Notícias sobre MT - 2020 - Auditor-fiscal do trabalho

Fiscal do trabalho: categoria volta a paralisar por concurso


Os auditores-fiscais do trabalho retomaram, no último dia 8, a mobilização da categoria, visando, entre outros, a recomposição do quadro de pessoal por meio de concurso MTE 2017. Iniciada em maio de 2015 e interrompida após a assinatura de acordos com o governo em março deste ano, a paralisação foi reiniciada pelo fato dos termos celebrados não estarem sendo cumpridos pela gestão do presidente interino, Michel Temer.

Fiscal do Trabalho: categoria cobra novo concurso


O Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho (Sinait) cobrou dos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, do Planejamento, Dyogo Oliveira, e do Trabalho, Ronaldo Nogueira, além do secretário executivo do Ministério do Trabalho (MT), Jânio Macedo, o cumprimento das pautas remuneratória e não remuneratória dos acordos assinados com o governo federal em março. Entre os termos acordados está o compromisso do MT de defender a autorização do concurso para 847 vagas para auditor do trabalho (de nível superior, com remuneração inicial de R$18.754,20), solicitado ao Ministério do Planejamento.

Fiscal do trabalho: sindicato ataca a redução do quadro


Para entidade que representa auditores-fiscais do trabalho, redução do quadro de servidores é uma das facetas do sucateamento da carreira. Segundo sinait, postura vai ao encontro das medidas anunciadas pelo governo na direção de uma reforma trabalhista, com retirada de direitos e aumento da vulnerabilidade dos trabalhadores, como alertaram em manifesto ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Com um déficit de mais de 5 mil auditores, Ministério do Trabalho solicitou concurso para 847 vagas no cargo, que é de nível superior e tem iniciais de R$18.754,20. Faça login e saiba mais! 

Ministério quer receber aval para auditor ainda este ano


O Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho (Sinait) já começou a cobrar do novo governo o atendimento das demandas mais urgentes da categoria, entre elas, a realização de concurso público. No último dia 24, a entidade se reuniu com o novo secretário-executivo do Ministério do Trabalho, Jânio Macedo, que, segundo a vice-presidente do Sinait, Rosa Jorge, afirmou que a pasta se empenhará para ter a seleção autorizada ainda este ano. Um pedido de 847 vagas de auditor do trabalho (de nível superior, com remuneração inicial de R$18.754,20) já está em análise no Ministério do Planejamento.

Retomada a análise do pedido para auditor do Trabalho


Tramitação do processo que trata do concurso para 847 vagas de auditor do trabalho (nível superior; R$18.754,20) registrou novo andamento no Ministério do Planejamento, no último dia 17. Tramitação chegou aos estágios finais nos últimos dias do governo Dilma Rousseff, mas com a troca de governo passará por revisão. 

Fiscal do trabalho: pedido de 847 vagas avança no Planejamento


Processo referente a pedido de concurso para 847 vagas de auditor-fiscal do trabalho (de nível superior, com remuneração inicial de R$18.754,20) avançou no Ministério do Planejamento e expectativa é que seleção possa ser autorizada mesmo com as restrições aos novos concurso ter sido estendida até 2017. Permissão chegou a ser anunciada no ano passado, mas não se concretizou em razão do ajuste fiscal do governo. Carência é de mais de 5 mil auditores. Faça login e saiba mais!

Expectativa por avanço no pedido de concurso


Com o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) tendo se comprometido a defender a autorização do concurso para auditor-fiscal do trabalho, a expectativa é pelo avanço, no Ministério do Planejamento, do processo que trata da solicitação, encaminhada pela pasta no mês passado. Foram pedidas 847 vagas no cargo, que tem como requisito o ensino superior completo em qualquer área e remuneração inicial de R$18.754,20. (...) #vaiterconcurso

Fiscal do trabalho: órgão se compromete a defender autorização


Auditores-fiscais do trabalho assinaram, no último dia 30, com o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) - e não do Ministério do Planejamento, como informado anteriormente - o acordo referente à chamada pauta não remuneratória. Entretanto, diferentemente do que se esperava, o documento não incluiu o compromisso do governo de priorizar o concurso da carreira assim que se encerrarem as restrições à liberação de concursos públicos no Executivo federal. Segundo o presidente do Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho (Sinait), Carlos Silva, o que consta no acordo é o compromisso do MTPS de continuar defendendo a autorização do concurso para o cargo.

Reapresentado pedido de concurso para auditor-fiscal


A bola agora está novamente com o Ministério do Planejamento. O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) informou à FOLHA DIRIGIDA que já reapresentou à pasta responsável pela autorização de concursos o pedido para a abertura de 847 vagas de auditor-fiscal do Trabalho. O cargo tem requisito de ensino superior completo (qualquer área) e remuneração inicial de R$16.201,64, incluindo auxílio-alimentação, de R$458. (...) #vaiterconcurso