Confira todos os detalhes sobre o último concurso Anatel

Confira todos os detalhes sobre como foi o último concurso Anatel, realizado em 2014. Agência já pediu autorização para uma nova seleção.

18/06/2020 13:35 | Atualizado: 18/06/2020 16:09

18/06/2020 13:35 | Atualizado: 18/06/2020 16:09

A Agência Nacional de Telecomunicações já confirmou o envio de um novo pedido de concurso ao Ministério da Economia. Para o concurso Anatel 2021 foram solicitadas 333 vagas, distribuídas por cargos de técnicos, analistas e especialista. A divisão foi feita da seguinte forma:

  • Analista administrativo = 46 vagas;
  • Especialista em regulação de serviços públicos de telecomunicações = 104 vagas;
  • Técnico administrativo = 99 vagas;
  • Técnico em regulação de serviços públicos de telecomunicações = 84 vagas.

Estas foram as mesmas funções contempladas no último concurso realizado pela autarquia, em 2014. A seleção teve a validade encerrada em 2017, sem possibilidade de nova prorrogação. 

Vagas oferecidas no concurso de 2014  
Etapas de seleção do último concurso
Presidente da Anatel justifica necessidade do concurso
Remuneração oferecida aos servidores da Anatel

Concurso Anatel 2014 ofereceu mesmas vagas solicitadas

Para quem deseja garantir uma vaga na próxima seleção a ser realizada pela Anatel, usar como referência para estudo o edital do último concurso, pode ser uma boa alternativa.

Foram oferecidas 100 vagas. Dessas, 20 foram para o cargo de técnico administrativo, nas áreas de Administração e Comunicação; e 12 para técnico em regulação de serviços de telecomunicação. Ambas funções exigem o nível médio.

Já no nível superior as vagas eram para os cargos de analista administrativo (20), nas áreas de Administração; Tecnologia da Informação e Comunicação; Sistemas de Informação; Direito; Engenharia Civil; e Suporte e Infraestrutura de TI.

 Também foram oferecidas vagas para especialista em regulação de serviços de telecomunicação (48), nas especialidades de Economia; Contabilidade; Suporte e Infraestrutura de TI; Mídia Digital; Engenharia; Direito; e Métodos Quantitativos.

Confira na íntegra o edital de 2014

Resumo concurso Anatel

  • Órgão: Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)
  • Previsão de vagas solicitadas: 333
  • Cargos: técnico administrativo, técnico em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações, analista administrativo e especialista em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações;
  • Requisito: níveis médio e superior
  • Remuneração: de R$7.474,67 a R$15.516,12
  • Status do concurso: aguardando autorização 
Anatel
Anatel depende de aval do Ministério da Economia para realizar concurso
(Foto: Divulgação)


Em 2014, seleção foi realizada em duas etapas

O concurso foi realizado em duas etapas. Na primeira, os concorrentes foram submetidos às seguintes etapas:

  • Provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório (para todos os cargos); 
  • Prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório (para os cargos de nível superior);
  • Avaliação de títulos, de caráter classificatório (para os cargos de nível superior). 


A segunda etapa de seleção também foi destinada, apenas, aos candidatos às vagas de nível superior. A etapa consistia em um Curso de Formação Profissional, de caráter eliminatório e classificatório.

Na época, o concurso foi organizado pelo Cebraspe (antigo Cespe). Dessa forma, a prova objetiva seguiu o estilo de avaliação já conhecido da organizadora. Ou seja, foram apresentadas questões do tipo “Certo” ou “Errado”.

A avaliação foi composta por 120 itens. Dessas, 50 eram de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos. 

No nível médio, as questões de Conhecimentos Básicos abordavam as disciplinas de Língua Portuguesa, Noções de Direito Administrativo e Noções de Direito Constitucional. Já para o nível superior, os itens cobravam conteúdos de Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Agências Reguladoras.

A cada resposta correta, o candidato somaria um ponto. Para cada resposta errada foi atribuído um ponto negativo e em casos de marcações duplas ou respostas em branco, foi atribuída nota zero. Foram reprovados os candidatos que:

  • Obtiveram nota inferior a 10 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Básicos; 
  • Obtiveram nota inferior a 21 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Específicos; 
  • Obtiveram nota inferior a 36 pontos no conjunto das provas objetivas.

+ Concurso Anvisa: autarquia pede aval para preencher 89 vagas

Candidatos de nível superior ainda foram avaliados em outras etapas

A prova discursiva, aplicada aos concorrentes às vagas de nível superior, valia 40 pontos. A avaliação foi dividida em quatro partes, valendo até 10 pontos cada. Foram elas:

  • Parte 1: uma dissertação, com até 30 linhas; 
  • Parte 2, 3 e 4: uma questão discursiva, com até 15 linhas, em cada parte; 


Os candidatos de nível superior aprovados nas etapas de prova objetiva e discursiva ainda foram avaliados por meio de uma análise de títulos. A fase valia até 3,8 pontos, distribuídos da seguinte maneira:

  • Doutorado referente à especialidade concorrida = um ponto;
  • Mestrado referente à especialidade concorrida = 0,75 pontos;
  • Especialização referente à especialidade concorrida, com carga horária mínima de 360 h/a = 0,75 pontos;
  • Aprovação no serviço público de qualquer poder ou esfera, para empregos/cargos no conhecimento específico referente à especialidade do cargo a que concorre = 0,10 pontos por título, podendo somar até 0,20 pontos;
  • Exercício de atividade profissional de nível superior na Administração Pública ou na iniciativa privada, no conhecimento específico referente à especialidade do cargo a que concorre = 0,2 por ano completo, podendo somar até 1,6 pontos. 

Botão com link para assinatura

Presidente da Anatel evidenciou necessidade do concurso

O pedido do novo concurso Anatel foi protocolado no fim de maio, conforme o calendário previsto pelo Ministério da Economia para essas solicitações.  Na justificativa, o presidente da autarquia, Leonardo Euler de Morais, destacou a importância de uma nova seleção.

Segundo ele, o concurso é importante para o fortalecimento da capacidade institucional do órgão. Morais ainda ressaltou que, desde a criação da Anatel, a agência não conta com todo o quantitativo de servidores previsto em lei.

A Anatel pode ter até 1.690 servidores em seus quadros, mas só 1.357 estão preenchidos atualmente. Ou seja, as 333 vagas solicitadas são, justamente, o quantitativo necessário para o preenchimento total das vacâncias no órgão.

“O já defasado quadro de pessoal tem enfrentado decréscimos significativos em virtude de vacâncias para posse em outros cargos inacumuláveis, aposentadorias, além do retorno de empregados da Telebrás”, explicou o presidente.  

Ainda de acordo com Morais, desde setembro de 2018 a Anatel utiliza recursos próprios para custeio de despesas com pessoal. Esses são provenientes de rendimentos auferidos pela aplicação de recursos financeiros na conta única do Tesouro Nacional. Sendo assim, a contratação não acarretaria em acréscimos financeiros para o Tesouro Nacional.

Atualmente, as remunerações oferecidas para os técnicos de Administração e Regulação são de R$7.474,67 e R$7.846,37, respectivamente. Para analistas, o valor atual é de R$14.265,57. Já para os especialistas, o valor é de R$15.516,12. Os valores já contam com o auxílio-alimentação, de R$458. 

Newsletter

Newsletter

Quer receber novidades sobre concursos?

Quer receber diretamente no seu e-mail as principais notícias dos concursos da sua região?

E de quebra dicas para seus estudo? Cadastre-se gratuitamente na newsletter FD para ter tudo isso!

Sobre o concurso

Previsto

Anatel - 2020 - diversos cargos

Nacional
Até R$15516,12
Fund...
333 vagas

Preparação