixa 2014 vem se arrastando ao longo dos anos. A última seleção da estatal foi realizada em 2014. Na época, foram oferecidas vagas para os cargos de:

Todas as oportunidades foram para formação de cadastro reserva. O concurso foi um dos maiores do país, tendo mais de 30 mil aprovados.

Ao todo, a seleção teve mais de 1 milhão de inscritos e foi organizada pelo Cebraspe. A validade inicial do concurso era de um ano, podendo ser prorrogada por mais um.

Já contando com a prorrogação, o prazo terminaria no dia 16 de junho de 2016 para os técnicos e 26 de junho de 2016 para os médicos e engenheiros. 

Na época, o Ministério Público do Trabalho do Distrito Federal e Tocantins (MPT DF/TO) ajuizou uma ação para que o banco prorrogasse por tempo indeterminado a validade da seleção, para ter mais tempo para convocar os aprovados. Enquanto o processo não é finalizado, o concurso segue vigente.

Quer receber novidades sobre concursos?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!

Carregando...