fbpx

Conheça os 3 pilares para um estudo eficiente

Compartilhe o conteúdo

Você já conhece os três pilares do estudo? Se não, talvez seja o momento de você conhecer melhor. Isso porque eles são fundamentais para a sua jornada de preparação para concurso público.

Em poucas palavras, consiste em estudar a teoria, exercitar com a prática de questões e revisar o que foi aprendido.

Parece simples, né?

Mas o desafio é saber como organizar o tempo entre essas três fases do estudo para que você potencialize o seu aprendizado e esteja mais próximo do seu sonho: tornar-se um futuro servidor.

Três pilares do estudo eficiente

Os três pilares do estudo consistem em estudar a teoria, exercitar na prática e revisar o que foi aprendido (Foto: Freepik)

Como dividir o tempo entre teoria, exercícios e revisão?

Para responder essa pergunta, a startup de Educação EduQC, realizou um estudo que avaliou a evolução do que as pessoas aprendiam, controlando como e quanto elas estudavam.

A pesquisa descobriu que a revisão é 6% mais eficiente do que a prática, que, por sua vez, é 37% melhor do que a teoria.

No estudo teórico, foi apontado que a leitura é a melhor técnica, ficando à frente das videoaulas (9% melhor), aulas presenciais (25% melhor) e áudios (80% melhor).

No entanto, o engenheiro Civil-Aeronáutico e fundador da EduQC, Victor Maia, conta sobre um paradoxo no aprendizado: quanto mais eficiente é o modo de estudar, mais proficiente (competente no que faz) você precisa ser.

Isso quer dizer que a melhor forma de aprender é ensinando. Mas como você poderá ensinar o que não sabe?

Para isso, você precisa ter um estudo eficaz, sabendo equilibrar teoria, exercícios e revisão.

Como equilibrar os 3 pilares do estudo?

Segundo Maia, você precisa gradativamente estudar menos a teoria e aumentar prática e revisão aos poucos. O desafio, nesse caso, é saber o momento de fazer essas alterações no seu cronograma.

E a Inteligência Artificial pode ser uma grande aliada para isso, com ferramentas tecnológicas que podem auxiliar nessa divisão nos estudos.

Cada pessoa tem um processo de aprendizagem, por isso, o equilíbrio deve ser visto de forma empírica, ou seja, a partir da observação prática.

Apesar da revisão ser mais eficiente do que a prática e a teoria, como afirmado mais acima, nem todos os candidatos podem focar mais tempo nela, em especial os iniciantes.

Os três pilares do estudos

Por que você não deve esquecer de estudar a teoria?

O estudo da teoria é a base para os outros dois pilares. Para praticar e revisar, você precisa aprender o conteúdo de forma teórica.

Infelizmente, o estudo eficiente – no sentido de aprender o conteúdo – é cansativo. Muitas vezes o estudante sofre com a falta de concentração.

O que Victor Maia indica é achar uma forma de aprender mais rápido para superar seus concorrentes.

Quando você alia a teoria com a prática e a revisão, você ganha um estudo mais ativo e, consequentemente, mais engajamento.

O resultado? Um aprendizado mais dinâmico e motivador.

Enquanto os outros alunos estarão sentindo tédio vendo somente videoaulas, você estará escrevendo uma redação ou acertando as questões do simulado. Isso porque o assunto foi bem estudado anteriormente.

Por que é importante praticar?

Aquele ditado sobre aprender na prática é real. Ao contrário da revisão, que é mais eficiente para candidatos já com um conhecimento prévio, a resolução de questões ajuda a todos.

Por isso, Victor Maia reforça a necessidade de resolver questões de concurso em todas as sessões de estudo: “da primeira à última”, destaca.

O que vai mudar é a intensidade. No início, o recomendado é estudar mais teoria e menos prática. Conforme você for aprendendo, essa lógica inverte.

O sistema da EduQC, com o auxílio da inteligência artificial, faz essa divisão de forma automatizada, o que leva o candidato a maximizar o aprendizado.

Quanto tempo depois de estudar a matéria é preciso começar a revisar?

Victor Maia explica que há muita desinformação a respeito da revisão. Apesar de ser eficiente para o aprendizado, não deve ser feita de forma burocrática.

“Após estudar a teoria, você já deve avançar para outras formas de estudo, como exercícios, mapas mentais, resumos e flashcards”, aconselha.

Um ponto importante é que você não deve revisar tudo o que aprendeu. A revisão deve focar naqueles assuntos que você tem dificuldade ou que não compreendeu.

E para descobrir quais são esses assuntos, é preciso resolver questões. Os simulados podem ajudar você a mensurar os conteúdos com mais erros e que precisam ser revisados.

Após isso, você confere o seu material de revisão. Caso não tenha nada a respeito desse assunto, você deverá voltar à teoria e fazer um resumo sobre o que está faltando.

A consequência disso é um material de revisão completo. Quando o edital do concurso sair, só vai precisar revisar os assuntos e resolver questões.

Quanto tempo de estudo é preciso dedicar à revisão?

Antes de qualquer coisa, você deve saber que o único material adequado para revisão é aquele que você mesmo fez. O processo de revisar serve para fixar o que já foi aprendido.

O principal erro dos alunos é achar que revisão é releitura. Outros acham que revisar por materiais prontos, por serem mais sintéticos, servem como revisão, conta Victor.

Caso você revise com um material que não é seu, estará apenas fazendo uma releitura. Portanto, apesar de importante, a revisão precisa vir após a teoria e prática.

Quando você consegue estudar com qualidade, a revisão vai ganhando lugar estratégico na sua preparação, podendo estar em todas as sessões de estudo.

O volume de revisão, portanto, deve aumentar de forma gradativa, à medida que você for aprendendo sobre a disciplina.

Esse ritmo de aprendizado é algo individual e poderá ser diferente em cada conteúdo estudado. Você pode ter mais dificuldade em uma área do que em outra.

Como então ter eficiência nos estudos?

O segredo, segundo Victor Maia, é criar uma rotina de estudos e manter a constância. “Por mais incrível que pareça, aprender, apesar de difícil, é simples”, conta o fundador da EduQC.

O volume de estudos não vai garantir para você aprendizado, é preciso manter a rotina de forma planejada e constante.

Se você tem um planejamento adequado à sua realidade, é bem maior a probabilidade de, daqui a seis meses, você ainda estar firme, pontua.

Para ter um planejamento adequado, é necessário saber dividir o tempo. Essa divisão não é só por cada disciplina, mas também pelos três pilares (teoria, prática e revisão).

Você não tem que dividir o material que será estudado, como, por exemplo, definir quantidade de páginas e exercícios que deverá resolver em um dia.

Esse tipo de organização, segundo Maia, acaba não tendo qualidade e cria ansiedade, uma vez que, caso não dê tempo, o aluno vai correr com a leitura ou com as questões. E isso nunca é uma boa ideia.

Assinatura FD Premium + EduQC

5 passos para se planejar com os 3 pilares do estudo

Agora que você já sabe a importância dos três pilares, você pode dividir o tempo de estudo, prática e revisão de cada matéria. Comece com o estudo de teoria, depois resolva questões e finalize com a revisão.

  1. Durante a teoria, você pode estudar tudo o que o tempo permitir. Caso seja possível, pode até avançar os tópicos da disciplina, mas sem acelerar para isso.
  2. Quando for resolver as questões, faça exercícios de todos os assuntos que já foram estudados na disciplina (sem focar na quantidade de questões).
  3. Na hora de resolver as questões, você poderá observar seus erros e ver quais foram as dúvidas que ficaram. Não adianta correr para olhar a resposta certa, use os erros para aprender.
  4. Por fim, revise os conteúdos que você teve mais dificuldade.
  5. Caso suas dúvidas não sejam respondidas no material de revisão, você deve voltar à teoria, complementar seu resumo e seguir em frente.

A divisão de tempo em cada pilar deve ser feita para maximizar a velocidade de aprendizagem. Dessa forma, o estudante só revisa o que realmente precisa, de forma orgânica, sem perder tempo.

Passo a passo para se planejar


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *