fbpx

Redação para concurso área Fiscal: como fazer?

Quando um futuro servidor decide fazer concurso para a área Fiscal, a maior preocupação são as matérias de Exatas. Apesar delas terem grande peso na nota final, em alguns concursos, as discursivas também têm. Diante disso, você sabe como fazer redação para a área Fiscal?

“A prova discursiva é sempre um divisor de águas na sua preparação”, afirma a professora Vivian Barros, apresentadora do programa Gabaritando no canal da Folha Dirigida.

Segundo a professora, cerca de 25% dos concursos da área Fiscal cobram questões discursivas. Nesse sentido, é uma tendência que cada vez mais seleções tenham redação.

Portanto, se o concurso para o qual você está estudando não pediu no último edital, fique atento, pois isso pode mudar.

Além disso, quando as discursivas aparecem, elas são decisivas. De acordo com Barros, quem consegue a nomeação fez, provavelmente, uma excelente prova discursiva.

Como a redação na área Fiscal pode ser fator determinante, Vivian Barros fez uma aula sobre como se sair bem nas discursivas nesse tipo de concurso.

Você pode tanto assistir a live, que ficou gravada, quanto ler os principais pontos explicados pela professora nesse post, ok?

Aspecto estético da redação na área Fiscal

Apesar de muitos pensarem que não, aspectos estéticos são relevantes sim na hora da correção da prova. Por exemplo:

  • Legibilidade
  • A forma que é feita a rasura
  • Margem

Sobretudo, eles tornam o texto mais agradável. Dessa forma, colaboram para uma avaliação mais positiva.

No entanto, isso não significa que você deva comprar uma caderno de caligrafia nem nada. Se puder e tiver tempo, é ótimo! Mas quando se fala em legibilidade, não é questão de ter uma letra bonita e desenhada, e sim legível para o seu corretor.

Tenha em mente que o professor responsável pela correção tem várias outras provas para ver. Se ele tiver dificuldade de ler sua letra, pode simplesmente dar uma nota baixa e passar para a próxima. Por esses motivos, ter um texto agradável de ler – esteticamente falando – já conta pontos positivos para a nota.

Via de regra, não tem problema escrever com letra de forma, se essa for a sua preferência. Porém, a professora Vivian pede para ter atenção ao edital, se é proibido ou não.

Outro ponto importante se você for usar letra de forma na sua redação na área Fiscal, é diferenciar bem as letras maiúsculas das minúsculas. Essa diferença precisa estar clara para o corretor para evitar o desconto na nota.

ebook área fiscal

Cuidados com a acentuação na redação para concurso Fiscal

Vivian Barros também pede cuidado com o uso dos acentos gráficos. Devido às redes sociais, muitos alunos deixam de os usar e acabam fazendo isso também nas provas. Vez ou outra ela pega redações de alunos seus muito bem feitas, mas sem os devidos acentos.

Também se deve ter muita atenção na hora de rasurar a prova. Caso seja necessário, opte sempre por riscar a palavra e escrever a correta do lado. Tentar redigir a certa por cima da errada causa perda de pontos como erro de ortografia.

Ou seja, é importante você demonstrar para o examinador que compreendeu o erro e o corrigiu ao lado. Mas sem comprometer a legibilidade.

Outras dicas de Vivian Barros são:

  • Deixar 2,5 cm livres no início do parágrafo (você pode medir o espaço com a tampa da caneta durante a prova)
  • Escrever até o fim da linha
  • Respeitar as regras de translineação

Principalmente as bancas FGV e FCC penalizam muito a translineação feita de maneira incorreta.

Por translineação entende-se quando a palavra não cabe na linha e as sílabas são divididas com um hífen. Estar atento a estas regras é muito importante pois também conta para a legibilidade usar a linha inteira.

Se no final da sua redação não caber uma palavra, não tem problema escrever fora da linha. Mas procure não exceder mais do que isso.

Como escrever uma redação eficiente para área Fiscal

Para escrever um texto eficiente, a professora Vivian aconselha seguir os seguintes aspectos estruturais:

  • Não redija períodos extensos
  • Invista nos elementos coesivos
  • Evite o parágrafo frasal
  • Redija na ordem direta

Ainda que você já seja da área Fiscal ou esteja cursando algum tipo de mestrado ou doutorado, Vivian Barros recomenda manter o texto em uma linguagem o mais simples e direta possível.

Leve sempre em consideração que o seu examinador tem várias provas além da sua para corrigir. Portanto, quanto mais clara estiver a informação que você quer passar, melhor.

Além disso, períodos longos não são eficientes. Às vezes no meio da frase o examinador já esquece do que leu no início. Dessa forma, ele deixa a sua redação de lado, dá uma nota baixa e parte para a próxima. Evite ao máximo esse cenário.

Nesse sentido, não escreva um parágrafo com apenas uma frase. Também utilize elementos coesivos diversificados para deixar o seu texto mais fluido e com uma leitura mais agradável.

Texto eficiente redação

O que pode ser cobrado na redação da área Fiscal?

Antes de tudo, são três tipos de textos que podem ser pedidos:

  • Elaboração de questões discursivas
  • Estudos de caso
  • Peça técnica (geralmente um parecer)

Desses três, o que mais aparece são as questões discursivas. Nesse sentido, elas pedem o conhecimento teórico do candidato. Também podem vir com um texto de apoio contendo algum conceito.

Já no caso da peça técnica, o examinador pede basicamente a sua opinião sobre um determinado tópico. Conforme o próprio nome diz, o seu parecer sobre o assunto.

No que diz respeito ao estudo de caso, ao contrário das discursivas, é requisitado o conhecimento prático do assunto, em vez do teórico.

Nesse contexto, a professora Vivian recomenda a seguinte estrutura para cada um dos tipos de texto:

Questões discursivas:

  • Breve introdução: contextualização
  • Desenvolvimento dos tópicos ou aspectos propostos

Estudo de caso:

  • Breve introdução: retomada do caso concreto
  • Desenvolvimento dos tópicos ou aspectos propostos

Peça técnica:

  • Breve introdução: relatório
  • Discussão/análise – exposição do conhecimento técnico
  • Conclusão

Enquanto nas questões discursivas e no estudo de caso a introdução deve ser mais breve e é até mesmo dispensável, na peça técnica, a professora Vivian recomenda dar uma caprichada melhor. Afinal, o relatório é parte integrante da peça técnica como um todo.

Segundo a especialista, não é recomendado em 90% dos casos enumerar a redação com letras ou itens indicados no enunciado. Por fim, o ideal é escrever um texto corrido.

No entanto, procure falar no seu texto dos tópicos na ordem em que são apresentados no enunciado. Da mesma forma, organize de maneira que cada um corresponda a um parágrafo.

Nas discursivas e no estudo de caso, a introdução não é um requisito. Todavia, para os três tipos, evite o uso da primeira pessoa e tenha como princípios objetividade e ordem.

Tipos de texto redação área Fiscal

Temas de redação na área Fiscal

Por fim, a professora listou as áreas de conhecimento mais cobradas na redação da área Fiscal, com exemplos de concursos importantes. São elas:

  • ICMS/BA: Auditoria, Legislação Tributária Estadual
  • ICMS/ES: Direito Tributário, Contabilidade, Legislação Tributária Estadual
  • ICMS/AL: Auditoria, Legislação Tributária Estadual
  • Auditor-fiscal da Receita Federal: Direito Tributário, Legislação Aduaneira

Você está estudando para a redação na área Fiscal, futuro servidor? Fique de olho no Blog da Folha Dirigida para mais dicas de estudo!

Folha Cursos - Carreiras Fiscais

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Aqui é a Mariana Da Silva, gostei muito do seu artigo tem
    muito conteúdo de valor parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *