fbpx

Quais alimentos podem ajudar (ou não!) nos estudos

Compartilhe o conteúdo

O nosso desempenho depende diretamente dos hábitos que temos no dia a dia. Uma boa alimentação é determinante para potencializar o rendimento cerebral. Diante disso, quais alimentos podem ajudar nos estudos?

Nesse post, o médico psiquiatra e especialista em Medicina do Sono, Pablo Vinicius, explica alimentos para quem estuda para concurso, que podem influenciar na memória e na concentração.

Confira a explicação em áudio do médico Pablo Vinicius:

O que prejudica a nossa memória?

Para entender como nossos hábitos alimentares podem interferir no desempenho na hora de estudar, a primeira coisa que devemos saber é o que prejudica a nossa memória, atenção e concentração.

Do ponto de vista corporal, de acordo com dr. Pablo Vinicius, dois fenômenos básicos interferem diretamente no desempenho cerebral: estresse oxidativo e processo inflamatório.

Estresse oxidativo (oxidação celular)

Nossas células, para gerar energia, utilizam alimento e oxigênio. Esse processo também gera radicais livres, produtos normais do metabolismo celular.

dr. Pablo Vinicius

O médico explica que a alimentação pode ser determinante para o aprendizado (Foto: Divulgação)

Até aí tudo bem. Mas onde mora o problema?

Quando todo esse processo está intensificado e, por consequência, produzimos muitos radicais livres, esse quadro é chamado de estresse oxidativo.

Mas o que leva o nosso corpo a atingir esse estado?

  • Estresse diário
  • Ansiedade patológica
  • Falta de sono
  • Alimentação ruim

Esses hábitos resultam em uma produção excessiva de radicais livres, que acabam agredindo as próprias células, como se fossem uma ferrugem.

As células ficam lentas, doentes, com a diminuição dos seus metabolismos essenciais para o corpo.

O resultado é a sensação de memória ruim, lentidão, cansaço, falta de concentração e atenção.

Processo inflamatório

Este processo também agride as células do corpo. De forma geral, tudo que causa inflamação piora o desempenho cerebral. Alguns motivos são:

  • Alimentação ruim (excesso de açúcar, insulina e glúten)
  • Privação de sono
  • Ansiedade

Qual é o motivo da mente estar cansada?

Outra queixa das pessoas é em relação a mente cansada. Mas como os alimentos podem ajudar ou atrapalhar nisso? Antes de falar sobre o assunto, o médico Pablo Vinícius fez algumas considerações:

“A gente está vivendo uma epidemia de queixas relacionadas a mentes cansadas”, afirma Pablo Vinicius.

Segundo o psiquiatra, as pessoas estão cada vez mais falando que estão com a mente cansada, que já acordam cansadas e indispostas.

Um fato é que mentes cansadas comprometem diretamente a nossa performance.

Se você sente isso na sua vida, no seu cotidiano, a pergunta que deve ser feita não é qual remédio deve tomar para melhorar isso e sim qual o motivo da sua mente estar cansada.

Existem alguns fatores que podem causar esse estado:

  • Dormir mal ou pouco, aliado a um sono de péssima qualidade.
  • Alimentação ruim (Glúten, gorduras trans, açúcares em excesso).
  • Sedentarismo.
  • Estresse patológico (ansiedade).

“As pessoas estão muito ansiosas, estressadas e cansadas. Principalmente com o aumento do cortisol, que é o hormônio do estresse”, comenta dr. Pablo.

📝 Como diminuir a ansiedade nos estudos para concursos

O que devemos comer antes de estudar?

alimentos-unsplash

Uma boa alimentação é determinante para potencializar o rendimento cerebral (Foto: Unsplash)

Para combater a mente cansada e ter aprendizado melhor, precisamos prestar atenção ao que consumimos e aos processos do nosso corpo.

Ao estudar, utilizamos muita energia. Quanto melhor estiver a nossa capacidade celular de produzir energia, maior será nosso rendimento intelectual.

O médico destaca que precisamos compreender que o nosso aprendizado, capacidade de concentração, atenção e memória estão relacionados à capacidade de geração de energia.

Para isso, é preciso que as células estejam saudáveis e as conexões cerebrais em perfeito funcionamento no nosso corpo.

Memória e inteligência são energia. Para obtermos energia, precisamos nos alimentar. Nesse caso, os melhores alimentos devem ser ricos nesse quesito.

Pablo Vinicius comenta sobre os dois grupos que são base no seu padrão alimentar, mas que você deve estar atento a como consome estes. São eles: carboidratos e gorduras boas.

Carboidratos

Será que é qualquer carboidrato que faz bem para a mente? Como chocolates, pizza ou farinha? NÃO!

Os carboidratos simples, as farinhas brancas e os açúcares vão ser muito inflamatórios para o nosso cérebro.

Esses alimentos geram energia, mas podem prejudicar o seu desempenho nos estudos pela ação que fazem no sistema nervoso central.

De acordo com o médico, são alimentos muito prejudiciais ao funcionamento cerebral e, em consequência, ao seu aprendizado.

Sendo assim, o foco deverá ser no consumo de carboidratos de absorção lenta, como a farinha integral. Alguns exemplos são:

  • Pão integral
  • Massa integral
  • Produtos em geral que levem em sua composição o uso de farinha integral

Alimentos-e-Memória-carboidratos

Gorduras boas

O grupo alimentar de gorduras boas fornece muita energia e não agride o sistema nervoso central. O padrão alimentar voltado para o consumo destas gorduras é chamado de dieta low carb.

O médico considera o investimento na alimentação desse grupo como a melhor forma de obter bom desempenho no estudo.

Com isso, os estudantes podem focar em uma dieta cetogênica, que envolve o combinado de:

70% de gordura + 20% de proteína + 10% de carboidrato

Apesar da alta quantidade de gordura nessa dieta, dr. Pablo afirma que o fato de ter uma porcentagem baixa de carboidrato irá balancear a alimentação e isso será bom para o nosso organismo.

“Não vai fazer (mal) porque você está comendo pouquíssimo carboidrato. O grande veneno da humanidade é a mistura do carboidrato com a gordura boa. E a gordura boa é excelente para fornecer energia durante os estudos”, explica o médico.

Alimentos-e-Memória-DIETA CETOGENICA

Será que uma dieta baseada em gordura faz mal para o aprendizado?

Depende do tipo de gordura que você está consumindo. Com o foco em gorduras boas, como explicado anteriormente, a performance cognitiva será bem mais eficiente, de acordo com dr. Pablo.

Alguns exemplos de alimentos deste grupo:

  • Azeite
  • Óleo de coco
  • Manteiga
  • Azeitonas
  • Castanhas

A dieta que faz mal é aquela voltada para o excesso de carboidratos que podem causar inflamações. De maneira geral, a dúvida sobre o que comer antes de estudar depende do seu padrão dietético.

Caso a sua dieta seja rica em carboidratos, com seis refeições ao dia, foque no consumo de integrais, mas em poucas quantidades para não resultar em excesso calórico.

O rendimento no seu estudo dependerá de que você garanta uma boa fonte de energia. Além disso, é extremamente importante que não estude com fome e muito menos em jejum.

Qual vitamina para mente cansada?

Segundo Dr. Pablo, devem ser psicoestimulantes naturais, ricos em taurina e cafeína. São fontes que, em um organismo saudável, podem influenciar e aumentar o desempenho dos estudantes.

Confira algumas recomendações:

  • Chá preto
  • Chá Matte
  • Chá Verde
  • Canela
  • Gengibre

Mas, não abuse! O excesso poderá causar ansiedade e isso prejudica diretamente o funcionamento cerebral.

Não tem como melhorar a mente com um suplemento ou vitamina por completo. Eles apenas contribuem para a melhora de um processo que você já está colocando em prática em seu organismo como um todo.

📝 Psicoestimulantes ajudam nos estudos para concursos?

Qual fruta é boa para memória?

Você sabe por que as frutas ajudam no nosso desempenho? Para entender melhor isso, dr. Pablo Vinícius explica que é preciso compreender o que prejudica a gente em primeiro lugar.

Para encontrarmos a solução dos alimentos, basta inverter essa lógica. Ou seja, identificar alimentos que combatam a inflamação e sejam antioxidantes.

As frutas que têm propriedades antioxidantes são:

  • Vermelhas
  • Alaranjadas
  • Escuras

Dr. Pablo indica também o consumo do açaí.

Além disso, para os seus pacientes, o médico indica duas receitas que podem ser utilizadas para ajudar no desempenho cerebral.

Alimentos-e-Memória-antioxidante

Receitas para estimular o cérebro

Shot antioxidante e anti-inflamatório pela manhã

Esta combinação de ingredientes naturais protege e estimula o cérebro dos estudantes para ajudar na performance ideal na hora do estudo e no dia a dia.

Alimentos-e-Memória-shot

Café da manhã Bulletproof

A ideia veio do Vale do Silício (região das principais empresas de tecnologia, na Califórnia, EUA). É o Bulletproof Coffee.

A bebida é feita com uma xícara de café preto quente, acompanhado de uma colher de óleo de coco, azeite ou manteiga. Alguns utilizam a proporção de duas colheres de manteiga e uma de óleo.

Trata-se de uma combinação de gordura boa com psicoestimulante para trazer mais disposição e energia ao longo do dia.

Mantenha bons hábitos na sua vida

Por fim, para melhorar seu aprendizado, você precisa entender o seu corpo. Além disso, hábitos saudáveis são essenciais para isso.

Acordar bem, cheio de energia, disposto e manter tudo funcionando e operante. Para isso, precisamos corrigir nosso estilo de vida.

Não procure por comprimidos mágicos, foque em entrar em uma academia, meditação, dormir bem e fazer dietas que ajudam no seu objetivo.

Isso, aliado à boa alimentação, será fundamental para um rendimento maior nos estudos.


Compartilhe o conteúdo

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Valéria Regina de Carvalho disse:

    Gostei das dicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *