Concurso Banco do Brasil: escriturários têm chances de crescimento

O concurso Banco do Brasil está confirmado e FOLHA DIRIGIDA traz detalhes sobre as chances de crescimento interno dos escriturários.

30/03/2020 09:47 | Atualizado: 30/03/2020 13:00

30/03/2020 09:47 | Atualizado: 30/03/2020 13:00

concurso Banco do Brasil (BB) segue com edital previsto para este ano, com vagas para o cargo de escriturário. Para quem aguarda a seleção, FOLHA DIRIGIDA traz detalhes sobre as chances de crescimento interno oferecidas a estes funcionários.

O cargo de escriturário, de nível médio, é a principal porta de entrada no Banco do Brasil. No entanto, isso não significa que os funcionários exerçam esta única função durante toda a sua carreira na instituição. 

Isso porque o BB conta com uma das melhores universidades corporativas do mundo: a UniBB. A instituição, que possui diversos prêmios, oferece capacitações (cursos internos) e qualificações, por meio de bolsas de estudo de graduação e mestrado, por exemplo.

O objetivo da Universidade Corporativa do Banco do Brasil (UniBB) é aprimorar talentos, oferecer crescimento profissional e contribuir para a realização dos negócios. Desta forma, todo escriturário tem a possibilidade de crescer internamente na instituição.

Somente em 2018, foram mais de 781 mil horas de treinamento concluídas pelos funcionários. Por meio destes cursos, o escriturário alcança os principais cargos de liderança.

Ao todo, em 2018, foram concedidas cerca de 1.200 bolsas para mestrado e doutorado. Com isso, o BB chegou a ter em seu quadro 1.492 funcionários com pós-graduação (1.411 mestres e 81 doutores). Desta forma, além do desenvolvimento profissional, as remunerações se tornam mais atrativas.

Concurso Banco do Brasil está previsto (Foto: Divulgação)
Concurso Banco do Brasil tem edital previsto para este ano
(Foto: Divulgação)

 

Por meio da UniBB, os cargos de gestão podem ser alcançados por funcionários com o nível médio, mas há um incentivo para aqueles que investiram na qualificação.

Para um escriturário que deseja ser gerente de uma agência, por exemplo, galgar posições como assistente de negócios e gerente de relacionamento são caminhos possíveis para conquistar um posto de liderança. No entanto, para isso, é preciso seguir uma trilha de aprendizagem em cursos oferecidos pela universidade.

"Dando esses passos na carreira, em alguns anos, esse funcionário poderá chegar ao cargo de gerente de agência. Se eu quero me tornar um líder, eu tenho que investir em treinamentos primordiais para uma liderança", afirma o diretor de Gestão de Pessoas em 2018, José Caetano Minchillo.

Em 2018, em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, o então superintendente regional do BB, em Juiz de Fora (MG), Alexandre Barroso Bukowitz, afirmou que os cursos da UniBB foram primordiais para o seu crescimento interno. Com 31 anos de banco, na época, o funcionário conseguiu galgar cargos gerenciais e executivos.

"Eu fui gerente de relacionamento, gerente geral e, agora, sou superintendente regional. Entre a primeira e a segunda posição, os cursos me ajudaram muito", disse.

Um dos principais exemplos de crescimento no banco foi o do ex-diretor de Gestão de Pessoas, José Caetano Minchillo. Após ter sido aprovado em um concurso, ele procurou realizar vários cursos na Universidade Corporativa.

"Todo o investimento que eu fiz no meu desenvolvimento e aprimoramento, pessoal e profissional, vieram por meio da UniBB: minha graduação, pós-graduação e meus cursos, assim como as oportunidades no exterior e outros idiomas", disse.

Para José Caetano Minchillo, assim como ele que conquistou a posição de diretor, qualquer escriturário também pode conseguir. Segundo ele, tal conquista ocorre, principalmente, por meio do investimento do funcionário em si mesmo.

"No banco, para ter uma promoção é preciso estar entre os 20 melhores currículos para aquela função, na sua unidade e agência. E, para ter o melhor currículo, é preciso investir na graduação ou na pós, nas trilhas que são orientadas pelo banco, nos cursos de capacitação, por exemplo", disse.

Para quem busca o concurso, os tempos pela procura apenas por estabilidade e visão de trabalho monótono no setor público estão mudando. Hoje, a demanda por profissionais com propósitos e que saibam acompanhar as transformações do mundo são o ponto alto para quem deseja ocupar cargos de chefia.

Concurso Banco do Brasil pode ter edital em abril

O edital do concurso Banco do Brasil para o cargo de escriturárioque já está em elaboração, poderá sofrer um pequeno atraso, sendo divulgado em abril e não mais em março, conforme previsão anterior. Isso, porém, será avaliado em virtude da pandemia do Coronavírus no país.


Segundo fonte do alto escalação do BB, algumas questões burocráticas precisam ser resolvidas antes da abertura da seleção, o que poderá inviabilizar a sua realização ainda este mês, conforme estava programado.

Apesar disso, a fonte garantiu que o concurso está confirmado. Ela, no entanto, não informou a oferta de vagas e a organizadora da seleção. Indagado se as provas serão aplicadas no primeiro ou no segundo semestre, a informação passada foi a de que “o cronograma ainda está sendo elaborado”.

A expectativa é que o BB possa anunciar, em breve, a distribuição das vagas pelos estados, bem como a instituição que irá aplicar as provas. As últimas seleções para o banco vêm sendo organizadas pela Fundação Cesgranrio, o que a torna favorita para ficar à frente desta seleção.

O cargo de escriturário exige apenas o nível médio e tem remuneração inicial de R$4.036,56, já incluindo auxílios-refeição e alimentação. A carga de trabalho é de 30 horas semanais, ou seja, seis horas diárias. Além do auxílio-transporte, o BB oferece os seguintes benefícios:

  • Participação nos lucros (geralmente, paga duas vezes ao ano);
  • Planos de saúde e odontológico;
  • Previdência privada com participação do banco;
  • Auxílio-creche/babá; e
  • Auxílio ao filho com deficiência.

Assine a Folha Dirigida e turbine os estudos

Vagas para escriturário da área de Tecnologia

Segundo o BB, a princípio, as vagas de escriturário serão para a área de Tecnologia. No entanto, não está descartada a possibilidade de também existir oportunidades para o escriturário genérico (tradicional).

O que diferencia basicamente o concurso para escriturário tradicional e o da área de TI é o programa e o peso dado às disciplinas das provas. Ou seja, independentemente do conteúdo, as habilidades e competências requeridas aos concorrentes às vagas serão as mesmas.

 

Comparando-se os conteúdos dos concursos de 2015 (último para escriturário tradicional) e o de 2018 (escriturário de TI), percebe-se que, no segundo edital, houve a inclusão da disciplina de Probabilidade e Estatística e a exclusão das matérias de Cultura Organizacional, Técnicas de Vendas e Atendimento. 

Outro fator importante é que o conteúdo de Informática tornou-se mais amplo. Além disso, foi feita uma outra distribuição do número de questões por disciplinas.

Concurso 2015

  • Português (dez);
  • Raciocínio Lógico-Matemático (dez);
  • Atualidades do Mercado Financeiro (cinco);
  • Cultura Organizacional (cinco);
  • Técnicas de Vendas (dez);
  • Atendimento (dez);
  • Conhecimentos Bancários (dez);
  • Informática (cinco); 
  • Inglês (cinco), e
  • Redação.

Concurso 2018

  • Português (cinco);
  • Inglês (cinco);
  • Matemática (cinco);
  • Atualidades do Mercado Financeiro (cinco);
  • Probabilidade e Estatística (20);
  • Conhecimentos Bancários (cinco);
  • Informática (25); e 
  • Redação.

Se o programa da seleção de 2018 for mantido para o novo concurso, o ponto positivo, comparado à seleção de 2015, é a redução do número de disciplinas a serem estudadas: caiu de nove para sete.

Quer receber novidades sobre concursos?

Cadastre-se para receber e-mails com asnotícias em destaque da semana, dicas de preparação, novidades da Folha Dirigidae muito mais!

Sobre o concurso

Previsto

Banco do Brasil - 2021 - Escriturário

Nacional
Até R$4036,50
Fund...
120 vagas

Carregando...